Pelo mundo…Cozinha Árabe – Esfihas!

Postado em Sem categoria - 31 de julho de 2009

Houve um dia desta semana que amanheceu frio, chuvoso e cinza, e me deu uma vontade quase incontrolável de passar a tarde em casa, mais especificamente cozinhando. Mas tinha que ser algo especial, que exigisse um certo tempo de preparo e que me deixasse satisfeita. Rapidamente descobri o que seria…uma receita maravilhosa de esfihas que a minha mãe sempre fez em casa. Meu pai é descendente de libaneses e minha mãe acabou aprendendo a cozinhar quase todos os pratos da Culinária Árabe, aliás, diga-se: maravilhosamente BEM!

Fui ao mercado, comprei todos os ingredientes que estavam faltando, e vim feliz para casa para passar algumas horas fazendo o que eu mais queria naquele dia: ficar na cozinha.
A receita é fácil, mas exige uma certa paciência para abrir, rechear, fechar e pincelar todas as massinhas. Afinal, o resultado valeu à pena, pois as esfihas ficaram lindas e deliciosas como mostram as fotos. E então, alguém se anima?

Para a massa:

Ingredientes:
10 gramas de fermento biológico em pó
1 copo de leite desnatado morno
120 ml de óleo de canola (aprox. 1/3 de um copo americano)
2 colheres de sopa de manteiga
2 ovos inteiros
4 xícaras de farinha de trigo especial
1 colher de café de sal
1 pitada de açúcar
1 gema para pincelar a esfiha
Prepare assim:
Adicione todos os ingredientes em um recipiente e misture bem com as mãos até perceber que a massa está desgrudando com facilidade dos dedos, continue amassando-a e se achar necessário, acrescente mais farinha de trigo aos poucos, até perceber que está no ponto desejado.
Faça pequenas bolinhas e acomode-as sobre um guardanapo de pano. Quando toda a massa estiver separada em bolinhas, cubra-as com outro guardanapo e deixe-as descansando por aproximadamente 1h30m.
Enquanto isso prepare o recheio:
800grs de carne bovina crua moída
1 cebola grande picada
2 tomates grandes picados com pele e sementes
1 maço de salsinha picada
pimenta-do-reino à gosto
suco de 1 limão
sal à gosto
4 colheres de sopa de azeite extravirgem
Misture bem todos os ingredientes do recheio e passe para um escorredor, pois o tempero formará um líquido que deverá ser desprezado para evitar que as esfihas fiquem muito úmidas e se abram no forno. Aguarde aproximadamente 30 min e comece a rechear as esfihas após o tempo de descanso da massa.
Abra as bolinhas uma a uma formando discos, quanto mais fina você conseguir deixar a massa mais leve e delicada ficará sua esfiha após assada. Mas tome um certo cuidado, pois se a esfiha ficar muito fina ela se rasgará quando você recheá-la e fechá-la. Vá recheando as esfihas uma a uma, colocando duas colheres de sopa do recheio, aproximadamente, para cada esfiha. Para fechar as esfihas, feche-as juntando a borda da massa formando um triângulo, una os lados da esfiha, pressionando bem a massa da borda com os dedos. O centro da esfiha deverá ser a junção das 3 partes do triângulo, tente centralizar o recheio, use-o como delimitador.
Utilize uma assadeira com teflon ou uma assadeira comum forrada com papel manteiga para assar as esfihas. Antes de assar as esfihas, pré-aqueça o forno a 190º por 15 min. e pincele toda a face superior das esfihas com uma gema, batida com um dedo de óleo de canola, isto ajudará as esfihas a ficarem com uma aparência mais dourada.
Asse as esfihas por aproximadamente 20 minutos, ou até que conclua que estão douradas a seu contento.
Tire do forno e delicie-se.
Dica: Uma receita rende aproximadamente 32 esfihas de tamanho médio.
Dica 2: Para fazer de aperitivo, faça tamanhos menores.
Dica 3: Modifique o recheio utilizando chicória crua em tirinhas temperada com limão, pimenta, cebola, tomate e sal. Deixe a mistura escorrer o líquido e recheie as massas com formato diferente das esfihas de carne para diferenciá-las. Uma sugestão é o formato de meia-lua, parecido com o das famosas empanadas argentinas.(foto)

Bon Apettit!!
Fabiana Pinfildi

Focaccia Crocante com Alecrim

Postado em Entradas - 24 de julho de 2009

Focaccia Crocante ou Pizza Branca, é uma fatia fina de pizza temperada com sal grosso e alecrim, servida como couvert nos restaurantes italianos. A massa é a de uma pizza normal, aberta bem fina e salpicada com sal grosso e alecrim, parmesão ou gorgonzola. A massa é colocada no forno e assada normalmente. O nome pizza branca é porque não leva tomate.Ingredientes: 25 g de fermento em tablete, 1 kg de farinha de trigo especial 1 colher (sopa) de açúcar, 300 ml de água morna, aproximadamente 75 ml de leite 2 colheres (sopa) de azeite 1 colher (chá) de sal.

Como preparar: Dissolva o fermento em um pouco de água morna. Coloque sobre a mesa 750 g da farinha, faça um vão no centro e coloque ali o fermento diluído e o açúcar. Acrescente a água, o leite, o azeite, o sal e misture bem até obter uma massa lisa e homogênea. Se necessário, adicione a farinha restante, até a massa soltar das mãos. Divida a massa em 6 bolas (cada bola é uma pizza) e deixe descansar por 1 hora tampada com um guardanapo. Abra cada bola com um rolo, numa massa bem fina, num diâmetro de cerca de 30 cm. Asse em forno à lenha bem quente, por cerca de 2 a 3 minutos, até a borda que está próxima do fogo dourar. Se não tiver forno à lenha, use o forno convencional em temperatura acima de 180°. Gire para assar por igual. Retire do forno. Sirva em seguida.

Continue Lendo …

Delicioso Arroz Proibido!!

Postado em Risotos, Vegetarianas - 15 de julho de 2009

O Arroz negro, também conhecido como “o arroz proibido”, é cultivado na China há mais de 4 mil anos, com fama de produto afrodisíaco e era chamado de “Arroz Proibido”, pois era consumido apenas pelo Imperador, cabendo a seus súditos somente a produção dos grãos. Especula-se que a ordem proibitiva do então Imperador chinês com relação a este arroz deu-se em razão de sua produção escassa naquele país em comparação ao arroz comum, e então por este motivo o Imperador declarou que era proibido consumi-lo, reservando assim para seu consumo exclusivo esta deliciosa e saudável espécie de arroz.

Bem Vindos!

Postado em Diversos - 07 de julho de 2009

Esta é a primeira postagem do Figos & Funghis, então vou começar pelo começo: a apresentação do blog com um certo gostinho de preview do que vocês encontrarão aqui no que pretendo chamar de rotina. Vou postar receitas despretensiosas e sem nenhuma técnica na denominação dos pratos. Passarão por aqui tanto as receitas mais simples como as receitas caipiras do interior de São Paulo, à receitas internacionais, contemporâneas, fusion cuisine, comida regional típica, receitas de amigos, culinária típica oriental, sul-africana, enfim, todos ou quase todos os tipos de cozinha poderão passar por aqui sendo tratados como a estrela do dia. Tentarei sempre acompanhar as histórias e as receitas por fotos de minha coleção e também por fotos próprias do blog, a serem capturadas pela minha irmã Juliana, uma apaixonada e dedicada à fotografia. Falarei um pouco sobre as delícias dos vinhos e sobre a inicialização ao universo da harmonização de cardápios e vinhos. Mas, apesar de o foco deste blog ser de fato a GASTRONOMIA, também pretendo ter 3 colunas a serem escritas por pessoas convidadas, profissionais atuantes em áreas pelas quais eu mais me interesso, sendo a primeira coluna dedicada a chefs convidados a desenvolverem receitas exclusivas para o Figos & Funghis, a segunda a ser escrita pela minha amiga estilista Raquel Wagner que falará sobre moda e trará notícias sobre o mundo da moda, e a terceira a ser escrita pela minha arquiteta de plantão Ana Claudia Pastina, que nos fornecerá suas dicas de decoração de ótimo gosto.