Risoto de Tomate Cereja, Espinafre e Gorgonzola

Postado em Dicas, Fácil, Risotos, Vegetarianas - 03 de novembro de 2009

Sábado foi aniversário do meu pai, no interior, e como eu gosto de fazer todos os anos, cozinhei especialmente pra ele nesse dia super especial em que comemoramos e agradecemos a Deus por mais um ano de vida e muita saúde desta pessoa tão essencial na minha vida, que continua me dando exemplo e lições até hoje. O cardápio não foi nada tão especial, já que meu pai gosta de coisas simples. Preparei para ele um risoto de Tomatinhos cereja e espinafre, tudo orgânico, plantado e colhido no interior mesmo. Finalizei com lascas de queijo gorgonzola e ervinhas frescas (utilizei salsa e cebolinha). Segue a receita:

Ingredientes:
400grs de arroz italiano (arbóreo ou carnarolli)
1 caixinha de tomate cereja lavados e cortados ao meio (aprox. 3 xícaras de chá)
4 xícaras de chá de folhas de espinafre cruas e bem lavadas
1 taça de vinho branco seco
1 cebola pequena picada
1 colher de sopa de manteiga sem sal
2 colheres de sopa de leite desnatado
1,5 litro de caldo de legumes
1 pimenta fresca tipo “chili” sem sementes e fibras internas (pique em tirinhas)
1 pitada de pimenta branca moída na hora
sal a gosto
ervas frescas para finalizar
lascas de gorgonzola para finalizar (aprox. 150grs.)
Modo de Preparo: Em uma caçarola mantenha o caldo de legumes bem aquecido. Enquanto isso, em uma frigideira alta antiaderente inicie o preparo do risoto refogando a cebola na manteiga até que esteja transparente. Acrescente o arroz, mexa bem durante 1 minuto até que fique brilhante. Incorpore a taça de vinho e deixe o álcool evaporar. Continue mexendo. Quando o vinho secar, acrescente uma concha do caldo de legumes. Não pare de mexer e sempre que a água estiver secando acrescente mais caldo de legumes, concha por concha, aos poucos. Quando perceber que o arroz está amolecendo, acrescente as folhas de espinafre e os tomates cereja. Continue mexendo e acrescentando o caldo de legumes até perceber que o arroz está al dente, ou seja, ainda durinho do centro e molinho por fora. Quando estiver nesse ponto, acresente a “chili” cortada em tirinhas bem finas, já com as sementes raspadas com uma faca, tempere com a pimenta branca moída, ajuste o sal se necessário (o caldo de legumes já contém sal e o gorgonzola é bem salgado, não se esqueça que ele finalizará o prato). Por fim, acrescente o leite, mexa bem para incorporá-lo ao risoto. Desligue a panela e tampe. O risoto deve estar bem molhadinho quando for desligado. Antes de servir o risoto salpique as lascas de gorgonzola sobre ele, as ervas frescas e regue com um fio de azeite. Pode ser prato único ou acompanhado de carne assada, peixe assado ou uma saladinha, dependendo da ocasião.
Dica: Não despreze as sementes da pimenta “chili”, deixe-as secando por dois dias aproximadamente e utilize-as para plantar essa qualidade de pimenta na sua casa, em pequenos vasos ou na sua horta, caso possua uma. Você pode fazer este mesmo procedimento com qualquer espécie de pimenta, desde que seja fresca.
Vinho: Espumante Salton Brut reserva, geladíssimo. Suave como o risoto veggie, harmoniza muito bem na minha opinião.

Fabiana Pinfildi

Badejo Colorido e Perfumado Cozido em Papilotte

Postado em Sem categoria - 28 de outubro de 2009

Pelo nome vocês até poderiam ter pensado que a receita leva flores não é? Mas apesar de não levar flores, esta receita de badejo ficou deliciosamente colorida e perfumada, mesmo depois de cozida no vapor, em papilotte. Gente, juro que a cozinha ficou com um perfume maravilhoso, certamente devido à combinação (modestia à parte) bem acertada dos ingredientes. Quanto ao papilotte, confesso que sou viciadinha neste papelzinho amigo (no meu caso sou adepta do papel manteiga).

Continue Lendo …

Petit Caprese

Postado em Dicas, Entradas - 23 de outubro de 2009

Esta saladinha foi inspirada na tradicional Salada Caprese, também de origem italiana. A receita original leva mussarela de búfala, tomatinhos, temperos e bastante manjericão. Mas como eu ia servir de aperitivinho e não tinha mussarela de búfala na geladeira, resolvi fazer esta versão mini da salada caprese, que inclusive fica menos calórica que a original, já que o queijo branco é mais magrinho que a mussarela de búfala. É uma receita tão fácil mas tão fácil que na minha opinião nem chega a ser receita. Pode ser uma dica para você fazer quando vai receber alguém e quer fazer algo simples, light mas que fica lindo montadinho em pratinhos individuais, como o da foto. Pode ser servido junto com as “finger food” em uma recepção ou como a entradinha em um jantar mesmo, e eu garanto: você não vai levar mais que 5 minutos para preparar.

Penne al Pomodoro e Pesto de Manjericão

Postado em Fácil, Massas e Pizzas - 20 de outubro de 2009

O pesto é mais um molho típico italiano. Surgiu em Gênova, há mais de 5 séculos. A receita original utiliza piñoli (ou snoubar). Esta receita deliciosa de hoje foi preparada incrivelmente pela minha irmã Juliana em uma demonstração de muita garra, esforço e coragem para enfrentar as tão temidas “panelas monstruosas” !!!! Hahaha.

“Tomato Bisque” – Sopa de Tomates

Postado em Light, Sopas e Caldos - 16 de outubro de 2009

Me apaixonei perdidamente por esta simples (mas surpreendente) sopinha de tomates em uma viagem e desde então testei algumas vezes diversas receitas diferentes até conseguir reproduzir aquele mesmo sabor e textura que me confortou tanto naquela tarde de muito frio e neve. O lugarzinho era um café bristrot, em NY, na Bleecker St., http://www.cafeangelique.com/ , e a placa na parede oferecia os caldinhos do dia para aquecer o inverno, entre eles um me atraiu, a Bisque de Tomates, ou Tomato Bisque. Não sei se foi exclusivamente a sopa que tornou aquele momento inesquecível, ou se foi uma combinação de fatores: a neve lá fora, o frio, a companhia de quem se ama, uma cidade incrível, enfim, acho que tudo isso junto me faz querer voltar ainda muitas vezes naquele lugarzinho tão charmoso. A tomato bisque surgiu na França, e é costumeiramente consumida por lá.

Pelo Mundo…Cozinha Árabe 2 – TABULE

Postado em Fácil, Light - 13 de outubro de 2009

Acho que já falei aqui que por parte de pai tenho descendência libanesa. Pois é, minha bisavó nasceu no Líbano e veio de lá bem jovem trazendo na bagagem toda a cultura e principalmente o conhecimento da culinária libanesa, que possui como base a culinária árabe tradicional, a que nós conhecemos mesmo, ainda que um pouco modificada e adaptada ao gosto do brasileiro. Me recordo da época em que ainda era criança e via minha bisavó, já velhinha, preparando pessoalmente as refeições da família. Era muito comum nos reunirmos aos domingos e saborearmos algumas delícias preparadas por ela e por minha tia. O Kibe, e o tabule, obviamente não podiam faltar. Minha mãe, que é desdendente de italianos, quando casou-se com meu pai herdou todas as receitas, aprendeu com a própria mestre e agora me repassa o que aprendeu, para nunca deixar que este delicioso ritual que é o preparo e a degustação de uma deliciosa comida árabe  fique esquecida. Hoje vou colocar aqui a receita do famoso tabule, prato de fácil e rápido preparo, sendo ainda uma refeição leve e refrescante.

Tagliatelle com Cogumelos Mistos

Postado em Cogumelo, Fácil, Massas e Pizzas - 09 de outubro de 2009

Estava conferindo as receitas do blog e fiquei surpresa quando percebi que há apenas uma receita sobre massas, um dos meus pratos favoritos. Na verdade acho que não somente meu, mas muita gente ama massas, e elas são realmente deliciosas. Esta receita de hoje leva a massa fresca de ovos como base, e um levíssimo molho de cogumelos mistos, prato que cai muito bem em dias frios. Mais uma vez os cogumelos estão presentes, mas não poderia ser diferente, amo cogumelos e não consigo evitá-los quando vou para a cozinha. Quase sempre penso em como encaixá-los em minhas receitas. Que me desculpem aqueles que não apreciam esta delícia, mas eu prometo que irei postar muitas outras receitas em que os cogumelos podem ser suprimidos ou substituídos, afinal, apesar do nome sugestivo, não só de cogumelos poderá viver este blog! Vamos à receita:

Hambúrgueres Artesanais Picantes

Postado em Carnes, Fácil - 04 de outubro de 2009

Em se tratando de alimentação, poucas receitas conquistam tantos fãs pelo mundo todo, e uma delas é indiscutivelmente o hambúrguer! Muitas pessoas amam hambúrguer, independente da idade, da cultura, da classe econômica, enfim…o hambúrguer é popular, conhecido e amado por muitos, além de desejadíssimo entre as crianças. Assim fica fácil acertar o cardápio em ocasiões em que um bom hambúrguer clássico cabe perfeitamente, como em um lanche da noite de domingo, ou naqueles momentos em que desejamos um bom sanduíche de hambúrguer mais do que qualquer outra comida. A receita abaixo foi inspirada em uma receita utilizada pela minha mãe, um pouco modificada. Basicamente troquei o patinho bovino tipicamente utilizado para receitas com carne moída por miolo de alcatra e acrescentei alguns ingredientes de minha preferência. O Segredo é fazer suculentos hambúrgueres com aquele gostinho de comida artesanal, que dá todo o charme para a refeição! Então vamos à receita, super rápida e fácil de fazer:

Degustação de Azeite

Postado em Sem categoria - 02 de outubro de 2009

O azeite de oliva além de delicioso é super saudável, e para quem gosta de comer bem e para quem gosta de cozinhar é um ingrediente indispensável em muitas receitas. Entre as maiores qualidades benéficas do azeite estão a contribuição para a melhora do funcionamento do estômago, do pâncreas, do sistema hepato-biliar e dos intestinos. Além disso, ele estimula a produção de suco hepático, ajudando no esvaziamento gástrico e facilitando a absorção intestinal de vitaminas lipossolúveis e alguns minerais.

Polenta Cremosa com Funghi ao Vinho Tinto

Postado em Fácil, Pratos Principais - 24 de setembro de 2009

A polenta é uma velha conhecida de todos, e é um prato que nos remete à infância. A minha mãe sempre fazia polenta em casa e nós nos fartávamos de comer. A base da polenta é a farinha de milho, e esta receita tão amada hoje em muitos países foi criada na Itália, mais especificamente na região Norte do país, e sua receita tradicional leva o molho ao sugo ou à bolonhesa. A textura da polenta pode ser bastante variada, desde bem consistente para ser cortada em quadradinhos, até a consistência cremosa, que atualmente é bastante apreciada pelos chefs de cozinha. A polenta pode ainda ser frita, assada, laminada e depois torrada ao forno, enfim…inúmeras são as combinações para este prato tão eclético. Para quem tiver maior interesse na história da polenta, este link é bem interessante: história da polenta. A receita de hoje é fácil, porém exige uma certa paciência para que atinja a consistência desejada e cozinhe no ponto correto. O molho que eu mais gosto é este de funghi secci ao vinho tinto, mas também ficam ótimos os molhos de tomates frescos e manjericão, bolonhesa, azeitonas pretas (desalgadas) com aliche e brócolis ao alho e óleo. Então vamos à receita, que é perfeita para este dia de frio e chuva, acompanhada de uma boa garrafa de vinho tinto:

Bolo Mármore de Chocolate, deliciosa tentação!

Postado em Bolos, Doces - 18 de setembro de 2009

Eu confesso que não sou muito fã de bolos, tortas, mousses, enfim…mas além do meu eterno vício – o chocolate em barra – poucos doces me conquistam, e sem dúvidas um deles é este bolo. O bolo mármore ou o tradicional bolo mesclado como alguns preferem chamar é muito fácil, rápido e simples de fazer, e o resultado é o melhor possível em matéria de bolos. Fica realmente DELICIOSO! Então vamos à receita, que leva em sua base essência de baunilha e chocolate.

Comidinhas….de Romance

Postado em Petiscos - 21 de agosto de 2009

Uma das minhas refeições preferidas em dias especiais é o que chamo de “ritual das comidinhas”. Este ritual é perfeito para ser apreciado em dias de romance a dois, degustando um bom vinho e escutando um delicioso jazz. Mas o ritual das comidinhas também é muito versátil, podendo ser uma ótima opção para se beliscar enquanto lê um bom livro, como coktail em uma festa e ainda, para servir para aqueles amigos que resolveram aparecer de última hora. É tudo muito simples e fácil, basta utilizar imaginação e curtir deliciosos momentos sem quase nenhum trabalho, e de quebra, apresentar pratos diversificados e cheios de charme!

Pelo mundo…Thai Food

Postado em Pratos Principais - 17 de agosto de 2009

Hoje vou falar um pouquinho sobre a thai food, ou culinária thailandesa, como preferirem.

A comida thai é famosa por ser riquíssima em especiarias e carregada de pimenta, oferecendo aos seus apreciadores uma infinidade de sabores totalmente diferentes entre si. A base da comida thailandesa é o curry, que possui sabor exótico e é um dos temperos mais antigos do mundo. O pó mágico e característico que conhecemos, que possui sabor picante e adocicado, é uma alquimia de mais de 20 tipos de especiarias, ervas e sementes. Esta composição varia de acordo com a região e país. O curry original é na verdade uma planta (Murraya koenigii (L.) Sprengel). Originária do sul da Ásia, é uma erva aromática, de porte pequeno e folhas verdes brilhantes e fragrância pungente. Pouco comum no Brasil, aos poucos tem sido adotada na culinária ocidental por adicionar um gostinho especial sem ser muito quente. Nos supermercados maiores encontra-se as folhinhas desidratadas que são vendidas em vidros pequenos de marcas especializadas em venda de ervas e especiarias. Uma opção é o curry em pó de marcas importadas que se assemelham muito com o produzido na Índia. Propriedades curativas e rejuvenescedoras do curry já foram constatadas cientificamente, ou seja, curry é delicioso e saudável!

Talharim Negro ao Molho de Alcachofras

Postado em Massas e Pizzas - 17 de agosto de 2009

Adoro massas em geral, mas gosto especialmente das massas artesanais. Elas não são simplesmente uma base para um molho especial, mas fazem realmente parte da receita e possuem um sabor e textura muitíssimo agradáveis. Massas industrializadas também podem ser boas, eu inclusive faço uso delas com uma certa frequência, mas confesso que diante das duas opções fico mesmo com a artesanal, que pode ser seca ou fresca. As massas podem ser brancas ou coloridas. Entre as coloridas temos como as mais conhecidas as verdes (à base de espinafre), as vermelhas (à base de tomates), as marrons (à base de funghi), e as negras (à base de tinta de lula), todas igualmente saborosas.

Barcas de Berinjela…é light!

Postado em Acompanhamentos, Light - 13 de agosto de 2009

Como algumas amigas iniciantes andam me pedindo para postar receitas fáceis e rápidas, resolvi postar hoje uma receita muito fácil e muito rápida que costumo fazer. E a melhor notícia é que além de tudo é light!

Roast Beef…de dar água na boca!

Postado em Carnes - 11 de agosto de 2009

Especula-se que o Roast Beef (Rosbife em português) foi inventado nos Estados Unidos, mas verdade ou não, fato é que este prato tornou-se uma delícia mundialmente conhecida e que transforma qualquer jantar em um verdadeiro banquete e que combina muito bem com diversos tipos de acompanhamentos.
Nos Estados Unidos o Roast Beef é mais consumido como recheio de sanduíches, ou em grandes peças assadas inteiras em datas especiais como o Natal e o Thanksgiving. Na Europa, particularmente na Inglaterra, o rosbife está associado ao prato principal do domingo. Na Austrália o rosbife é o prato tradicional servido no jantar de domingo. No Brasil, também é encontrado na forma de embutido de carne bovina, normalmente é a carne usada na receita do beirute.

Humm, Cerejas…

Postado em Frutas, Sobremesas - 07 de agosto de 2009

Para mim não há nenhuma fruta mais linda, mais perfeita, mais deliciosa e mais charmosa do que a cereja. Cerejas frescas são vermelhinhas, carnudas, docinhas e brilhantes, e a boa notícia é que as safras de cereja deste ano já estão começando a ser colocadas nos mercados. Normalmente a época de comercialização de cerejas no Brasil é entre Novembro de Janeiro, mas ontem tive uma feliz surpresa quando vi, em pleno mês de Agosto, cerejas expostas em um supermercado e depois sendo vendidas nos faróis da cidade. (P.S. Quando os ambulantes vendem frutas nos faróis é pq conseguiram nelas um bom preço para revendê-las, e isto é sinal de safra grande). Normalmente a grande quantidade de cerejas vendidas no Brasil são importadas, mas os produtores nacionais estão divulgando o plantio experimental de cerejas no Brasil, o que se der certo, diminuirá em muito o custo para o consumidor final.

Do Mar…DIVINO SALMÃO!

Postado em Peixe - 06 de agosto de 2009

Hoje irei postar um dos meus pratos favoritos e um dos que mais preparo em casa. É fácil, rápido, sem segredos, saudável e principalmente delicioso! É o salmão ao forno!
O salmão na verdade já é um peixe saborosíssimo e por este motivo qualquer (ou quase) combinação de temperos e de acompanhamentos faz dele um prato muito especial. Além de possuir DMAE, que é muito benéfico à saúde, e em especial às mulheres por previnir a tão assustadora flacidez da pele, o salmão esbanja proteína — alimento importante para os músculos, que, claro, são fundamentais para quem quer ter firmeza. O peixe também carrega outro nutriente do bem, o ômega 3, ácido graxo que impede a deposição de gorduras maléficas nas artérias e combate os radicais livres, ajudando a manter corpo e rosto jovens. Na receita abaixo, o salmão é acompanhado por emulsão aromatizada de amêndoas doces, mas também pode ser variado com crosta de pasta de missô e whisky, ceboulettes , gergelim, enfim, depende da imaginação. O importante é não pecar no excesso de temperos para que o sabor suave do peixe não seja anulado por uma confusão de aromas e sabores.

Pelo mundo…Cozinha Árabe – Esfihas!

Postado em Sem categoria - 31 de julho de 2009

Houve um dia desta semana que amanheceu frio, chuvoso e cinza, e me deu uma vontade quase incontrolável de passar a tarde em casa, mais especificamente cozinhando. Mas tinha que ser algo especial, que exigisse um certo tempo de preparo e que me deixasse satisfeita. Rapidamente descobri o que seria…uma receita maravilhosa de esfihas que a minha mãe sempre fez em casa. Meu pai é descendente de libaneses e minha mãe acabou aprendendo a cozinhar quase todos os pratos da Culinária Árabe, aliás, diga-se: maravilhosamente BEM!

Fui ao mercado, comprei todos os ingredientes que estavam faltando, e vim feliz para casa para passar algumas horas fazendo o que eu mais queria naquele dia: ficar na cozinha.
A receita é fácil, mas exige uma certa paciência para abrir, rechear, fechar e pincelar todas as massinhas. Afinal, o resultado valeu à pena, pois as esfihas ficaram lindas e deliciosas como mostram as fotos. E então, alguém se anima?

Para a massa:

Ingredientes:
10 gramas de fermento biológico em pó
1 copo de leite desnatado morno
120 ml de óleo de canola (aprox. 1/3 de um copo americano)
2 colheres de sopa de manteiga
2 ovos inteiros
4 xícaras de farinha de trigo especial
1 colher de café de sal
1 pitada de açúcar
1 gema para pincelar a esfiha
Prepare assim:
Adicione todos os ingredientes em um recipiente e misture bem com as mãos até perceber que a massa está desgrudando com facilidade dos dedos, continue amassando-a e se achar necessário, acrescente mais farinha de trigo aos poucos, até perceber que está no ponto desejado.
Faça pequenas bolinhas e acomode-as sobre um guardanapo de pano. Quando toda a massa estiver separada em bolinhas, cubra-as com outro guardanapo e deixe-as descansando por aproximadamente 1h30m.
Enquanto isso prepare o recheio:
800grs de carne bovina crua moída
1 cebola grande picada
2 tomates grandes picados com pele e sementes
1 maço de salsinha picada
pimenta-do-reino à gosto
suco de 1 limão
sal à gosto
4 colheres de sopa de azeite extravirgem
Misture bem todos os ingredientes do recheio e passe para um escorredor, pois o tempero formará um líquido que deverá ser desprezado para evitar que as esfihas fiquem muito úmidas e se abram no forno. Aguarde aproximadamente 30 min e comece a rechear as esfihas após o tempo de descanso da massa.
Abra as bolinhas uma a uma formando discos, quanto mais fina você conseguir deixar a massa mais leve e delicada ficará sua esfiha após assada. Mas tome um certo cuidado, pois se a esfiha ficar muito fina ela se rasgará quando você recheá-la e fechá-la. Vá recheando as esfihas uma a uma, colocando duas colheres de sopa do recheio, aproximadamente, para cada esfiha. Para fechar as esfihas, feche-as juntando a borda da massa formando um triângulo, una os lados da esfiha, pressionando bem a massa da borda com os dedos. O centro da esfiha deverá ser a junção das 3 partes do triângulo, tente centralizar o recheio, use-o como delimitador.
Utilize uma assadeira com teflon ou uma assadeira comum forrada com papel manteiga para assar as esfihas. Antes de assar as esfihas, pré-aqueça o forno a 190º por 15 min. e pincele toda a face superior das esfihas com uma gema, batida com um dedo de óleo de canola, isto ajudará as esfihas a ficarem com uma aparência mais dourada.
Asse as esfihas por aproximadamente 20 minutos, ou até que conclua que estão douradas a seu contento.
Tire do forno e delicie-se.
Dica: Uma receita rende aproximadamente 32 esfihas de tamanho médio.
Dica 2: Para fazer de aperitivo, faça tamanhos menores.
Dica 3: Modifique o recheio utilizando chicória crua em tirinhas temperada com limão, pimenta, cebola, tomate e sal. Deixe a mistura escorrer o líquido e recheie as massas com formato diferente das esfihas de carne para diferenciá-las. Uma sugestão é o formato de meia-lua, parecido com o das famosas empanadas argentinas.(foto)

Bon Apettit!!
Fabiana Pinfildi

Focaccia Crocante com Alecrim

Postado em Entradas - 24 de julho de 2009

Focaccia Crocante ou Pizza Branca, é uma fatia fina de pizza temperada com sal grosso e alecrim, servida como couvert nos restaurantes italianos. A massa é a de uma pizza normal, aberta bem fina e salpicada com sal grosso e alecrim, parmesão ou gorgonzola. A massa é colocada no forno e assada normalmente. O nome pizza branca é porque não leva tomate.Ingredientes: 25 g de fermento em tablete, 1 kg de farinha de trigo especial 1 colher (sopa) de açúcar, 300 ml de água morna, aproximadamente 75 ml de leite 2 colheres (sopa) de azeite 1 colher (chá) de sal.

Como preparar: Dissolva o fermento em um pouco de água morna. Coloque sobre a mesa 750 g da farinha, faça um vão no centro e coloque ali o fermento diluído e o açúcar. Acrescente a água, o leite, o azeite, o sal e misture bem até obter uma massa lisa e homogênea. Se necessário, adicione a farinha restante, até a massa soltar das mãos. Divida a massa em 6 bolas (cada bola é uma pizza) e deixe descansar por 1 hora tampada com um guardanapo. Abra cada bola com um rolo, numa massa bem fina, num diâmetro de cerca de 30 cm. Asse em forno à lenha bem quente, por cerca de 2 a 3 minutos, até a borda que está próxima do fogo dourar. Se não tiver forno à lenha, use o forno convencional em temperatura acima de 180°. Gire para assar por igual. Retire do forno. Sirva em seguida.

Continue Lendo …