Nhoque de Ricota com Espinafre sem Glúten

Postado em Clássicos, Comfort Food, Fácil, Light, Massas e Pizzas, Pratos Principais, Receitas Especiais (s/ Glúten/Lactose), Receitas Italianas, Vegetarianas - 08 de novembro de 2016

gnocchi-de-ricota-com-espinafre_figos-funghis

Eu simplesmente AMO massas, de todos os tipos e formas, das secas às frescas, das longas às curtas e recheadas, mas vamos combinar que as massas não são exatamente amigas da boa forma, e eu confesso que minha vontade era comer massa todos os dias, mas se eu fizesse isso não teria coragem de me olhar no espelho de tão roliça que iria ficar…hahahahaha.

 

Para resolver (ou amenizar) este obstáculo eu fico procurando opções mais saudáveis e com menos calorias mas que dão conta de tapear o meu apetite italiano voraz, ao menos em dias de semana. Foi assim que surgiu a ideia de fazer este nhoque de ricota com espinafre – que eu adooooro – com farinha de arroz em substituição à farinha de trigo, e em pouca quantidade já que eu preparei o nhoque no VAPOR! E pausa para o assassinato da receita original, porque eu nunca vi ninguém preparar nhoque no vapor…ops, foi mal italianos, me perdoem. Mas tem um motivo, explico: a farinha de arroz não dá a mesma liga que a farinha de trigo dá na massa, e sendo assim quando você tenta colocar o nhoque feito com farinha de arroz na água ele simplesmente se desmancha todinho. Acredite em mim, eu testei antes de ter certeza. Já no vapor eles se mantém assim, redondinhos e lindos, exatamente no formato que você quiser.

 

Esta receita aqui também não leva batata, o que faz dela uma campeã em calorias reduzidas combinada com deliciosidade pura!!! Então pode se jogar porque é sem peso na consciência. Eba! E se você é um ser superior que não precisa se preocupar com a balança, basta fazer a receita tradicional, usando farinha de trigo comum no lugar da farinha de arroz, e para dar mais liga e maciez pode adicionar 2 batatas asterix (que devem ser cozidas com a casca e depois amassadas e aguarde esfriar para misturar ao restante da massa) na receita. Minha bisavó fazia assim, ela era rechonchuda e não ligava para a balança, mas eram outros tempos.

gnocchi-de-ricota-com-espinafre2_figos-funghis

NHOQUE DE RICOTA COM ESPINAFRE SEM GLÚTEN

(serve 4 pessoas)

Ingredientes:

  • 1 xícara (chá) de ricota fresca ralada, amassada ou esfarelada
  • 1 xícara (chá) de espinafre cozido no vapor
  • 2 colheres (sopa) generosas de farinha de arroz (ou outra de sua preferência)
  • 2 ovos
  • 3 colheres (sopa) de parmesão ralado (opcional, pode substituir por meia cura ou não usar)
  • 1 fio de azeite
  • sal a gosto

Modo de Preparo: Depois de cozinhar o espinafre no vapor esprema bem com as mãos até retirar o máximo de líquido possível das folhas e pique bem pequeno. Em uma tigela misture a ricota amassada com o espinafre picado, os ovos, o azeite, o parmesão e o sal. Em seguida junte a farinha de arroz e misture bem. Molde bolinhas com as mãos e ajeite-os em uma assadeira. Leve para firmar na geladeira por uns 15 a 30 minutos. Depois coloque sobre a cesta de uma panela de vapor e cozinhe no vapor sobre água fervente por 10 minutos. Retire e sirva com o molho de tomates mais caseiro, fresquinho e pedaçudo que puder preparar. Este molho é facílimo e você encontra a receita dele aqui ó:  “Molho de Tomates Express”

 

gnocchi-de-ricota-com-espinafre3_figos-funghis

 

Bom Apetite!

Molho Branco Falso ou Molho Branco de Couve-flor

Postado em Dicas, Fácil, Gastronomia Funcional, Light, Massas e Pizzas, Molhos, Pratos Principais, Receitas de 30 minutos, Receitas Especiais (s/ Glúten/Lactose), Receitas Rápidas, Vegetarianas - 05 de setembro de 2016

Molho Branco Falso_F&F

Eu já falei aqui outras vezes que sou totalmente apaixonada por couve-flor né? Mas também pudera, além de ser um vegetal muito saboroso tem também diversas qualidades nutricionais pois é rica em cálcio, fósforo e Vitamina C. Por outro lado a couve-flor quase não tem calorias pois não tem nada de gordura e o carboidrato contido nela é baixíssimo, o que faz dela um vegetal maravilhosamente versátil. Em casa todos amam! Gosto de preparar desde saladas e vinagretes a sopas, versões gratinadas, curry vegetariano, arroz falso de couve-flor, tabule de couve-flor (usando aquele “arroz de couve-flor” no lugar do trigo), purê de couve-flor e até hambúrguer vegetariano de couve-flor! Prova disso é que aqui no blog tem infinitas receitas com ela.

 

Dessa vez eu quis testar fazer a couve-flor como um molho bem cremoso e denso, para usar como molho de macarrão como se fosse um molho branco, e para isso eu usei o mesmo princípio de quando eu faço sopa cremosa de couve-flor, ou aquele molho pesto de brócolis que eu já ensinei aqui, deixando mais grosso e menos líquido. Já vi uma versão parecida em blogs gringos, mas todas usavam queijo parmesão ou outro queijo cremoso, o que para a minha finalidade – que queria um molho com quase nada de calorias – não servia. Decidi então cozinhar apenas os floretes de couve-flor no leite (pode ser leite zero lactose ou até mesmo leite vegetal) com um refogado bem perfumado de cebolas, alho, noz-moscada (tem algo que remeta mais a molho bechamel do que noz moscada gente?!) e no final processei tudo e tinha um “molho branco falso” absurdamente delicioso, cremoso e viciante para o meu macarrão integral. Se você estiver numa dieta brava daquelas que não pode nem pensar em chegar perto de macarrão esta mesma receita rende uma sopa de couve-flor divina para até 4 pessoas.

Molho Branco Falso montagem_F&FMolho Branco Falso montagem2_F&F

Com este mesmo “molho branco falso” e amigo da dieta você pode fazer receitas gratinadas, deixar o creme mais grossinho (usando menos leite) e fazer um purê para servir com alguma carne, enfim, dá pra usar bem a criatividade e usar o molho branco de couve-flor em tudo o que você usaria o clássico bechamel. Olha que maravilhosidade, uma receita magrinha, mega fácil de preparar e ainda por cima sem glúten e sem lactose, ou seja,uma receita para todos. Faz e depois me conta o que você achou, tenho certeza que esta receita vai virar figurinha fácil na sua cozinha assim como virou na minha.

Molho Branco Falso2_F&F

MOLHO BRANCO FALSO OU MOLHO BRANCO DE COUVE-FLOR

(rende 500g)

 

Ingredientes:

  • 2 pés de couve-flor pequenos ou 1 grande (somente os floretes)
  • 2 e 1/2 xícaras (chá) de leite desnatado sem lactose (ou outro de sua preferência) quente
  • 1 cebola bem picada
  • 2 dentes de alho bem picados
  • 2 colheres (sopa) de azeite
  • 1 pitada generosa de noz-moscada
  • pimenta moída a gosto
  • sal a gosto
  • 1 colher (sobremesa) de manteiga ghee

 

Modo de Preparo: Aqueça brevemente o azeite em uma panela e coloque a cebola para refogar. Quando começar a ficar transparente junte o alho (para esta receita não é necessário dourar a cebola). Enquanto isso retire somente os floretes do pé de couve-flor e pique-os em pedaços pequenos (não precisa fazer o arroz de couve-flor porque depois iremos processar tudo). Junte na panela do refogado de cebola e alho e rale uma boa quantidade de noz-moscada, sal e pimenta seca. Junte o leite quente, mexa, tampe e deixe cozinhar em fogo brando por 10 minutos. Enquanto isso cozinhe a massa em bastante água com sal. Retire a couve-flor do fogo e processe com um mixer ou jogue tudo dentro de um processador ou liquidificador. Bata bem até obter um creme denso e homogêneo. Se achar necessário pingue um pouco mais de leite quente até conseguir o ponto de molho branco. Escorra a massa e sirva com o molho branco de couve-flor. Se quiser reserve por até 2 dias em pote tampado na geladeira para usar em outras receitas.

 

Molho Branco Falso3_F&F

Bom Apetite!

 

E não se esqueça, esta receita você viu primeiro aqui, no blog Figos & Funghis!

 

Homus de Beterraba

Postado em Antepastos, Comidinhas, Cozinha Árabe, Fácil, Gastronomia Funcional, Light, Petiscos, Receitas Especiais (s/ Glúten/Lactose), Receitas Rápidas, Restaurantes, Vegetarianas - 22 de agosto de 2016

Homus de Beterraba3_Blog Figos e Funghis

Eu já contei algumas histórias aqui que vivi e já compartilhei com vocês diversas receitas que aprendi com a minha bisavó paterna, que era libanesa e que eu tive o prazer de conviver até os meus 15 anos de idade. Ela era uma velhinha muito fofinha que tinha um sotaque árabe bem forte e que tinha verdadeiras mãos de fada, até hoje me lembro das suas valiosas dicas de cozinha e chego a sentir o sabor inigualável do seu quibe crú, das suas mezes (as famosas pastinhas árabes) e dos doces árabes na minha boca. Tudo o que ela fazia era mágico, e por sorte a minha bisavó também tinha um enorme coração, e ensinou pacientemente tudo o que sabia para as mulheres da família, incluindo a minha mãe que era apenas uma agregada…kkkk.

 

Mas não, este não é o homus que a minha bisavó preparava. O homus tradicional da cozinha árabe aprendido com a família já passou por aqui algumas vezes, mas este aqui é uma inovação que não vem da cozinha árabe mas sim da culinária saudável e funcional. Não, não fui eu quem inventou, mas eu amo beterraba, e a primeira vez que provei foi há alguns aninhos atrás no pequeno restaurante Sainte Marie no bairro do Morumbi. Comandado pelo fofo chef Stephan Kawijian – um francês/armênio muito querido e talentosíssimo – que proporciona aos seus visitantes uma comida árabe deliciosa e criativa, com um toque de modernidade e originalidade que torna daquele lugar um dos metros quadrados mais disputados de São Paulo em qualquer dia da semana (ele só não abre aos domingos). Desde então eu sempre quis tentar fazer em casa, mas quando ia preparar não tinha beterraba, aí acabava saindo o homus tradicional mesmo. Dessa vez me programei e deu tudo certo, e deste homus rendeu até uma outra receita que depois eu vou dividir com vocês.

Homus de Beterraba2_Blog Figos e Funghis

Por ora deixo aqui a receita desta delicia fresca, saudável e com uma cor tão vibrante que fascina até mesmo quem não gosta de beterraba.

 

HOMUS DE BETERRABA

(rende 500g de homus)

 

Ingredientes:

  • 4 xícaras (chá) bem cheias de grão-de-bico já cozido
  • 4 beterrabas médias cortadas ao meio
  • 2 dentes de alho
  • 2 colheres (sopa) de tahine (pasta de gergelim)
  • suco de 2 limões
  • 4 colheres (sopa) de azeite
  • 1/2 xícara (chá) da água do cozimento do grão-de-bico
  • pimenta moída e sal a gosto

 

Modo de Preparo: Cozinhe o grão-de-bico em água com folhas de louro e sal até que estejam macios. Escorra e deixe esfriar, guardando 1 xícara de chá da água do cozimento. Cozinhe as beterrabas com a casca em água até que estejam macias, depois deixe esfriar e descasque-as. Corte as beterrabas em cubos. No processador junte o grão-de-bico, as beterrabas, a tahine, o azeite, o sal e a pimenta e bata até obter uma pasta bem grossa. Pingue a água reservada do cozimento do grão-de-bico aos poucos até obter a consistência desejada. A pasta tem que ser cremosa, mas ainda firme. Por fim junte o suco dos limões e bata novamente. Na hora de servir transfira para pequenos bowls, regue com azeite, enfeite com ervas frescas (o tomilho combina muito com beterraba), polvilhe mais pimenta e sirva com pão ou torradas. Esta pasta pode ser guardada em vidros com tampa e armazenada em geladeira por até 3 dias.

Homus de Beterraba4_Blog Figos e Funghis

E aí, gostaram? Além de super saudável esta pastinha é também muito versátil, pois pode servir como recheio de sanduíches, complemento de saladas ou ainda acompanhada de crudités, como neste receita que eu já mostrei AQUI. Sem contar que dá um visual incrível em qualquer mesa de petiscos, não acham?!

 

Aproveitem! Beijo!

 

 

Hambúrguer Vegetariano de Couve-flor

Postado em Comidinhas, Comidinhas da Oli, Cozinhando para os Pequenos, Dicas, Fácil, Gastronomia Funcional, Light, No forno, Petiscos, Receitas Especiais (s/ Glúten/Lactose), Receitas Rápidas, Vegetarianas - 08 de agosto de 2016

Mini hambúrguer vegetariano de couve-flor2_F&F

Eu cresci achando que hambúrguer era exclusivamente feito de carne vermelha, mas depois fui descobrindo novas possibilidades e percebi que praticamente qualquer combinação saborosa e que tenha liga para ser modelada pode virar um delicioso hambúrguer, inclusive combinações vegetarianas. Este hambúrguer vegetariano de couve-flor com tofu eu inventei um dia desses com o objetivo de apresentar novos sabores para a Olivia e ainda ganhar uma versão light de uma comidinha muito gostosa. Acho que nos dias de hoje em que há uma diversidade tão grande de dietas e em que cada um tem a incrível liberdade de escolher o que quer ou não comer fica piegas ser preconceituoso e dizer que hambúrguer é só de carne! De qualquer forma, se você quiser pode chamar esta receita de bolinhos de couve-flor light que também serve, afinal ficam ótimos se forem servidos como petisco junto de um molhinho de tahine, por exemplo.

 

E hoje como é segunda-feira, para prestigiar o movimento da Segunda Sem Carne – ao qual eu simpatizo muito – eu decidi compartilhar com vocês esta delicinha. Se você gosta de couve-flor vai adorar, se você não é tão fã assim eu digo que meu marido quando provou não conseguiu descobrir do que era feito. Se você é intolerante ao glúten ou é adepto a uma alimentação sem glúten também vai ficar feliz em saber que esta receita não tem glúten. Eu também preferi prepará-los no forno em vez de grelhar pois como era a primeira vez que estava fazendo esta receita queria ver como a massa iria se comportar no forno, e gostei muito do resultado. Achei que ficaram leves, macios mas não se desfazendo, e com um sabor bem bom. Provei no meio do pão como sanduíche e provei também com saladinha. Para a Olivia eu servi com arroz integral, lentilhas e purê de batata-doce. Ela amou!

 

Agora, você, que é mãe, e que está sempre em busca de uma alimentação saudável para o seu filhote, me diz se não é uma maravilha ter uma receitinha assim tão versátil em mãos? Ah, e ainda digo mais, dá pra usar a criatividade e com esta mesma base ir trocando os ingredientes. Por exemplo, se você (ou seu filhote) não curte muito couve-flor pode substituir por brócolis, por abobrinha, por abóbora ou por batata-doce mesmo. Já testei com estas combinações em outras ocasiões e também ficou mara!

Mini hambúrguer vegetariano de couve-flor_F&F

HAMBÚRGUER VEGETARIANO DE COUVE-FLOR E TOFU

(rende 12 unidades pequenas ou 4 grandes)

Ingredientes:

  • 1 pé pequeno de couve-flor sem os talos
  • 100g de tofu (prefiro o firme, mas pode ser o soft também)
  • 2 ovos
  • 3 colheres (sopa) bem cheias de farinha de mandioca fina (se preferir use aveia ou farinha de trigo integral)
  • 1 fio de azeite
  • 1/2 xícara (chá) de beterraba ralada (pode substituir por cenoura)
  • 1 pitada de páprica defumada
  • sal a gosto

 

Modo de Preparo: Elimine o máximo dos talos da couve-flor e pique-as bem miúdas como se fosse fazer um “arroz de couve-flor” (se quiser use o processador no modo pulsar até obter o tamanho desejado). Espalhe o arroz de couve-flor em um refratário e leve ao micro-ondas por 3 minutos, retire, mexa e torne ao micro-ondas por mais 3 minutos. Retire e deixe esfriar. Amasse o tofu e coloque em um bowl. Junte com o arroz de couve-flor, o azeite, o sal e a páprica e misture bem. Junte os ovos e torne a misturar até que estejam totalmente incorporados na massa. Adicione a farinha de mandioca e misture novamente. Por fim junte a beterraba ralada picadinha e misture novamente. Modele hambúrgueres grandes ou mini hambúrgueres, dependendo de como pretende usá-los. Leve ao forno preaquecido por 20 minutos ou até que estejam dourados. Sirva em seguida bem quentinhos.

Mini hambúrguer vegetariano de couve-flor3_F&F

Espero que tenham gostado da receita, e se fizerem voltem aqui pra me contar o que acharam ok?

 

Quem ainda não sabe eu estou lá no Instagram (@figosefunghis) esperando vocês, sempre com novidades deste delicioso universo da comida boa :)

 

Beijo!

 

Bolo Cremoso de Milho de Liquidificador

Postado em Bolos, Clássicos, Comfort Food, Comida de Fazenda, Comidinhas da Oli, Doces, Fácil, Gastronomia Funcional, No forno, Receitas Especiais (s/ Glúten/Lactose), Receitas Rápidas - 29 de junho de 2016

Bolo Cremoso de Milho de Liquificador capa_Blog Figos & Funghis

Um dos meus bolos preferidos é o bolo de milho, tanto que ele já passou algumas vezes por aqui, mas me dei conta de que esta versão com coco fresco e que fica bem cremosão por dentro, típica das festas juninas ainda não tinha sido publicada, apesar de ser a preferida do marido e eu fazer todos os anos quando começam a surgir as espigas fresquinhas e amarelinhas nas prateleiras do hortifruti. Esta receita é boa pra fazer com milho da espiga, pois o sabor é realmente diferenciado. Outra razão para eu amar esta receita é que ela é muito prática, pois todos os ingredientes são misturados direto no liquidificador! Quer coisa mais fácil que isso?!

 

Também gosto muito desta receita pelo fato de ela não ser exagerada no doce. Já vi muitas receitas que levam leite condensado misturado com açúcar (!!!), e outras que as quantidades de açúcar são absurdas. Eu não gosto de bolo muito doce, gosto de doce na medida certa, bem equilibrado e que torna possível sentir o sabor dos outros ingredientes, além do fato de que eu doso bastante o açúcar para a Olivia, e como tudo o que se faz em casa ela come você pode confiar que esta receita é o mais saudável possível e dar aos seus filhos também. Nesta receita aqui não vai leite condensado e vai açúcar na quantidade ideal para um bolo deste tamanho, e você pode usar açúcar demerara ou o açúcar cristal orgânico que foi o que eu usei aqui. O leite de coco você pode usar o de garrafinha, mas se tiver paciência para fazer o seu próprio leite de coco o resultado será ainda melhor. Concordo que em dias de correria fica complicado preparar, eu mesma quase não arranjo tempo para isso, então aqui eu usei o leite de coco comprado pronto mesmo. Esta receita também não contém glúten, porque utilizo farinha de milho, então se você ou seu filho tiver intolerância ao glúten pode consumir sem preocupação.

 

Gente, é sério, depois deste bolo você não vai querer mais nenhuma outra receita de bolo de milho, porque esta aqui é apenas perfeita (modesta né?! kkkk), mas é verdade, quando eu cheguei nesta versão aqui eu fiz vários testes com várias outras receitas que eu tinha (desculpa aí mãe!), mas fui aumentando uma coisinha daqui, diminuindo outra dali e agora esta é a minha receita de bolo de milho do coração, espero que se torne a sua também!

 

BOLO CREMOSO DE MILHO DE LIQUIDIFICADOR

(rende aproximadamente 12 fatias ou quadrados)

 

Ingredientes:

  • 3 espigas de milho verde (ou o conteúdo drenado de 1 lata ou caixinha)
  • 4 ovos
  • 1 xícara (chá) de leite de coco
  • 1/2 de xícara (chá) de leite (se usar leite vegetal ou zero lactose terá um bolo também sem lactose)
  • 3 colheres (sopa) cheias de óleo de coco ou manteiga em ponto de pomada
  • 1 xícara (chá) de açúcar
  • 1 xícara (chá) de mistura para polenta (farinha de milho pré-cozida)
  • 1 colher (sopa) de fermento químico em pó
  • 1 pitada de sal
  • 1 xícara (chá) de coco fresco ralado (ou coco desidratado deixado de molho em água morna por 20 minutos e depois drenado)
  • lascas de coco fresco para finalizar (opcional)

 

Bolo Cremoso de Milho de Liquificador 3_Blog Figos & Funghis

Modo de Preparo: Unte uma assadeira redonda – eu usei uma assadeira redonda de fundo removível – ou retangular com manteiga e depois polvilhe farinha de sua preferência (de trigo, de arroz, de milho ou de aveia). Preaqueça o forno a 200º. Com uma faca afiada retire os grãos de milho das espigas. No liquidificador coloque o leite de coco, o leite, o milho, os ovos, o açúcar, o sal, o óleo de coco (ou manteiga), o coco fresco ralado e a mistura para polenta e tampe. Bata até obter um creme homogêneo. Por fim junte o fermento químico em pó e bata rapidamente. Se quiser e estiver usando as lascas de coco misture-as com uma espátula à massa do liquidificador. O visual fica lindão. Despeje o creme na assadeira untada e enfarinhada e leve para assar por 30 minutos, ou até que a superfície esteja douradinha. Retire o bolo do forno, espere esfriar e desenforme.

Bolo Cremoso de Milho de Liquificador_Blog Figos & Funghis

Delicia demais né?!!! Eu amo esta época do ano porque além de ser época de milho de verdade é também a época das festas juninas e suas deliciosas comidinhas típicas! :)

 

Veja mais esta receita de bolo de milho:

Bolo de Milho e Coco com Calda Quente de Goiabada

 

Se fizer volta aqui e me conta, combinado?!

 

Beijo!

 

Pudim de Chia com coco, damasco e nozes

Postado em Comfort Food, Comidinhas, Comidinhas da Oli, Doces, Fácil, Frutas, Gastronomia Funcional, Light, Receitas Especiais (s/ Glúten/Lactose), Sobremesas - 25 de maio de 2016

Pudim de chia web_Blog Figos & Funghis

Oi gente, tudo bem?! Hoje eu trouxe para dividir com vocês uma receitinha muito fácil e muito deliciosa também, que faz parte da rotina daqui de casa, quase sempre no café da manhã, por ser ao mesmo tempo saudável e saborosa. O pudim de chia é super nutritivo e o mais bacana desta receita é que você pode sempre manter a mesma base e mudar as frutas colocando o que mais gostar. Aqui todos amamos, inclusive a Olivia que não dispensa uma comidinha diferente, ela ama comer e come de tudo (amém!).

 

Antes desta versão eu sempre via receitas de pudim de chia preparado com leite de coco, mas quando fazia achava pesado, com sabor muito forte, até que resolvi usar água de coco e iogurte grego em vez de leite de coco, achei que o sabor do iogurte seria mais agradável e mais neutro do que o leite de coco. Aí que eu fiquei mega feliz quando descobri depois de tirar o “docinho” da geladeira que o pudim tinha a consistência que eu queria, e depois de provar achei honestamente esta versão mil vezes melhor do que a versão com leite de coco. Estou querendo provar com algum leite vegetal, de amêndoas talvez, acho que vai ficar bom!

 

Bem, o importante é testar a receitinha e curtir um pudim geladinho de chia no café da manhã, como lanchinho pra levar no trabalho e até mesmo como sobremesa de um jantar com pegada mais light ;) Quem fizer vem aqui e me conta, por favor??!!

 

PUDIM DE CHIA COM COCO, DAMASCO E NOZES

(rende 4 porções)

 

Ingredientes:

  • 1 xícara (chá) de iogurte grego sem açúcar
  • 1/2 xícara (chá) de água de coco
  • 4 colheres (sopa) de coco ralado (de preferência fresco)
  • 3 colheres (sopa) de néctar de agave ou mel
  • 4 colheres (sopa) de chia
  • 1 colher (sopa) de farelo de aveia (ou flocos de quinoa para uma versão sem glúten)
  • 3 colheres (sopa) de nozes picadas
  • 8 damascos picados
  • coco ralado e nozes para finalizar

 

Modo de preparo: Coloque as nozes e os damascos picados separadamente de molho em água fria filtrada. Em uma tigela misture o iogurte com o mel e a água de coco e bata com um fouet até obter uma consistência cremosa, homogênea e leve, quase aerada. Adicione o coco ralado, as sementes de chia, a quinua em flocos (ou farelo de aveia) e misture delicadamente. Escorra as nozes e os damascos e seque levemente com papel toalha. Distribua no fundo de 4 potes e preencha a parte de cima com a mistura de chia com iogurte.  Finalize polvilhando um pouco de coco ralado e uma noz inteira em cada pote. Feche com a tampa se estiver usando pote que tenha uma, ou cubra com filme plástico. Leve para gelar por ao menos 3 horas e sirva gelado. Delicinha viciante <3

 

Bom Apetite :)

 

Pudim de Chia web2_Blog Figos & Funghis

 

Já sabem né? Tô lá no Instagram (@figosefunghis), no SNAPCHAT (Fabi Pinfildi) e no Facebook (/figosefunghis). Acompanhem!

 

Bolinho de Arroz sem Glúten – facílimo de fazer!

Postado em Arroz, Clássicos, Comfort Food, Comidinhas, Dicas, Entradas, Fácil, Gastronomia Funcional, Petiscos, Receitas de 30 minutos, Receitas Especiais (s/ Glúten/Lactose), Receitas Rápidas, Vegetarianas - 18 de abril de 2016

Bolinhos de Arroz sem Gluten_F&F

Eu sou simplesmente apaixonada por bolinho de arroz desde que me entendo por gente. Bom, na verdade eu sou apaixonada por arroz, qualquer um deles, e quando tenho a possibilidade de transformar aquele arroz simples que sobrou na geladeira em deliciosos bolinhos crocantes por fora e macios por dentro eu não desperdiço não!

 

Por outro lado, como vocês bem sabem eu não tenho o hábito de fazer frituras em casa, e sempre que posso adapto a receita para prepará-la no forno, mas como tudo na vida tem suas exceções dessa vez eu me rendi ao pedido dos amigos durante o feriado de Páscoa que passamos juntos e preparei os bolinhos fritos mesmo, mas sem peso na consciência, porque se eu vou sair da rotina e dar uma pisadinha na jaca acredito que preciso no mínimo ter prazer com isso! Bolinhos de arroz estão entre as únicas 5 receitas que eu não resisto preparadas fritas. Feriado na praia entre amigos e uma cozinha super equipada foram motivos suficientes para que eu me enfiasse na cozinha (por sorte tínhamos uma ajudante na casa e tenho 2 amigos na turma que também gostam de cozinhar. Sim, homens, a mulherada por ali não curte muito pilotar um fogão…kkkk), e numa dessas aventuras decidi preparar os bolinhos de arroz para petiscarmos antes do almoço, mas quando já estava preparando a massa descobri que tínhamos apenas farinha de mandioca na despensa, e nenhuma outra alternativa, se não dirigir até o mercado mais próximo, pegar 1 hora de fila para passar a compra, mas esta de fato não era uma alternativa, se não os bolinhos para petisco virariam bolinhos para o café da tarde. Resolvi arriscar e fui de farinha de mandioca mesmo, e não é que o resultado foi incrível?! Gente, vocês não acreditam que delicia, os bolinhos preparados com farinha de mandioca demoram um pouco mais para fritar e formam uma camada de espuma na superfície enquanto fritam, mas quando ficam prontos ficam leves, crocantes por fora e macios por dentro, muito saborosos e por não ter glúten mesmo sendo fritos não deixam o estômago pesado. Eu amei, os amigos amaram e agora em casa só vai ter bolinho de arroz sem glúten. Adoro quando os imprevistos proporcionam descobertas :)

 

Da próxima vez que fizer vou tentar deixar a massa mais consistente para fazer no forno, mas aí é uma outra experiência que eu venho contar pra vocês depois. E me desculpem pela foto – a única – que tirei dos bolinhos prontos. Eles acabaram tão rápido que não consegui fazer mais nada a não ser salvar alguns para não ficar sem…hahahaha.

 

 

RECEITA DE BOLINHO DE ARROZ SEM GLÚTEN 

(rende aproximadamente 25 unidades)

 

Ingredientes:

  • 4 xícaras (chá) de arroz branco pronto
  • 4 ovos
  • 2/3 de xícara (chá) de farinha de mandioca fina
  • 1 tomate sem sementes bem picado
  • ½ cebola bem picada
  • 1 dente de alho triturado ou ralado
  • ½ xícara (chá) de cheiro verde picado
  • 150g de queijo parmesão ralado (se quiser os bolinhos sem lactose use queijo sem lactose, mas use um bem firme)
  • 1 fio de azeite
  • Pimenta e sal a gosto
  • Óleo de girassol para fritar (ou outro de sua preferência)

 

Modo de Preparo: em uma tigela coloque o arroz, faça um buraco no meio e quebre todos os ovos. Depois junte o cheiro verde picado, o queijo parmesão, a cebola, o tomate, o alho, o azeite e misture novamente. Adicione pimenta a gosto (ou pimenta fresca picada ou pimenta seca moída), sal se achar necessário e misture novamente. Por fim adicione aos poucos a farinha de mandioca até dar liga, talvez precise de mais farinha, talvez de menos farinha, depende do tamanho dos ovos que estiver usando. Coloque óleo suficiente na panela para fritar todos os bolinhos (para esta quantidade da receita usei 1 litro) e deixe aquecer bem, até fazer o teste do palito de fósforo e ele acender no óleo (ou então coloque apenas uma pontinha da massa no óleo, se borbulhar rapidamente é porque está no ponto certo). Com a ajuda de duas colheres de sopa – coloque uma porção em uma colher e aperte com a outra, modele os bolinhos e vá colocando no óleo. Frite dos dois lados até dourar (forma um pouco de espuma por cima dos bolinhos por causa da farinha de mandioca, mas é normal), depois escorra o máximo que conseguir de gordura em papel absorvente e sirva com salsinha fresca picada por cima.

 

Dicas:

1) A proporção sempre será de 1 xícara de arroz para 1 ovo se quiser fazer mais ou menos bolinhos.

2) Você também pode picar ou ralar outros tipos de queijo e misturar na massa, ou até mesmo rechear com cubinhos de queijo. Para preparar uma versão sem lactose basta substituir o queijo parmesão por um queijo sem lactose de massa firme.

 

Bom Apetite!

 

Salada de Soja Thai

Postado em Comidinhas, Fácil, Light, Receitas de 30 minutos, Receitas Especiais (s/ Glúten/Lactose), Receitas Rápidas, Saladas, Thai, Vegetarianas - 18 de agosto de 2015

Salada de soja Thai

Como disse um amigo meu esses dias, o nosso inverno este ano caiu numa quarta-feira…hahahahha. Pois é né gente, de fato nosso inverno foi um tanto quanto ameno e mal deu pra fazer todas as receitas de sopas, cremes e caldos que eu havia planejado. Bom, hoje mesmo ainda estamos oficialmente em pleno inverno e está fazendo 24 graus lá fora. Temperatura gostosa, mas nem de longe dá pra tomar sopa ou preparar um fondue :(

 

Então o jeito é retomar as receitas leves, as saladas, as tortinhas frias, os sanduíches e dar o inverno por encerrado, a não ser que surja uma linda frente fria só para termos desculpas e preparar um delicioso minestrone. Enquanto isso não acontece eu uso e abuso das saladas, e adoro descobrir novas combinações e temperinhos pra não cair na mesmice. E foi nessa minha gula eterna que eu pensei em fazer uma salada com a soja texturizada em vez de usá-la em pratos quentes naquela mais que óbvia função de “carne moída” e o resultado foi uma saladinha colorida, fresca e super saborosa com inspiração Thai. Muitos falam super mal da soja e dizem que ela é maligna, mas como não sou nutricionista não vou entrar nessa questão, até porque eu imagino que seja necessário consumir quantidades absurdas de soja para que ela faça mal a alguém, se é que faz mesmo.

 

Fato é que eu adoro esta sojinha texturizada, aliás, tem uma receita liiiiinda de Quibe vegetariano aqui no blog preparada com ela e que o povo ama cai de amores. Confira a receita dele AQUI! Por hora, fiquem com a receita desta saladinha super delicia:

 

SALADA DE SOJA THAI

(serve até 6 pessoas)

 

Ingredientes:

  • 2 e 1/2 xícaras (chá) de proteína de soja granulada
  • 4 xícaras (chá) de água fervente
  • 1 cebola roxa picada em cubinhos pequenos
  • 1 cenoura grande descascada e ralada
  • 1/2 lata de milho verde
  • 1 colher (sopa) de pasta de amendoim
  • 4 colheres (sopa) de azeite
  • suco de 1 limão
  • 3 colheres (sopa) de coentro fresco picado
  • 3 colheres (sopa) de salsa fresca picada
  • pimenta a gosto
  • sal a gosto

 

Modo de Preparo: Coloque a soja granulada ainda seca dentro de um bowl e regue com a água fervente apenas até cobrir. Tampe o bowl com um prato e deixe descansar por 10 minutos. Passe a soja já hidratada para um escorredor de massa e aperte bem com as mãos para retirar o máximo de água que conseguir. A proteína de soja parece uma esponjinha, absorve muito líquido, então pressione bastante! Depois retorne a soja para o bowl e misture a cenoura ralada, o milho e reserve. Em outro bowl menor coloque a pasta de amendoim, o azeite, o sal, o suco de limão, a cebola roxa picadinha e as ervas e misture muito bem até obter um molho homogêneo. Ajuste o sal e a pimenta do molho e regue a salada com ele. Finalize com mais coentro e salsa fresca picados e sirva em seguida.

 

Dica: Se quiser preparar esta salada com antecedência ela vai ficar ainda mais saborosa depois de um tempinho coberta e resfriando na geladeira. Dá pra fazer até de um dia para o outro.

Salada de soja Thai2

 

Bom Apetite!!

 

Biscoitos funcionais de castanhas com geleia

Postado em Comidinhas, Doces, Fácil, Gastronomia Funcional, Light, No forno, Receitas Especiais (s/ Glúten/Lactose), Receitas Rápidas - 20 de outubro de 2014

Petit-four-funcional1_FF

Desde que eu fui apresentada à gastronomia funcional há alguns anos atrás pelo meu amigo Marcelo Facini, chef especialista na área, fiquei totalmente apaixonada por tantas possibilidades que as restrições ironicamente acabam proporcionando para as pessoas.

 

O fato é que embora eu não sofra nenhum tipo de intolerância alimentar eu sempre fui muito curiosa por aprender coisas novas sobre alimentação, sobretudo alimentação saudável. Aprendi que receitas funcionais não são boas apenas para quem tem intolerância, mas são maravilhosas para qualquer pessoa pois só fazem bem à saúde. É maravilhoso poder ter opções cheias de sabor mas sem conservantes, sem corantes e muitas vezes com baixíssimas calorias. E quando se tem filhos então, você só quer servir o melhor e mais saudável pra eles.

 

Estes biscoitinhos que eu também gosto de chamar de petit four funcionais nasceram desta minha curiosidade. Depois de procurar em muitos lugares diferentes e não encontrar uma receita de biscoitos que levasse muitas castanhas e zero açúcar, mas que não precisasse nem de ovos para dar liga na massa e alguns testes eu cheguei nesta receitinha deliciosa! Até eu me surpreendi com o sabor, a delicadeza e a textura crocante destes biscoitinhos, e fiquei muito feliz com o sucesso que eles fizeram entre os que tiveram a oportunidade de provar.

 

Como eu já mencionei, eles não levam açúcar nem adoçante na receita, pois são naturalmente adoçados com a pasta feita de tâmaras e ameixas secas preparada no processador de alimentos. Eles também não levam ovo, nem farinha de trigo e nem leite. A única gordura que eles tem é da manteiga de amendoim e do óleo de coco.

 

A receita é bem fácil de preparar, e fica pronta rapidinho, mas o uso do processador ou liquidificador é indispensável, principalmente para fazer a pasta de tâmaras e ameixas e para triturar as castanhas e amêndoas. Quando a massa está pronta para ser modelada a impressão que dá é que não vai dar liga, mas basta moldar o primeiro biscoito para ver que uma simples apertada entre as mãos faz com que a massa grude, e dá para enrolar como brigadeiro e servir cru, sem assar, se você quiser. Um acompanhamento muito saboroso e saudável para o café da manhã ou da tarde.

Petit four funcional2_F&F

 

BISCOITOS FUNCIONAIS DE CASTANHAS COM GELEIA

(rende 20 unidades)

 

Ingredientes:

  • 1 xícara (chá) de castanha de caju
  • 1 xícara (chá) de amêndoas com ou sem pele
  • 1/2 xícara (chá) de farinha de linhaça (pode ser farinha de amêndoas também)
  • 1/2 xícara (chá) de quinua em flocos
  • 1 xícara (chá) de pasta de tâmaras e ameixas secas* (veja abaixo como preparar)
  • 1/3 xícara (chá) de óleo de coco (ou de girassol)
  • 2 col (sopa) de manteiga de amendoim
  • 1 pitada de canela em pó
  • 1 pitada de sal
  • geleia à sua escolha o quanto baste (usei uma geleia diet sabor framboesa)

 

Modo de Preparo: Prepare a pasta de tâmaras e ameixas secas: triture no processador 1/2 xícara de chá de ameixas secas e 1/2 xícara de chá de tâmaras com 3 colheres de sopa de água e bata até conseguir uma pasta firme. Reserve. Triture grosseiramente a castanha de caju, e depois as amêndoas. Em um bowl misture a castanha de caju triturada, as amêndoas trituradas, a farinha de linhaça (ou de amêndoas se preferir), a quinua em flocos e mexa bem. Depois junte o óleo de coco, a pasta de tâmaras e ameixas, o óleo de coco, a manteiga de amendoim, a canela, o sal e misture bem com as mãos até obter uma massa semelhante a uma farofa úmida. Preaqueça o forno em 180º e modele os biscoitos fazendo bolinhas, depois achatando-as e fazendo uma cavidade no meio para colocar a geleia. Disponha todos os biscoitos sobre um silpat (aqueles tapetinhos de silicone próprios para assar), ou sobre uma assadeira antiaderente e preencha todos eles com a geleia da sua escolha. Leve para assar por 20 minutos, ou até que os biscoitos estejam dourados. Deixe esfriar fora do forno, de preferência sobre uma grade de resfriamento de biscoitos. Se quiser enfeite com amêndoas picadas. Sirva em temperatura ambiente.

Petit four funcional3_F&F

 

Bom Apetite!!!

 

Pão de Milho de Minuto, sem glúten

Postado em Comidinhas, Fácil, Massas e Pizzas, No forno, Pães e Tortas, Receitas de 30 minutos, Receitas Especiais (s/ Glúten/Lactose) - 15 de agosto de 2014

Pão de Milho_F&F

Há tempos que eu estava buscando uma receita nova de pão de milho, que fosse bem fácil e rápida de preparar, de minuto mesmo, para aqueles dias em que bate a vontade de comer um pão bem gostoso mas sem ter todo aquele trabalho. E para a minha alegria depois de alguns testes, esta receita aqui me deixou satisfeita, era mesmo o que eu queria!

 

O pão de milho, também conhecido como “cornbread” é uma receita muito tradicional nos Estados Unidos, típica da culinária sulista, mais precisamente, e lá as pessoas costumam comê-lo desde o café da manhã, acompanhado de queijos, manteiga e geleia, até o jantar acompanhado de sopas e ensopados. É uma receita bastante versátil e que pode ser incrementada adicionando-se ingredientes na cobertura, ou não. Tudo depende do gosto de quem prepara.

 

Eu testei este pão na versão com e sem glúten, e acho que as duas versões ficaram igualmente boas, então se você preferir a versão tradicional basta substituir a farinha de arroz por farinha de trigo. Coloquei tomatinhos, azeitona preta e flor de sal na superfície porque a minha intenção era servir no café da tarde. Olha, tenho que dizer que ficou muito bom, o único porém é que uma receita rende um pão pequeno, seja em fôrma de bolo inglês, seja em fôrma quadrada como a que eu usei. A minha tem 20cm x 20cm e o pão de milho ficou baixinho, então se você for servir pra muita gente eu recomendo dobrar ou até triplicar a receita, para render um pãozão!

Pão de milho2baixa_F&F

PÃO DE MILHO DE MINUTO, SEM GLÚTEN

(rende 1 pão de milho pequeno)

 

Ingredientes:

  • 1 xícara (chá) de farinha de arroz, peneirada
  • 1 xícara (chá) de farinha de milho fina
  • 1 colher (sopa) rasa de fermento químico em pó
  • 1/2 colher (chá) de sal
  • 2 ovos
  • 1 xícara (chá) de iogurte natural
  • 1/4 de xícara (chá) de azeite
  • 2 colheres (sopa) de mel
  • 2 colheres (sopa) de açúcar

 

Modo de Preparo: Preaqueça o forno em 190º. Unte e enfarinhe com a farinha de arroz uma fôrma de 20cm x 20cm (ou uma fôrma pequena de bolo inglês) e reserve. Em um bowl misture a farinha de arroz, a farinha de milho, o fermento, o sal e mexa bem. Em outro bowl bata os ovos com um garfo e misture o iogurte, os ovos, o azeite, o mel e o açúcar. Mexa até incorporar tudo. Adicione a misture líquida à mistura seca, despejando-a no centro do bowl. Misture tudo até todos os ingredientes secos estejam totalmente incorporados, mas não mexa muito, no máximo 20 segundos. Despeje a massa sobre a fôrma já untada e enfarinhada e asse imediatamente, em 190º por 25 minutos, ou até que passe pelo teste do palito e as bordas do pão tiverem começado a se soltar da assadeira. Sirva quente ou em temperatura ambiente, como preferir.

 

Bom Apetite!

 

Salpicão de Cenoura e Quinua

Postado em Comidinhas, Entradas, Fácil, Light, Receitas de 30 minutos, Receitas Especiais (s/ Glúten/Lactose), Receitas Rápidas, Saladas, Vegetarianas - 15 de maio de 2014

Salpicão de cenoura e quinua_F&F

Não, esta salada não tem frango desfiado, salsão picado ou maçã, mas eu decidi chamá-la de salpicão de cenoura porque ela fica com uma aparência de salpicão e o tempero deixa um sabor azedinho doce típico do salpicão. Olha, honestamente foi a melhor salada dos últimos tempos aqui em casa, e isto porque comemos salada quase diariamente. Sem contar que ela fica linda, com uma cor vibrante e se você colocar em potes de vidro transparentes vai valorizá-la ainda mais!

Sabe quando você abre a geladeira, abre a despensa e vai pegando coisinhas gostosas para juntar e dá sorte no resultado? Pois é, foi assim que nasceu o meu salpicão de cenoura, uma combinação divina na minha opinião. Tem o adocicado das cranberries, o crocante das amêndoas e da cenoura, a textura delicinha da quinua, a suavidade da lentilha vermelha e por aí vai, cada ingrediente contribuindo com o seu melhor…hahahaha

Bom, só sei que a salada foi pra levar no almoço de Dia das Mães, em menos de 30 minutos cozinhei a quinua e a lentilha, montei a salada e coloquei pra gelar enquanto me arrumava. Uma praticidade só! Fiz um bowl enorme para umas 10 pessoas e não sobrou nadinha, nadinha. Acho que todos gostaram porque já saí de lá com pedidos para colocar a receita no blog. Então aqui está, espero que gostem ;)

 

SALPICÃO DE CENOURA, QUINUA E LENTILHA

(Serve até 10 pessoas)

 

Ingredientes:

  • 6 cenouras grandes descascadas e raladas
  • 2 talos de alho poró bem lavados e fatiados em finas fatias
  • 1 xícara (chá) de quinua (usei a vermelha)
  • 1 xícara (chá) de lentilha (usei a vermelha, mas pode ser qualquer uma delas)
  • 1/2 xícara (chá) de vinagre de arroz (não recomendo a substituição pois o sabor do de arroz faz toda a diferença nesta receita)
  • 150 gramas de cranberries
  • 150 gramas de amêndoas cruas picadas
  • 1/2 xícara (chá) de azeite extra virgem
  • sal a gosto
  • pimenta moída a gosto

Salpicão de cenoura e quinua2_F&F

Modo de Preparo: Cozinhe a quinua e a lentilha separadamente, em água abundante até que estejam al dente. Deixe as amêndoas inteiras de molho em água fria por 20 minutos, enquanto a quinua e a lentilha cozinham. Prepare o molho misturando o vinagre de arroz, o azeite, o sal e a pimenta e reserve. Escorra e passe pela água fria corrente a quinua e a lentilha. Escorra e pique as amêndoas. Junte em um bowl em camadas a cenoura ralada, a quinua, a lentilha, o alho poró, cranberries e amêndoas e regue com parte do molho. Misture bem com a ajuda de duas colheres de pau ou garfos grandes, delicadamente. Repita as camadas, misture tudo novamente e cubra com filme plástico. Leve à geladeira até o momento de servir.

 

Bom Apetite!

Siga o Figos e Funghis no Instagram, e participe das novidades fresquinhas e conteúdo exclusivo :)

Te espero AQUI então!

 

Bolo de Polenta com Laranja sem glúten e sem lactose

Postado em Bolos, Fácil, Gastronomia Funcional, No forno, Receitas Especiais (s/ Glúten/Lactose), Receitas Rápidas - 25 de abril de 2014

Bolo de polenta com laranja e iogurte_F&F

Eu sempre me interessei pelas receitas funcionais, sempre gostei de ler bastante a respeito e até fiz um curso ano passado para me aproximar um pouco mais deste universo vasto e intrigante das receitas que ao mesmo tempo são capazes de ajudar a emagrecer, respeitar restrições alimentares e ainda deixar o corpo feliz sem agredi-lo. Tanto é que as receitas funcionais já apareceram diversas vezes por aqui, mas eu nunca tive de fato a necessidade de tornar isto a minha rotina, quer dizer, até agora…

 

Desde que descobri que estava grávida da Olivia eu nunca imaginei que ela mudaria tanto a minha vida. Apesar das pessoas falarem e tudo mais, eu nunca tinha passado por isto pra saber a dimensão que o “tal amor de mãe” possui. Mas aí aconteceu, a Olivia chegou e mudou completamente alguns conceitos que eu tinha sobre a vida, e mudou inclusive o modo como eu enxergo as limitações que ela nos impõe. Logo no primeiro mês de vida da Olivia descobrimos que ela é alérgica ao leite de vaca (isto pode mudar depois, não quer dizer que ela nunca vai poder ingerir lactose), e como eu amamento daí por diante a minha vida alimentar mudou de certa forma (ainda que temporariamente), já que eu teria que restringir o leite da minha alimentação.

 

No início eu me motivei, dizendo para mim mesma que seria muito fácil conseguir ficar sem leite e ser feliz como sempre fui, já que na minha cabeça era tudo uma questão de substituir…ok, realmente é fácil substituir o leite puro da dieta de quem já não  é lá muito fã dele, mas restringir o queijo brie, o creme de ricota, o iogurte e principalmente o santo queijinho branco de todos os dias não é lá tarefa fácil. Pois é, o que parecia simples aos poucos foi se mostrando uma árdua tarefa, e parece que é bem nestes momentos que a tentação aumenta e surgem convites para degustação de queijos, noite do fondue, festival da pizza, e por aí vai…

 

Bom, o que eu quero dizer pra vocês é que quando temos um forte motivo para atingir um objetivo todo esforço parece mínimo, e no meu caso a restrição alimentar serviu para provar pra mim mesma que a vida pode sim ser muito saborosa com receitinhas adaptadas, e que a vida não precisa ter a mesma cara e o mesmo sabor sempre! Eu aproveito esta fase da melhor maneira possível, me desafiando a adaptar e a criar receitas bonitas e gostosas respeitando as minhas atuais limitações. Assim minha baby ficará sem dor e eu muito mais feliz :)

 

Este bolo é prova disso, ele surpreende realmente! A massa fica fofinha, aerada, e dá pra sentir os farelinhos da polenta como se fosse um doce de semolina (quem gosta de comida árabe vai me entender), o perfume que sai de dentro do forno enquanto ele assa é algo irresistível, e mesmo tendo sido servido para pessoas que não possuem nenhum tipo de intolerância todos amaram e ninguém disse que não era um bolo como outro qualquer, ninguém percebeu as trocas feitas e pela primeira vez a farinha de arroz não deixou a receita com aquele sabor característico mais forte. Eu adorei o resultado e com certeza vou repetir mais vezes com outras combinações. O famoso “polenta cake” que os gringos amam realmente funciona, e faz sucesso!

 

BOLO DE POLENTA COM LARANJA, IOGURTE E SEMENTES, SEM GLÚTEN E SEM LACTOSE

(serve até 10 porções)

 

Ingredientes:

  • 1/3 de xícara (chá) de óleo de girassol
  • 1 xícara (chá) de açúcar mascavo
  • 3 ovos
  • 1 xícara (chá) de farinha de arroz
  • 3/4 de xícara (chá) de polenta (farinha de milho pré-cozida para polenta)
  • 1/2 xícara (chá) de sementes de abóbora picadas (ou amêndoas picadas)
  • 2 colheres (sopa) de semente de chia
  • 3 colheres (sopa) bem cheias de iogurte sem lactose (ou tofu cream, ou creme de leite de soja)
  • 2 colheres (sopa) bem cheias de mel
  • sumo de 1 laranja
  • raspas da casca de 1 laranja
  • 1 colher (chá) de fermento químico em pó

 

Modo de Preparo: Preaqueça o forno a 180º. Unte e enfarinhe uma forma de bolo inglês e reserve. Num bowl misture o açúcar e os ovos e bata bem até ficar homogêneo. Junte o óleo e bata mais um pouco. Em outro bowl misture as farinhas (de arroz e polenta) e junte na mistura de ovos e açúcar. Adicione o mel, as sementes picadas, a chia, o iogurte e o sumo de laranja e mexa bem. Por fim junte o fermento, as raspas de laranja e misture novamente. Despeje a massa na forma já untada e enfarinhada (com farinha de arroz ok?) e leve ao forno preaquecido por 20 a 30 minutos, ou até que o bolo esteja levemente dourado na superfície e passe no famoso teste do palito.

Bolo de Polenta com laranja e iogurte sem lactose e sem gluten_F&F

 

Bom Apetite!

 

Bolo Húngaro com Frutas Secas e Castanhas

Postado em Bolos, Clássicos, Datas Especiais, É Natal, Fácil, Receitas de Família, Receitas Especiais (s/ Glúten/Lactose) - 28 de novembro de 2013

Bolo seco de frutas e castanhas_F&F

Ah gente, que delícia esta época do ano né?! O Natal já está logo aí e com ele chegam as velhas nostalgias natalinas, as recordações de infância, o encontro com a família que mora longe, a confraternização com os amigos, e é claro, todas as comidinhas que tem cara, cheiro e sabor de Natal!

 

Este bolo aqui por exemplo, pra mim tem muita cara de Natal, faz lembrar minha infância quando minha avó preparava e a casa ficava toda perfumada a canela, cravo, baunilha…ah como é gostoso lembrar daqueles tempos, tempos de uma infância feliz em que as preocupações eram apenas comer, desfrutar do carinho dos avós, andar descalça, brincar até cansar e dormir exausta. Este bolo pra mim tem um outro aspecto especial, ele me lembra o meu doce avô que amava as frutas secas, as castanhas de todos os tipos e os panetones perfumados. Foi com ele que aprendi a gostar desde cedo destas gostosuras e foi também com ele que descobri a nossa preferência em comum por cerejas, nossa fruta mais amada – que também chega por aqui em abundância nesta época o ano. Hoje como infelizmente ele não está mais conosco eu posso trazê-lo um pouquinho para perto de mim quando faço estas receitas que ele amava.

 

Mas então, o bolo! É uma receita que alguns chamam de bolo húngaro (não me perguntem o motivo, e se alguém souber eu agradeço a contribuição), outros de bolo seco, outros de bolo de frutas e castanhas e outros de bolo de Natal (pois é, mais uma versão de bolo de natal por aqui), mas o que importa mesmo é a delícia que é este bolinho. Com pouca farinha e riquíssimo em fibras cada pedacinho dele tem um pouco de tudo que vai na receita, e no início pode atá parecer que não vai dar liga, que não vai crescer porque tem muito mais frutas e castanhas do que massa, mas olha, eu garanto que dá sim muito certo e não apenas cresce lindo como perfuma a casa toda. É irresistível! Dá até para separar em mini porções, colocar numa caixinha bonita e dar de presente, um verdadeiro mimo.

 

Bolo Húngaro com Frutas e Castanhas (ou mais um Bolo de Natal)

(rende 12 fatias)

 

Ingredientes:

  • 1 xícara (chá) bem cheia de farinha de trigo* (pode usar integral se preferir) (leia abaixo a sugestão para uma versão sem glúten)
  • 4 ovos
  • 2/3 de xícara (chá) de açúcar mascavo
  • 1 colher (chá) de bicarbonato de sódio
  • 1 colher (chá) de fermento químico em pó
  • 200g de castanha do Pará picadas grosseiramente
  • 100g de amêndoas picadas grosseiramente (ou nozes)
  • 150g de ameixas secas sem caroço picadas grosseiramente
  • 150g de damascos secos picados grosseiramente
  • 150g de cerejas em calda escorridas (reserve 2 colheres de sopa da calda)
  • 1 colher (chá) de canela em pó
  • 1 colher (chá) de cravo em pó
  • 1 colher (chá) de gengibre em pó
  • 1 colher (chá) de essência de baunilha
  • 2 colheres (sopa) da calda das cerejas

 

Modo de Preparo: Preaqueça o forno em 180º. Unte com manteiga e enfarinhe uma forma de bolo inglês (retangular) e reserve. Numa tigela misture as frutas secas já picadas com as castanhas e junte as especiarias e a essência de baunilha e a calda de cereja. Separadamente bata rapidamente com um garfo os ovos. Junte-os à mistura de frutas e castanhas e depois some o açúcar, a farinha peneirada, o fermento e o bicarbonato também peneirados. Misture tudo com uma colher até que esteja bem incorporado e tenha pedacinhos de frutas e castanhas por toda a massa. Derrame na forma, dê leves batidinhas nela para a massa se alinhar e leve para assar por 1 hora (aproximadamente, dependendo do seu forno) ou até que esteja firme e levemente dourado na superfície. O teste do palito é super válido aqui também! Depois de assado retire o bolo do forno e só desenforme depois que estiver frio.

 

Dicas: 

1) Para tornar este bolo uma versão sem glúten substitua a farinha de trigo por farinha de arroz ou de linhaça.

 

2) Para uma versão sem açúcar substitua por adoçante culinário de forno e fogão, mas reduza a quantidade pela metade pois estes adoçantes são bem mais fortes. Se quiser também pode simplesmente excluir o açúcar da receita, ou para uma versão ainda mais natural use o mel.

 

3) Use as frutas secas e castanhas que tiver em casa se não achar todos os ingredientes, o importante é caprichar na quantidade.

 

Bolo seco de frutas e castanhas2_F&F

 

Bom apetite!

 

Lasanha de abobrinha vegetariana e sem glúten

Postado em Abobrinha, Fácil, Gastronomia Funcional, Light, No forno, Pratos Principais, Receitas Especiais (s/ Glúten/Lactose), Vegetarianas - 27 de novembro de 2013

Lasanha de abobrinha sem gluten_F&F

Vocês sabem que eu sou fã de abobrinha né? E sou também fã de receitas vegetarianas, justamente por serem leves, saborosas e poderem ser consumidas à noite sem nenhuma culpa.

 

Esta lasanha de abobrinha é uma verdadeira delícia e é também muito fácil de preparar. Ela é vegetariana e sem glúten porque não leva massa na receita e nenhum outro tipo de farináceo. Para aqueles que não podem ingerir também lactose eu sugiro substituir a ricota fresca – que nesta receita usei de búfala – por queijo de soja (tofu) amassadinho com um garfo, e podem ter certeza que esta versão também ficará deliciosa!

 

A ideia de fazer esta lasanha surgiu de uma outra receita que eu já publiquei aqui, o Ravioli de Abobrinha sem Massa, em um dia que eu estava com uma vontade doida de comer lasanha mas não queria ganhar tantas calorias com uma lasanha tradicional. Então esta opção aqui matou a minha vontade lindamente, e para dar mais sustância ao prato eu acrescentei castanha do Pará no recheio. A graça e o toque cheio de glamour fica por conta do concassé* de tomates (ensino abaixo como fazer) que eu fiz na hora com tomates italianos ultra doces que eu tinha em casa, e que garantiu um sabor extra especial, mas se você quiser simplificar e usar tomates crus picados ou tomates pelados em lata fique à vontade.

 

LASANHA DE ABOBRINHA – VEGETARIANA E SEM GLÚTEN

(para duas pessoas)

 

Ingredientes:

  • 2 abobrinhas italianas pequenas bem lavadas
  • 1 xícara (chá) de ricota fresca amassada (usei de búfala, mas pode ser comum, ou tofu)
  • 1 punhado de castanha do Pará picada
  • 2 colheres (sopa) de azeite
  • 4 tomates italianos maduros (2 fatiados e 2 para o concassé)
  • pimenta e sal a gosto
  • queijo parmesão ralado para finalizar (ou outro queijo light, ou sem lactose)

 

Modo de Preparo: Fatie as abobrinhas em lâminas finas no sentido do comprimento usando apenas a parte mais firme (despreze o miolo com as sementes – se quiser reserve para uma omelete) em um fatiador de legumes (mandolina) ou com uma faca bem afiada. Reserve. Em uma tigela misture a ricota amassada, a castanha do Pará e tempere com o azeite, pimenta e sal. Unte levemente 2 refratários pequenos ou 1 médio com um fiozinho de azeite e faça a primeira camada de abobrinha. Depois faça uma camada com a ricota temperada, outra com fatias de tomate e repita todas as camadas até acabar com uma camada de abobrinha. Finalize com uma cobertura de tomate concassé*, depois polvilhe um pouquinho de queijo parmesão e leve ao forno em 180º por 20 a 30 minutos, ou até que a abobrinha esteja macia e a cobertura levemente dourada.

Lasanha de abobrinha sem gluten2_F&F

 

* Receita de Tomate Concassé:

Concassé de tomate_F&F

 

Ingredientes: 2 tomates italianos maduros (rende 1 xícara de concassé)

 

Preparo: Faça um corte nos tomates em forma de cruz, de cima a baixo. Espete um tomate de cada vez (pela parte de onde seria o cabo) em um garfo comprido com cabo de madeira e leve-os para tostar direto na chama do fogão. Vá virando o tomate sobre a chama até que toda a pele esteja chamuscada e se soltando. Depois retire toda a pele (com os tomates ainda mornos), corte os tomates ao meio e retire todas as sementes. Pique o restante dos tomates (a parte da polpa) em quadradinhos bem pequenos e use na receita.

Obs: Você pode simplesmente retirar a pele do tomate passando-o por água fervente e fazer todo o processo para o concassé, mas eu prefiro sempre queimar na chama do fogão porque adoro o saborzinho defumado que este processo agrega aos tomates ;)

 

Bom Apetite!

 

 

Pão de Liquidificador sem Glúten e sem Lactose

Postado em Fácil, Gastronomia Funcional, Pães e Tortas, Receitas Especiais (s/ Glúten/Lactose) - 24 de abril de 2013

Pão sem glúten e sem lactose_F&F

Fazia muito tempo que leitores com intolerância a glúten e a lactose me pediam receitas especiais e alternativas isentas desses ingredientes para que pudessem usufruir mais do blog, mas eu confesso que tive que pesquisar bastante sobre o assunto, estudar, tirar minhas próprias conclusões, fazer alguns testes e é claro, recorrer a especialistas no tema que pudessem me ajudar nesta nova empreitada.

Continue Lendo …