Pãezinhos de batata-doce roxa saudáveis e magrinhos

Postado em Comidinhas, Fácil, Gastronomia Funcional, Light, No forno, Pães e Tortas, Receitas de 30 minutos, Receitas Especiais (s/ Glúten/Lactose), Receitas Rápidas - 10 de maio de 2018

Pãozinho de batata-doce roxa_Figos e Funghis

Como vocês já sabem, eu adoro inventar uma modinha com comida colorida :) E como todas as vezes que vou ao hortifruti e tem batata-doce roxa para vender eu levo pra casa, resolvi testar uma receitinha diferente com ela que não fosse a “sopa roxa” que a Olivia tanto ama (tem receita desta sopa roxa aqui ó: http://figosefunghis.com.br/2017/10/sopa-cremosa-de-batata-doce-roxa.html ). Na verdade mesmo eu queria fazer um pão, mas como era meio de semana e o tempo escasso eu escolhi como base uma receitinha muito famosa e muito antiga daqui do blog que todo mundo que faz ama: os pãezinhos de queijo de tapioca!!

 

É uma receita super simples, com poucos ingredientes e saudável também, já que tem poucas calorias e muitas fibras. Quem me enviou esta receita da primeira vez que eu a publiquei aqui em 2012!!! foi a leitora Gláucia, que na época morava em Dubai e criou ela mesma esta receitinha para driblar o desejo por pão de queijo usando os ingredientes que tinha por lá. De lá pra cá todo mundo faz esta receitinha – em casa por exemplo é a receita oficial dos cafés da manhã de final de semana – , principalmente os adeptos da vida fit, mas certamente a única pessoa que dá os créditos para a Gláucia sou eu mesmo, afinal infelizmente neste mundo de receitas é raro achar quem dê os créditos e respeite o autor da receita. No geral todo mundo se apropria e quer levar os aplausos. Eu mesma canso de ver receita minha voando por aí e a pessoa enchendo a boca pra dizer na maior cara de pau: olha a receitinha que eu inventei hoje gente!!! hahahahah. Eu sei, Deus sabe, mas o Google também. É só vasculhar os posts no limbo da internet que pela data é fácil descobrir quem fez primeiro :)

 

Enfim, usei a receita da Gláucia como base para esta aqui, e o resultado é que além de lindos os pãezinhos ficaram deliciosos. Para quem já fez o pão de queijo de tapioca eu digo que a consistência fica a mesma, daquele jeitinho mais cremoso por dentro e com uma casquinha crocante por fora. Veja bem, não é um pão macio, fofinho e cheio de alvéolos, é um pãozinho que fica pronto em menos de 30 minutos, então não dá nem pra comparar banana com pepino ok? É um estilo diferente de pãozinho, eu por exemplo achei delicioso com manteiga e penso que em uma cesta de pães numa mesa de petiscos dá o maior charme. Dá pra passar queijos cremosos e mais fortes também, como os de cabra ou gorgonzola, afinal o adocicado da batata-doce combina bastante com esses queijos mais fortes. O ideal é servir bem quentinho, depois ele vai murchando. É uma opção deliciosa para petiscos e para matar aquela fominha no meio da tarde.

 

Pãozinho de batata-doce roxa2_Figos e Funghis

PÃOZINHO DE BATATA-DOCE ROXA SEM GLÚTEN E SEM LACTOSE

(rende 12 pãezinhos)

Ingredientes:

  • 1 xícara (chá) de tapioca (goma, daquela mais fina)
  • 1/2 xícara (chá) de batata-doce-roxa cozida em água, descascada e amassada (e temperatura ambiente)
  • 1 colher (sopa) de chia
  • 1 colher (sopa) de sementes de linhaça
  • 3 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado
  • 1 fio de azeite

Modo de Preparo: Misture todos os ingredientes em uma tigela e modele bolinhas. Preaqueça o forno a 180º. Ajeite as bolinhas sobre uma assadeira antiaderente (se estiver grudando muito modele com duas colheres de sopa ou unte as mãos). Asse por 15 a 20 minutos, dependendo do forno, como sempre. Eles estarão prontos quando estiverem bem crescidinhos, estufadinhos e com uma casquinha crocante por fora.

 

Bom Apetite!!

 

FALAFEL ASSADO E CROCANTE – A receita infalível!

Postado em Acompanhamentos, Clássicos, Comidinhas, Cozinha Árabe, Fácil, Gastronomia Funcional, Light, No forno, Vegetarianas - 21 de março de 2018

Falafel_Figos e Funghis

Como costumo fazer, na semana passada mostrei no Stories em tempo real as etapas de preparo do falafel assado que eu estava fazendo para o meu almoço e da Oli daquele dia e quem viu ficou doido de vontade de provar, recebi uma chuva de mensagens inbox pedindo para publicar a receita logo. Então hoje é ela a estrela deste post, a minha receita de falafel assado à prova de erros.

 

É claro que em se tratando de cozinha caseira os erros acontecem, e o nome à prova de erros é uma brincadeirinha porque vários leitores me perguntam como eu faço para o falafel não se desfazer, dizem que não dá liga, que desmonta antes mesmo de assar ou fritar, enfim, eu sei que isso acontece às vezes, mas vocês sabem que eu sou amiga e vou contar todas as minhas dicas para o preparo deste prato delicioso, versátil, vegano, low carb e saudável que pode virar petisco, recheio de sanduíche, hambúrguer, acompanhamento de salada, de massas, de carnes e do que mais você desejar.

 

Se você nunca ouviu falar ou nunca comeu o FALAFEL me deixa te atualizar: trata-se de um prato típico do Oriente Médio à base de grão-de-bico (em alguns lugares substituem por favas, que parecem uns feijões grandes) e temperado com condimentos, ervas e especiarias. Originalmente os bolinhos são preparados fritos, mas como eu sempre procuro uma alternativa mais saudável pra tudo – afinal esta é a minha obsessão hahaha – eu gosto de prepará-los no forno, e posso garantir que ficam igualmente deliciosos e com uma casquinha crocante por fora, mantendo a umidade por dentro. Se você não provou até hoje agora chegou a sua oportunidade!

Falafel 2_Figos e Funghis

FALAFEL ASSADO MAGRINHO

(rende 12 bolinhos pequenos, ou 8 médios como os da foto)

 

Ingredientes:

  • 1 xícara (chá) de grão-de-bico seco
  • 1 xícara (chá) de salsinha fresca
  • 1/2 xícara (chá) de coentro fresco
  • 1 cebola branca picada
  • 2 dentes de alho crus
  • 1 colher (sopa) de gergelim branco
  • 1 colher (chá) de cominho em pó
  • 1 colher (chá) de pimenta síria
  • 1 colher (café) de bicarbonato de sódio
  • 1 colher (café) de sal
  • suco de 1/2 limão tahiti
  • 1 fio generoso de azeite

 

Modo de Preparo: Coloque o grão-de-bico de molho em água de um dia para o outro – 8 horas são suficientes. Escorra o grão-de-bico e coloque em um processador de alimentos junto com o azeite e bata no modo pulsar até que esteja grosseiramente triturado. Junte todos os outros ingredientes e bata novamente até obter uma massa grossa e com aspecto farelento. Unte levemente uma assadeira com azeite e preaqueça o forno a 180º. Unte as mãos e com delicadeza molde os bolinhos e achate-os levemente (como iremos assar quando achata-se a área da superfície e da base aumentam, tornando mais propícia a formação de uma crostinha crocante). Ajeite os bolinhos na assadeira dando uma distância de uns 2 dedos. Leve ao forno por 15 minutos, retire a assadeira do forno, vire os bolinhos e retorne a assadeira para o forno por mais 15 minutos, ou até que ambos os lados estejam douradinhos. Sirva em seguida com este molho de tahine que eu ensino neste post aqui: Bowl Vegetariano Colorido e Saudável

 

DICAS:

  1. Se você for fritar o seu falafel adicione à receita 2 colheres (sopa) de farinha de trigo ou outra farinha de sua preferência para dar mais liga e sustentação à massa;
  2. Se ao moldar os bolinhos achar que está muito mole ou esfarelando coloque toda a massa em um pano de prato, enrole e retire o excesso de líquido. Eu não costumo fazer isso (gosto dele bem umidinho depois de pronto), mas se a falta de sustentação da massa de incomodar muito na hora de moldar isso pode ajudar.
  3. Para que o seu falafel fique bem verdinho como em algumas fotos que vemos por aí aumente a quantidade de ervas (salsa e coentro) e bata-as antes de adicionar o restante dos ingredientes no processador de alimentos, como se fosse fazer um pesto;
  4. Não recomendo o uso de grão-de-bico enlatado nesta receita porque ele já vem cozido, e é mole demais para ser usado na receita, então quando for colocado no processador vai virar uma pasta rapidamente;
  5. Para variar a receita você pode substituir o grão-de-bico por feijão branco, na mesma quantidade;
  6. Use o coentro mesmo se não gostar, porque ele apenas integra o sabor do falafel como um todo, seu sabor não vai sobressair aos demais componentes da receita. Na minha opinião a composição de sabores é perfeita e se tirar algum ingrediente não vai ficar igual.

Tartar de beterraba e avocado_Figos e Funghis

 

Eu servi o meu falafel com este Tartar de Beterraba, quinoa e avocado (foto acima) que modéstia à parte ficou DI-VI-NO, mas como vocês podem perceber ele começou a desmoronar depois de montado porque eu sou gulosa e coloquei muito mais cubinhos de avocado do que a pobre camada de quinoa suportava…se quiser a receita deste tartar comenta aqui que eu posto!!

 

Se fizer me conta? Me marca lá no Insta (@figosefunghis) ? Curte, comenta, me mostra que eu não estou sozinha e que este blog é útil para alguém…eu sei que vocês gostam das receitas e fazem em casa porque recebo e-mails contando, mas às vezes ninguém comenta nada no post e eu me sinto tão solitária :( #chateada

 

Beijo!!!

 

Como preparar um brunch delicioso e saudável!

Postado em Antepastos, Comfort Food, Comidinhas, Dicas, Gastronomia Funcional, Light, Receitas de 30 minutos, Receitas Especiais (s/ Glúten/Lactose), Receitas Rápidas, Tortas - 09 de março de 2018

Brunch_Blog Figos e Funghis

Quem me acompanha há tempos já sabe que eu adoro comidinhas pra ficar beliscando, e não à toa tem muitas receitinhas do gênero por aqui. Ultimamente o brunch – ritual bastante tradicional nos Estados Unidos no qual se mesclam comidinhas de café da manhã e de almoço numa mesma refeição – se tornou uma mania entre os paulistanos e a oferta de casas com esta deliciosa refeição cresceu muito por aqui, sendo possível hoje encontrar muitos brunchs gostosos pela cidade.

 

No entanto, se você é como eu e adora receber a família e os amigos em casa para uma refeição prazerosa e sem pressa hoje eu vou te ajudar com dicas – E RECEITAS, CLARO!!! –  incríveis para preparar o seu próprio brunch em casa e sem que a sua cozinha precise ficar parecida com um campo de guerra e sem que você precise receber seus convidados descabelada e esbaforida. Ao contrário do que muitas pessoas imaginam um brunch pode ser organizado de forma prática e sem dar muito trabalho, causando a mesma boa impressão nos convidados. A matéria de hoje envolve ainda receitas saudáveis (sempre com muito sabor, óbvio, porque com falta de sabor não trabalhamos…hahaha), o que torna tudo ainda mais interessante, não acham?

 

ORGANIZANDO:

Depois de marcar a data e chamar os convidados elabore o menu, calcule a quantidade de comida, faça a lista de compras e vá ao mercado um ou dois dias antes do brunch. Na véspera aproveite para cozinhar grãos, preparar alguma conserva, geleia, a sobremesa, preparar a massa da torta e armazene o que já estiver pronto em geladeira. Separe toalha, guardanapos, travessas, pratos, taças, copos e talheres que serão utilizados. Eu nunca lembro disso como vocês podem perceber, mas se você for o capricho em pessoa providencie flores para a mesa. Coloque as bebidas para gelar: espumantes, sucos e água são suficientes. Pense sempre em receitas práticas e que não vão te fazer ficar preso(a) na cozinha enquanto os convidados se divertem, dando preferência a receitas que possam ser finalizadas no forno ou preparações frias que só precisem ser montadas nas travessas. Por estas razões e pela minha larga experiência com brunchs eu não recomendo servir risoto ou massa quente com molho, afinal você vai precisar preparar ambos na hora para que fiquem no ponto ideal (a não ser que sua receita de massa seja para ser servida fria). Como a ideia é ter variedade eu sempre penso numa média de 6 pratos, entre eles algo que possa ser acompanhado de pães e ainda gosto de colocar na mesa uma tábua bonita com queijos e frutas. Se o brunch for feito no verão você tem mais pontos ao seu favor pois pode servir mais preparações frias e leves, mas se for no inverno uma boa carne assada servida fatiada, uma sopa cremosa ou uma torta bem quente são opções práticas e extremamente gostosas! Eu por exemplo sempre começo a pensar no menu de um brunch com os seguintes itens que considero coringas da praticidade e do sabor: uma salada de grãos, uma cesta de pães, uma tábua de queijos, alguma pastinha para comer com os pães e uma bela torta, e desta forma metade do menu já está garantido. Como sobremesa não é meu forte eu sempre recorro às frutas, ou a sorvete ou algo bem prático como uma mousse ou uma torta que possa ser preparada com antecedência. No dia do brunch acordo cedo e preparo tudo o que precisar ser preparado na hora. Monto as travessas e tábuas, a cesta de pães, misturo os ingredientes da salada, asso ou cozinho os vegetais, arrumo a mesa e como último item preparo a torta e coloco no forno enquanto vou me arrumar para esperar os convidados, assim ela vai quentinha para a mesa quando todos já estiverem acomodados.

 

Bem, passada a fase de organização vou mostrar pra vocês as receitas escolhidas para o brunch que eu fiz no último domingo em casa e que serviu de inspiração para este post já que quando publiquei no Stories no Instagram recebi uma chuva de mensagens (adoroooo, podem mandar mais!) de seguidores super animados e ansiosos pelas receitas que mostrei ali bem rapidinho. Sim, eu sei que nem todos amam beterraba, por exemplo, mas como eu sou aquela amiga com a qual você sempre pode contar eu vou dar também opções de substituição com outras receitas incríveis que já foram publicadas aqui no blog e que são perfeitas para brunch. Se você for vegetariano tem receita pra você, se for intolerante ou alérgico também, se estiver de dieta também, olha só que lindeza!!!

Carpaccio de Beterraba_Figos e Funghis

CARPACCIO DE BETERRABA

(serve 6 pessoas)

 

Ingredientes:

  • 3 beterrabas
  • sal grosso
  • 1 pedaço de queijo gorgonzola esfarelado com as mãos
  • 1 fio de mel
  • azeite a gosto
  • suco de 1/2 limão
  • sal a gosto
  • nozes pecã picadas grosseiramente
  • folhas verdes (usei rúcula, mas poderia ser agrião, azedinha, alface)

Modo e Preparo: Ajeite as beterrabas inteiras e com a casca em uma assadeira ou panelinha de ferro sobre uma caminha de sal grosso e leve ao forno para assar por 30 minutos a 190º. Depois descasque e fatie em lâminas finas. Ajeite sobre o prato de servir e regue com o azeite, o mel, o suco de limão, o sal e finalize com as folhas verdes no centro, com o queijo gorgonzola esfarelado e com as nozes pecã.  Gosto desta receita para brunch porque além de ser deliciosa fica super elegante na mesa e é bem fácil de preparar.

 

Você pode substituir por:

 

Aspargos e parma_Figos e Funghis

PRATO DE PRESUNTO CRU COM ASPARGOS

(serve 6 pessoas)

Ingredientes:

  • 200 gramas de presunto parma (ou outro presunto cru/curado)
  • 200 gramas de aspargos
  • azeite a gosto

Modo de Preparo: Faça mini rosas ou rolinhos com cada fatia de presunto e ajeite no prato de servir. Salteie os aspargos por apenas alguns minutos com azeite em uma frigideira bem quente e junte aos rolinhos de presunto no prato de servir.

 

Você pode substituir por:

 

Salmão Gravlax com avocado e baby folhas_Figos e Funghis

PRATO “AVOCADO TOAST” COM SALMÃO

(serve 6 pessoas)

Ingredientes:

  • 200g de salmão gravlax ou defumado em fatias
  • 2 avocados maduros mas ainda firmes
  • folhas de mini rúcula
  • limão siciliano

Modo de Preparo: Em um prato ajeite as fatias de salmão gravlax ou defumado em trouxinhas. Como as fatias são grandes geralmente, o ideal é você rasgar com as mãos mesmo fazendo pedaços menores que caibam em um bocado. Corte o avocado ao meio, retire o caroço e com uma colher de sopa retire toda a polpa da casca. Vire a polpa inteira com o “buraco” do caroço para baixo em uma tábua de corte e fatie em lâminas finas. Ajeite como se fosse um leque no prato de servir, depois complete com as folhas de rúcula e um limão siciliano cortado em meias-luas. Para complementar prepare um sour cream de mostarda rústica com: 4 colheres de sopa de creme de ricota, 2 colheres de chá de mostarda l’ancienne ou mostarda rústica, suco de 1/2 limão, 1 fio de azeite e sal a gosto. Sirva o molho à parte em um potinho de preferência sobre o mesmo prato.

 

Você pode substituir por:

 

Tabule de couve-flor e quinoa_Figos e Funghis

TABULE DE COUVE-FLOR COM QUINOA

(serve 6 pessoas)

Ingredientes:

  • 1 pé de couve-flor pequeno
  • 200g de quinoa cozida al dente
  • 2 tomates picados em cubinhos
  • 1 cebola roxa picada em cubinhos
  • 1 pimentão vermelho picado em cubinhos
  • 1 pimentão amarelo picado em cubinhos
  • 1 pepino japonês com a casca picado em cubinhos
  • suco de 2 limões
  • azeite a gosto
  • sal a gosto
  • salsinha picada a gosto

Modo de Preparo: Separe a couve-flor em floretes (reserve o caule e use em outras receitas como caldos de legumes, suflês, molho branco fake) e pique a couve-flor cura mesmo em pedacinhos bem pequenos, como se fossem grãos de arroz. Se preferir use um processador no modo pulsar para obter o mesmo resultado. Depois junte este “arroz de couve-flor” com a quinoa cozida al dente e fria e os demais ingredientes. Tempere, misture tudo muito bem e sirva. Se for preparar na véspera não tem problema, apenas deixe para temperar com o azeite, o limão e o sal na hora de levar à mesa, pois se temperar com muita antecedência a salada vai murchar e soltar muito líquido.

 

Você pode substituir por:

 

Mezze de hommus com legumes confit_Figos e Funghis

HOMMUS COM PIMENTÕES E TOMATINHOS CONFIT

(rende 300g aproximadamente)

Ingredientes:

  • 2 xícaras (chá) de grão-de-bico cozido (eu não retiro a casca, mas se preferir pode retirar)
  • 1/2 xícara (chá) da água do cozimento do grão-de-bico
  • suco de 1 limão tahiti
  • 1 dente de alho espremido
  • 1 colher (sopa) de tahine
  • azeite e sal a gosto
  • salsa fresca picada para finalizar

Modo de Preparo: Misture todos os ingredientes no processador ou liquidificador e bata até formar uma pasta grossinha e homogênea. Transfira para um pote, cubra com azeite, polvilhe salsa fresca picada e sirva com pães e torradas.

Legumes Confit: Preaqueça o forno a 180º. Em uma assadeira pequena disponha tiras de 1 pimentão vermelho, 100g de tomatinhos cereja vermelhos e 100g de tomatinhos cereja amarelos. Adicione 1 dente de alho inteiro e descascado, 1 ramo de alecrim, 1 ramo de tomilho, 1 ramo de manjericão, tempere com um pouco de sal e cubra tudo com azeite. Leve ao forno por 20 minutos. Reserve em potes de vidro com tampa, a duração é de até 1 semana na geladeira e é delicioso em sanduíches, pastinhas ou saladas.

 

Você pode substituir por:

 

Torta massa de abóbora_Figos e Funghis

Bem, esta torta merece um comentário especial. Vocês que me acompanham sabem que eu amo esta linha de alimentação saudável e que desde sempre (pode pesquisar nos arquivos desde 2009) publico aqui no blog receitas alternativas para uma alimentação mais leve com menos gorduras sem abrir mão do sabor, porque de nada adianta ser light, ser funcional, ser bonita e não ter sabor, certo? Pois esta torta nasceu dessa minha busca, porque quando pensamos em torta temos mania de achar que ela precisa ter uma massa e massa é aquela tradicional feita com farinha, manteiga, às vezes ovos, enfim, mas nos meus testes eu vivo descobrindo que não, e prova disso são as receitas de torta super diferentonas que eu já trouxe aqui e que vocês adoram (como a quiche fit de couve-flor, a tortinha low carb de berinjela, e a precursora delas todas: a quiche sem massa, que bem antes da febre da vida fit surgir no Instagram apareceu aqui pela primeira vez em 2010!!).

A receita de hoje vai nesta mesma linha, e tem como base uma massa feita com abóbora, esta delicia lotada de nutrientes que a gente ama muito, e não leva farinha, nem glúten, nem ovos, mas fica incrivelmente firme e saborosa. Muito macia, não gruda na assadeira e é perfeita para suportar qualquer tipo de recheio que você queira. É uma maravilhosidade sem fim, acreditem! Ah, eu já ia me esquecendo de contar que a massa pronta dura fácil 1 semana na geladeira armazenada em pote fechado (oi praticidade!), e que pode ser congelada por até 2 meses (faça uma bola e embrulhe em filme plástico, depois em papel alumínio). Como recheio desta vez eu escolhi um recheio de quiche tradicional, então no recheio tem ovos e lactose porque eu aproveitei para usar um queijo de cabra que eu tinha na geladeira (amo queijo de cabra!), mas você pode usar o recheio que quiser, o importante é focar na massa, que é todo o diferencial desta receita! hahahaha

 

TORTA DE ABÓBORA LOW CARB, SEM GLÚTEN

(rende uma torta redonda de 6 pedaços médios)

Ingredientes da massa:

  • 250g de abóbora japonesa descascada e cortada em cubos
  • 1 xícara (chá) de farelo de aveia (aveia não contém glúten) ou quinoa em flocos
  • 2 colheres (sopa) de farinha de linhaça
  • 1 colher (sopa) de chia
  • 1 fio de azeite
  • 1 pitada de pimenta síria
  • 1 pitada de sal

Ingredientes do Recheio:

  • 1 caixinha de creme de leite light
  • 3 ovos
  • 2 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado
  • 1/2 xícara (chá) de cogumelos frescos fatiados
  • 1/2 xícara (chá) de alho poró fatiado
  • pedaços de queijo de cabra
  • sal a gosto

Modo de Preparo: Cozinhe os cubos de abóbora no vapor (não pode acumular água, por isso deve ser cozida no vapor ou assada) e amasse ainda quente. Coloque em uma pequena bacia ou tigela e regue com o azeite. Tempere com sal, pimenta síria e junte aos poucos a quinoa em flocos ou o farelo de aveia, a farinha de linhaça e a chia, mexendo para incorporar bem. A massa fica firme e um pouco pesada para mexer, este é o ponto. Forre uma assadeira de fundo removível (não precisa untar) e leve ao forno preaquecido em 180º por 15 minutos para pré-assar. Retire do forno e reserve. Prepare o recheio: Bata os ovos em uma tigela e junte o creme de leite. Bata novamente e adicione todos os outros ingredientes, exceto o queijo de cabra que deve ser colocado do meio para o final do cozimento da torta. Cubra a massa pré-assada com o recheio e leve ao forno por 20 minutos, retire, distribua os pedacinhos de queijo por cima e retorne ao forno por mais 10 minutos ou até que esteja com a superfície dourada e firme.

 

Você pode substituir por:

 

Espero que gostem da matéria e façam um brunch delicioso em casa. Depois me conta tudo tá? Se fizer alguma receita do blog pode me marcar que eu vejo!

 

Quer retribuir este post lindo que me deixou algumas horas dedicada a explicar tudo nos detalhes só pra te agradar e não sabe como? Compartilha com os seus amiguinhos, me segue lá no Instagram, no Pinterest, no Facebook e vamos fazer esse conteúdo do amor multiplicar por aí, combinado?! Vou te amar pra sempre, aliás, já AMO <3

 

Bom Apetite e bom final de semana!!

Hambúrguer Vegetariano Irresistível

Postado em Cogumelo, Comfort Food, Fácil, Gastronomia Funcional, Light, Receitas Especiais (s/ Glúten/Lactose), Receitas Rápidas, Sanduíches, Vegetarianas - 28 de fevereiro de 2018

Hamburguer Vegetariano de Abóbora3_F&F

Quem acompanha o blog sabe da minha quedinha por receitas vegetarianas, e apesar de eu não ser vegetariana adoro descobrir novas combinações e brincar com as infinitas possibilidades que o delicioso universo vegetal nos oferece. Já sou adepta da Segunda Sem Carne há alguns anos e ao menos duas vezes por semana fazemos refeições 100% vegetarianas em casa, afinal quanto mais colorido for o prato e quanto mais de verdade for a comida mais nós ganhamos! Ganhamos saúde, nutrientes, ganhamos variedade e ganhamos em termos de custos também já que vegetais são de fato mais baratos que carnes.

 

A receita de hoje foi uma dessas felizes descobertas de combinações de ingredientes que resultou num hambúrguer vegetariano cheio de cor e de graça. Na verdade vegano, já que não leva nenhum ingrediente de origem animal. Com uma base de abóbora e cogumelos a consistência fica firme o suficiente para ser apertada entre o pão para a mordida! Como acompanhamentos eu escolhi pasta de avocado, lâminas de amêndoas tostadas, mozzarella de búfala e uma **vinagrete de cebola roxa facílima que eu preparei na hora, mas isso é só uma sugestão ilustrativa porque este hambúrguer também poderia ser servido com um spaghetti por exemplo, ou com uma bela salada. O que importa aqui é o sabor e a leveza, porque este burgerzinho veggie é tão delicioso que nem lembrei que não se tratava da versão tradicional.

 

Intolerantes e alérgicos também podem comemorar porque este burger vocês podem comer! Ele não leva glúten na composição, nem leite, nem ovo, é a mais pura maravilhosidade democrática em termos de burger.


Hamburguer Vegetariano de Abóbora_F&F

HAMBÚRGUER VEGANO DE ABÓBORA E COGUMELOS

(rende 4 unidades)

Ingredientes:

  • 400g de abóbora japonesa descascada e cortada em cubos
  • 6 cogumelos tipo Portobelo gigantes sem as hastes e bem picados (ou 1 xícara de chá de outro cogumelo fresco da sua preferência)
  • 3 colheres (sopa) de farinha de amêndoas
  • 2 colheres (sopa) de amaranto em flocos (pode substituir por quinoa em flocos se preferir)
  • 1 colher (sobremesa) de mostarda l’ancienne
  • 2 colheres (sopa) de cebola desidratada

 

Modo de Preparo: Tempere os cubos de abóbora com um fio de azeite, sal e uma pitada de ervas de provence. Disponha em uma assadeira antiaderente, cubra com papel alumínio e leve para assar por 20 minutos a 180º ou até que estejam macias. Amasse a abóbora assada ainda quente com um garfo e deixe esfriar. Depois coloque em um bowl e junte os cogumelos picados, a farinha de amêndoas, o amaranto em flocos, a mostarda e a cebola desidratada. Misture bem até que esteja tudo incorporado. Prove e ajuste o sal se for necessário. Modele 4 hambúrgueres e asse até dourar ou grelhe na frigideira. Sirva com os acompanhamentos que desejar.

Hamburguer Vegetariano de Abóbora2_F&F

**Vinagrete de Cebola Roxa Vapt-vupt: descasque e fatie uma cebola roxa em meias-luas bem fininhas e disponha em um bowl. Regue com 3 colheres (sopa) de vinagre branco, 1 pitada de açúcar, sal e um fio de azeite e deixe descansar por 10 minutos. Use como desejar. Fica com com pães, torradas, saladas, com churrasco e no sanduíche, claro!

 

Bom Apetite!!

Quiche de Berinjela com Massa Crocante Low Carb

Postado em Berinjela, Fácil, Gastronomia Funcional, Light, Receitas Especiais (s/ Glúten/Lactose), Tortas, Vegetarianas - 07 de fevereiro de 2018

Quiche de Berinjela Low Carb

Eu estava há um tempo já testando receita nova de massa de quiche que fosse ao mesmo tempo deliciosa, low carb, prática e ainda por cima crocante….pois é, uma missão que parecia impossível, mas enfim deu certo. Mostrei o resultado lá no Instagram do blog e o povo pirou! Choveu mensagem in box pedindo a receita e hoje aqui estou com ela completinha pra fazer vocês tão felizes quanto eu fico quando como esta deliciosidade saudável.

 

Você pode estar se perguntando: mas como é que uma quiche pode ser saudável? Sim lindos e lindas, pode ser saudável e com muito sabor! Os alérgicos ao glúten também vão me amar ainda mais quando eu contar que esta massa maravilhosa não tem glúten, e foi por acaso já que eu não sou alérgica e apenas buscava farinhas com baixo carboidrato – afinal eu também sou gente e durante a semana gosto de dar aquela segurada nas gordices, se não todo aquele suor perdido na academia terá sido derramado à toa hahahaha.

 

Bem, chega de blá blá blá, o que importa aqui é a quiche minha gente! O recheio você pode variar como quiser, pode mudar os legumes, adicionar os queijos que você gostar, fazer aquele recheio clássico da quiche tradicional, enfim, só me dá os créditos se gostar muitão e ficar com vontade de publicar no seu Insta ou no seu blog, porque se tem uma coisa que me deixa triste mesmo é ver receita minha voando por aí sem que o fofo(a) mencione quem é a mãe (afinal receita autoral é igual filho né? e a mãe que pariu sabe quando o filho é dela, reconhece atéeee de longe)…é injusto né?! Passo horas na cozinha tentando descobrir uma formula mágica para trazer uma receitinha maravilinda pro blog, me desapego do egoísmo e fazem uma injustiça dessa comigo? Não podeeeee!! kkkkkk

Quiche de Berinjela Low Carb2

QUICHE DE BERINJELA LOW CARB, SEM GLÚTEN 

(rende 3 mini quiches ou 1 média)

 

Ingredientes da Massa:

  • 1 xícara (chá) de quinoa em flocos
  • 1/2 xícara (chá) de farinha de linhaça (marrom ou dourada)
  • 1/2 xícara (chá) de amaranto em flocos
  • 1 ovo (se preferir troque pelo “ovo vegano” feito com linhaça e água)
  • 1 colher (chá) de ervas de provence (ou outro tempero da sua preferência)
  • 1 fio de azeite (ou 1 colher de sopa de óleo de coco)
  • 3 colheres (sopa) de água gelada
  • 1 pitada de sal

 

Ingredientes do Recheio:

  • 1 berinjela média sem casca cortada em cubinhos
  • 2 dentes de alho bem picados
  • 1/2 cebola bem picada
  • 1/2 xícara (chá) de água
  • 1 fio de azeite
  • 2 colheres (sopa) de salsinha fresca picada
  • pimenta e sal a gosto
  • queijo branco ralado
  • gergelim preto ou chia para finalizar

 

Modo de Preparo: MASSA: Em uma tigela misture a quinoa em flocos, o amaranto em flocos e a farinha de linhaça. Misture bem, abra um buraco no centro e quebre o ovo. Adicione o azeite, as ervas secas, a pimenta e o sal. Misture novamente e vá adicionando a água gelada aos poucos (se quiser faça toda esta etapa no processador) até obter uma massa firme com liga. Para fazer o teste aperte uma bolinha dela entre os dedos e veja se tem liga. Unte 2 formas pequenas de aro removível ou 1 média com óleo de coco ou azeite. Divida a massa nas forminhas e aperte bem com as pontas dos dedos a massa no fundo e pelo menos 2 dedos nas laterais (para segurar o recheio). Leve ao forno preaquecido a 180º por 10 minutos, retire e deixe esfriar, mantendo o forno ligado. RECHEIO: Refogue a cebola e o alho no azeite, junte a berinjela, a salsinha e metade da água. Tampe a panela e deixe cozinhar em fogo baixo por 10 minutos. A berinjela deve ficar desmanchando, quase como uma pasta, então se estiver macia o suficiente desligue e deixe esfriar para montar a quiche, se não adicione a outra metade da água e cozinhe mais tempo em fogo baixo com a panela tampada. Quando a berinjela refogada estiver fria preencha as forminhas que já estão com a massa pré-assada, cubra com queijo branco ralado ou outro de sua preferência à gosto e leve novamente ao forno por mais 15 minutos, ou até o queijo derreter e dourar. Desenforme as quiches, finalize com gergelim e sirva em seguida.

 

Bom Apetite!!

Omelete Recheada e Deliciosa!!

Postado em Comidinhas da Oli, Cozinhando para os Pequenos, Fácil, Light, Receitas de 30 minutos, Vegetarianas - 05 de fevereiro de 2018

Omelete Oriental Fácil

Se tem uma receita super democrática e que quase todo mundo gosta é a omelete! Esta receita que nasceu na França e se popularizou no mundo todo, se tornando uma das campeãs no quesito praticidade. Lá em casa a omelete sempre ganha uma roupa nova para dar uma variada, a Olivia ama e me pede toda semana. Dessa vez eu preparei a omelete na versão recheada, dá só uma olhada.

 

Sim, é possível dar aquela variada na omelete e rechear com praticamente tudo o que você tiver vontade. Em casa eu amo rechear com queijo branco e espinafre, mas para não ficar sempre igual dessa vez eu preparei como se fosse um crepe e recheei só no final com muitas tirinhas de abobrinha, gergelim, chia e voilá. Aliás, abobrinha com ovo é uma das minhas combinações preferidas da vida, acho que nasceram um para o outro. Aí com a omelete pronta basta uma saladinha para complementar e temos uma deliciosa refeição com muito sabor, muita proteína, poucas calorias, e aquela leveza que é a cara do verão.

 

Se o seu filho for ruim pra comer a omelete é um ótimo começo para conseguir apresentar novos ingredientes ao pequeno(a) rebelde, pois ela tem a incrível possibilidade de camuflá-los hahahahaha. Mas é sério! Tente colocar folhas de espinafre bem picadinhas, cubinhos de abobrinha, cenoura ralada, chuchu, tomate, enfim, o importante é começar e nunca desistir! (No Menu tem a categoria “Comidinhas da Olivia”, onde você pode encontrar diversos posts com muitas dicas bacanas para te ajudar no quesito alimentação infantil. Confere lá!)

 

OMELETE RECHEADA

(serve 2 pessoas)

 

Ingredientes:

  • 4 ovos grandes
  • 1 abobrinha pequena bem lavada e cortada em tirinhas (como spaghetti)
  • 2 colheres (sopa) de leite
  • 1 colher (chá) de manteiga
  • 1 colher (chá) de azeite
  • sal a gosto
  • 1 colher (café) de gergelim preto
  • 1 pitada generosa de chia

 

Modo de Preparo: Em uma tigela misture todos os ovos (o ideal é quebrar um a um antes em uma xícara para evitar acidentes ok?) e bata-os com vigor. Junte o azeite, o leite, tempere com sal e pimenta. Bata novamente com um garfo. Enquanto isso esquente bem uma frigideira antiaderente e despeje os ovos nela. Deixe sem mexer por uns 2 minutos, aí então comece a levantar as bordas da omelete inclinando levemente a frigideira para que os ovos ainda crus no centro escorram para as bordas por baixo da omelete esteja quase cozida. Em uma das pontas coloque o gergelim, a chia e as tiras de abobrinha, dobre a outra parte da omelete sobre  recheio, tampe, abaixe o fogo e deixe cozinhar por mais 2 minutos. Sirva em seguida.

Omelete Oriental Fácil2

Fácil demais né?

Bom Apetite!!

 

Salada Mexicana

Postado em Fácil, Light, Mexicana, Nutrição, Receitas de 30 minutos, Receitas de Família, Receitas Rápidas, Saladas, Vegetarianas - 23 de janeiro de 2018

Salada de Milho com Quinoa

O verão está aí e a gente só pensa em comidinhas leves, saborosas e refrescantes concordam? Por aqui as saladas vem reinando e a cada dia eu coloco a criatividade pra funcionar, aproveito o que tenho na geladeira e metade da refeição já está garantida, afinal se tiver uma bela salada basta uma proteína para complementar, ou se você for como eu só a salada mesmo já vai te fazer bem feliz.

 

Há anos eu preparo em casa uma salada que eu chamei de Salada Mexicana e que faz o maior sucesso. Eu já a levei para churrascos na casa de amigos, já a servi em almoços na minha casa também e o resultado é sempre o mesmo: todo mundo ama! Nem sei como eu nunca tinha publicado antes esta receita por aqui, de tanto que eu faço! Servida com um filé de peito de frango grelhadinho eleva o prato a um outro nível, combinação maravilhosa!!!

 

A tal salada mexicana leva basicamente tomatinhos, abacate em cubos, milho verde, cebola roxa, coentro, azeite, limão e sal. É  mesma que eu trago hoje pra vocês, mas a diferença é só na apresentação porque nessa aqui eu coloquei o avocado por cima, em fatias, assim fica a sugestão caso alguém não goste de avocado (e tem alguém no mundo que pode não gostar dessa delicia?!!) e acrescentei quinoa cozida. Bem, seja como for, apenas faça essa salada e depois me conta o que você achou!

 

SALADA MEXICANA COM QUINOA

(serve bem até 6 pessoas)

 

Ingredientes:

  • 2 xícaras (chá) de quinoa cozida al dente
  • 2 xícaras (chá) de tomatinhos cortados ao meio
  • 2 avocados cortados em cubos
  • 2 espigas de milho verde ou 1 lata de milho drenada
  • 1 cebola roxa em fatias bem finas
  • coentro picado a gosto
  • salsinha picada a gosto
  • suco de 2 limões
  • 1 fio de azeite
  • sal a gosto
  • sementes de abóbora torradas (opcional)

 

Modo de Preparo: Cozinhe as espigas e retire o milho delas. Misture bem todos os ingredientes juntos em um bowl grande (ou faça como na foto e separe o avocado por cima em fatias), regue com o tempero, misture novamente e sirva. Simples, eficiente e deliciosa!

 

Bom apetite!

 

 

Sopa Cremosa de Batata-doce roxa

Postado em Comfort Food, Curiosidades, Fácil, Light, Nutrição, Receitas Rápidas, Sopas e Caldos, Vegetarianas - 23 de outubro de 2017

Sopa cremosa de batata-doce roxa

Embora não seja exatamente época de colheita de batata-doce eu tenho encontrado constantemente batata-doce roxa nos hortifrutis que frequento, e como eu amo esta batatinha de cor linda e cheia de propriedades nutricionais nunca resisto em levá-las pra casa.

 

A batata roxa não é só linda, mas é boa também! Dizem que a batata-doce roxa é um dos alimentos mais nutritivos do mundo, além de ser um carboidrato complexo de baixo índice glicêmico (o que significa que te deixa saciado por mais tempo) ela possui propriedades calmantes para o estômago, facilita a digestão, é um anti-inflamatório natural e é rica em antioxidantes. Também ajuda a regular o nível de stress por ser rica em magnésio e ajuda a regular os níveis de açúcar no sangue. Ou seja, é quase um remédio de comer, e com ela dá pra criar receitas incrivelmente saborosas.

 

Já fiz as batatinhas rústicas do post anterior, já fiz doce e agora trago pra vocês uma receita de sopa cremosa de batata-doce roxa porque o dia chuvoso e frio de hoje está pedindo uma bela receita de sopa que acolhe e faz a gente feliz. E não precisa se preocupar com as calorias, pois esta receitinha é super leve e vai te saciar por bastante tempo.

Sopa cremosa de batata-doce roxa2

SOPA CREMOSA DE BATATA-DOCE ROXA

(serve 4 pessoas)

 

Ingredientes:

  • 2 batatas-doce roxas descascadas
  • 1 talo de alho poró fatiado
  • 2 dentes de alho bem picados
  • 1 folha de louro
  • 1 ramo de manjericão fresco
  • 1 colher (sopa) de creme de ricota ou creme de leite
  • sal a gosto
  • 1 fio de azeite

Modo de Preparo: Em uma panela coloque um fio de azeite e deixe refogar rapidamente o alho poró fatiado, o alho e a folha de louro, até que comece a liberar aroma. Cubra com 1 litro de água quente e junte as batatas-doces descascadas e cortadas em cubos grandes. Reduza o fogo para chama média e cozinhe até ferver. Junte o ramo de manjericão e cozinhe por uns 3 minutos. Retire o ramo de manjericão, a folha de louro e ajuste o sal a gosto. Desligue o fogo e bata tudo com um mixer (ou transfira para o liquidificador). Retorne a sopa já cremosa ao fogo e junte o creme de ricota ou creme de leite. Cozinhe em fogo baixo por mais 5 minutos. No momento de servir coloque folhas de manjericão fresco e sementes de abóbora (opcional).

Sopa cremosa de batata-doce roxa3

E aí, gostaram da receita? É pura saúde no prato, pode fazer e me conta depois!

 

Bom Apetite!

 

 

Batata-doce Rústica

Postado em Acompanhamentos, Clássicos, Comidinhas, Dicas, Fácil, Light, No forno, Petiscos - 06 de outubro de 2017

Batata-doce rústica capa

Batata é um alimento amado no mundo todo, mas acho que a maior estrela entre os pratos de batata certamente são as famosas e deliciosas batatinhas fritas. Elas são unanimidade entre crianças e adultos, são versáteis, quase sem nacionalidade, tem aquele cheirinho inconfundível e quando bem feitas são crocantes por fora e macias por dentro. Esse é o meu conceito de batatinhas perfeitas, quando vale mesmo à pena dar aquela escapadinha da rotina saudável.

 

Aqui no blog já tem uma série de receitinhas de batatas rústicas, mas essas são especiais porque é natural que com o tempo e depois de tanto repetir nossas receitas preferidas acabamos sempre aprimorando algumas coisinhas. E foi isso o que aconteceu aqui, além dessa brincadeira que eu fiz com a produção da foto de servir as batatinhas dentro de um cone para serem consumidas com garfinho, do mesmo jeito que os carrinhos de comida de rua vendem as batatinhas fritas na Holanda.

 

Mas para a nossa alegria é possível fazer essas mesmas batatinhas na versão assada, no forno de casa sem precisar usar fritadeira e sem precisar sucumbir a uma friturinha para matar a vontade de comer “batata frita”. Algumas pessoas já vieram reclamar pra mim que tentaram fazer batatas fritas no forno sem sucesso, porque ficam molengas e encharcadas de óleo ou azeite. Mas o que eu sempre digo é que fazer batatinhas fritas assadas perfeitas você precisa estar atento a uma série de fatores. O forno precisa estar na temperatura ideal para não tostar antes que as batatas cozinhem corretamente por dentro, as batatinhas precisam estar cortadas em palitinhos porque os pedaços grandes não ficam crocantes (bota carinho na hora de cortar tá miga?!), as batatinhas não podem ficar amontoadas, o correto é deixá-las espalhadinhas na assadeira. Se seu forno tiver grelha superior (ou dourador) é ideal utilizá-la, além da grelha inferior que todos tem, assim as batatinhas assam por igual. Dá pra conseguir batatinhas fritas assadas? Sim, dá, mas vai precisar de uma dose extra de carinho. Dito isso tá moleza de preparar essa delícia em casa, e aqui eu substituí as batatas comuns por um mix de batatas-doces, o que deu uma cor linda e um sabor que na minha opinião é mil vezes melhor que o da batata inglesa.

Batata-doce rústica

Confere só!

 

BATATAS-DOCES RÚSTICAS

(rende 2 porções)

 

Ingredientes:

  • 1 batata-doce rosada grande
  • 1 batata-doce roxa grande
  • 6 dentes de alho inteiros
  • ramos de alecrim fresco
  • 2 colheres (sopa) de azeite
  • sal a gosto
  • pimenta moída a gosto

 

Modo de Preparo: Preaqueça o forno a 180º. Lave bem as batatas e seque. Corte as batatas em fatias no sentido longitudinal, e depois corte cada fatia em palitos, tentando manter um tamanho e formato padrão. Transfira os palitos de batata-doce para uma assadeira grande, tempere com azeite, sal e alecrim e misture bem, para que cada pedaço fique coberto com um pouquinho do tempero. Esmague grosseiramente cada dente de alho e junte na assadeira. Depois espalhe os palitos de forma que não fiquem amontoadas, sem que nenhuma batata fique sobre a outra. Leve a assadeira para o forno e depois de 10 minutos retire, solte algum pedaço que ficar grudado na assadeira, dê uma leve sacudida na assadeira para as batatas se espalharem novamente e torne ao forno por mais 10 a 15 minutos, ou até que os palitos estejam dourados. Retire do forno e deixe descansar por 3 minutos ainda na assadeira antes de servir, isso fará com que as batatinhas fiquem crocantes. Sirva quente.

Batata-doce rústica fecha

Muitas vezes a felicidade está numa comidinha simples, e este é o caso destas deliciosas batatinhas.

 

Bom Apetite!

 

 

 

Frigideira de lentilhas com ovos e como reaproveitar bem as sobras dos alimentos

Postado em Bate papo na cozinha, Comfort Food, Comidinhas, Dicas, Fácil, Light, No forno, Pratos Principais, Receitas de 30 minutos, Receitas Rápidas, Vegetarianas - 04 de outubro de 2017

Frigideira de lentilhas capa_F&F

Acho que a maioria de vocês já se deu conta disso e certamente já adota algumas práticas para evitar o desperdício de alimentos, mas eu acho este assunto tão importante que faço questão de dar uma reforçadinha nisso. Em pleno ano de 2017 e com as diversas crises sucessivas pelo mundo – econômica, ambiental, migratória, epidêmica, e principalmente a mais dolorida delas: A FOME – não podemos simplesmente virar as costas, deixar as coisas acontecerem e só ficarmos reclamando. É mais que o momento de fazermos a nossa parte, ainda que essa nossa parte seja feita dentro dos nossos limites, dentro das nossas casas, com nossas famílias e amigos, e na minha opinião uma das coisas que podemos – e devemos – fazer é criar e praticar uma consciência sustentável com relação à alimentação da nossa família, começando por evitar ao máximo e com medidas inteligentes o desperdício de alimentos.

 

Este é um assunto bem sério, principalmente porque uma quantidade obscena de alimento é desperdiçada diariamente no mundo todo, enquanto muitas pessoas sofrem com a falta dele. É óbvio que não podemos controlar grande parte dos fatores que causam esse tipo de “distúrbio”, como por exemplo as super safras que saem do controle, não tem consumo correspondente ao final e muitas vezes acabam sendo queimadas, inutilizadas mesmo estando perfeitas para o consumo para não causar uma queda brusca de preço e “desequilibrar a economia”. Nem vou entrar no mérito de como essa prática a meu ver é ridícula e me revolta, mas vou entrar no mérito de como podemos fazer nossa parte em casa, na administração da nossa rotina.

 

Na minha casa eu descobri com o tempo que fazer sempre uma lista de compras e planejar o cardápio da semana são práticas fundamentais para se evitar o exagero nas compras e consequentemente o desperdício. Outra tática que eu adoto é fazer as compras semanalmente, e não mensalmente. Até porque quando você faz a famosa compra do mês não é possível comprar todos os alimentos frescos para consumo durante aquele próximo período porque eles são perecíveis, e aí o resultado é que além da tal compra do mês você vai ter que voltar ao mercado ou ao hortifruti algumas outras vezes no mês para comprar aquilo que faltou, e nisso acaba comprando vários outros itens dos quais não precisava. Eu também não compro nada por quilo, mas por unidade. Por exemplo, eu já sei que 3 batatas grandes vão render batatas rústicas em quantidade suficiente para um almoço ou jantar de uma “familinha de 3” como é a minha, e se a batata entra só uma vez naquele meu cardápio da semana eu não tenho porque comprar mais do que 3 batatas. Me habituei a raciocinar em quantidade e não em peso e isso vem dando certo.

 

Ocorre que nem sempre tudo segue aquele roteirinho teoricamente perfeito que planejamos, mas se a comida sobrar e estiver boa para ser consumida você precisa ter um plano B para reaproveitá-la em uma nova refeição e ganhar pontos na tabela da vida evitando o desperdício. O arroz em quantidade exagerada pode virar o clássico e óbvio bolinho de arroz sim (e quem não ama?!), mas pode também virar torta, bolo doce, arroz de forno, arroz refogado ao estilo chinês, canja e até almôndegas!! São inúmeras possibilidades! Outro dia mesmo transformei algumas sobras de carne de churrasco em um ragu incrível para o macarrão, assim como as batatas-doces assadas na brasa viraram sopa e as lentilhas já cozidas na geladeira viraram esta receita linda e deliciosa que eu trouxe hoje pra vocês, feita toda com sobrinhas que eu tinha na geladeira, tudo o que tem nela eu aproveitei. É uma receitinha bem simples, que fica perfeita em um brunch mais caprichado ou num almoço mais leve em dia de semana.

 

Não vou me alongar muito, só quero mesmo sentir que estou fazendo a minha parte, e se eu posso compartilhar com vocês as minhas táticas para evitar o desperdício e também a forma como eu passo esta consciência para a Olivia em casa, eu acho que já posso ficar feliz porque muitas vezes temos esta vontade, temos esta consciência despertando dentro de nós mas não sabemos por onde começar. Se eu puder ajudar nos primeiros passos a minha meta está cumprida! Já ouvi algumas pessoas dizendo que reaproveitar alimentos e uma prática de pessoas de baixo poder aquisitivo, e até que reaproveitar é “brega”, mas pra mim reaproveitar é coisa de gente inteligente, conectada com a realidade, que sabe evoluir conforme o mundo evolui, que abre a mente para novas descobertas, que se permite criar e que se preocupa com o planeta em que vive, que independe de classe social. Brega, minha gente, brega é jogar comida no lixo, ficar parado no tempo vivendo de aparências e deixar de se envolver para se manter “chic”…

 

Quer pegar carona nesta vibe e anotar uma receitinha super bacana para reaproveitar alimentos?

Frigideira de lentilhas 1_F&F

FRIGIDEIRA DE LENTILHAS COM OVOS

(serve 2 pessoas)

 

Ingredientes:

  • 2 xícaras (chá) de lentilhas já cozidas e temperadas (a minha estava com cebola, alho, sal, 1 pitada de cominho e 1 de curry)
  • ovos (o ideal é calcular 2 por pessoa)
  • mini tomates
  • 2 colheres (sopa) de queijo de cabra (ou outro de sua preferência)
  • 1 colher (sopa) de molho pesto
  • salsa fresca
  • azeite e sal a gosto
  • Cubos de pão amanhecido

 

Modo de Preparo: Preaqueça o forno a 180º. Em uma frigideira que possa ir ao forno ou em um refratário ajeite as lentilhas, criando uma base com elas. Faça 4 cavidades na base de lentilhas e quebre um ovo dentro de cada uma delas. Depois espalhe os tomatinhos cortados ao meio, o queijo e os cubos de pão amanhecido. Finalize com azeite e sal. Leve para o forno até que a clara esteja bem cozida e a gema ainda mole. Retire do forno e no momento de servir junte uma porção de molho pesto. Salpique salsa fresca por cima de tudo. Esta receita pode ser feita em panelinhas individuais ou em um único refratário, a escolha fica por sua conta.

 

Substituições possíveis:

  • as lentilhas podem ser substituídas por grão-de-bico, milho, ervilha ou feijão.
  • o queijo pode ser qualquer um que você tenha em casa
  • o molho pesto combinou muito com este prato, mas se você não tiver pode usar só o azeite mesmo e caprichar nas ervas frescas
  • daria para acrescentar cebola, cenoura, abobrinha, pimentão, azeitonas

 

Espero que gostem do post e da receita, e é claro que eu conto com a participação de vocês. Vamos trocar ideias sobre como evitar o desperdício de alimentos?! Me contem, vou adorar saber o que vocês já fazem hoje para que isso seja possível!

 

Beijos!

Fabi

Cocada de Forno FIT

Postado em Comidinhas, Comidinhas da Oli, Doces, Fácil, Frutas, Light, No forno, Receitas de 30 minutos, Receitas Especiais (s/ Glúten/Lactose), Receitas Rápidas, Sobremesas - 27 de setembro de 2017

Cocada de Forno FIT

Agora as amiguinhas Fit piram! Hoje é dia de receita doce, e light, e fit, e fácil que fica pronta em apenas 20 minutos e que dá aquela felicidade no coração, sabem? Sim, ela existe e é moooito gostosa!

 

Temos algumas formigas por aqui, e eu não sou lá a maior fã de doces, então passo um certo aperto para ser criativa e elaborar umas receitinhas doces alternativas e mais magrinhas porque vocês sabem, não curto ficar dando açúcar pra Oli e como sei que as festinhas de aniversário são inevitáveis nesta fase eu reservo os finais de semana para “o dia do doce”, e aí eu libero e deixo ela escolher o que quiser, mas combinamos antes a quantidade, assim não rola frustração e nem briga. Por este forte motivo as receitas de sobremesa que saem da minha cozinha são na grande maioria das vezes sobremesas menos calóricas, mas nem por isso menos gostosas.

 

Façam esta cocada de forno e depois me contem se se sentiram “chateados” por não ser uma sobremesona lotada de açúcar :)

 

COCADA DE FORNO FIT

(rende 2 unidades)

 

Ingredientes:

  • 1/2 xícara (chá) de coco fresco ralado
  • 4 colheres (sopa) de leite de coco light
  • 2 colheres (sopa) de farinha de amêndoas ou farinha de arroz ou aveia em flocos finos
  • 1 ovo
  • 2 colheres (sopa) de xilitol**
  • polpa de 1 maracujá

Modo de Preparo: Preaqueça o forno a 180º. Em uma tigela misture bem todos os ingredientes da cocada e 2 colheres de sopa da polpa de maracujá, reservando algumas sementinhas para a apresentação. Unte duas forminhas ou ramequins com ghee ou óleo de coco e preencha-as com a cocada. Leve para assar por 15 minutos, ou até que a superfície esteja dourada. Finalize com lascas de coco e algumas sementinhas de maracujá. Sirva quente com uma bola de sorvete ou iogurte gelado por cima se desejar.

 

** Sobre o Xilitol: O xilitol é um adoçante natural de origem vegetal, encontrado nas fibras de algumas frutas e legumes. O xilitol não faz mal à saúde, pelo contrário, sua contribuição na prevenção de cáries já foi comprovada. Além disso não engorda e pode ser consumido por diabéticos e por crianças. Pode ser encontrado facilmente em lojas de produtos naturais, mas infelizmente ainda tem um custo elevado: 300g pode chegar a custar mais de R$ 30,00. De qualquer forma, vale à pena conhecer, estou usando bastante nas receitas e gostando muito, especialmente por não ter aquele sabor residual dos “adoçantes” dietéticos (e que são cheios de químicas)…

“ALÉRGICOS: Esta receita não contém glúten, nem lactose, nem açúcar.”

 

Bom Apetite!

 

Bowl Vegetariano Colorido e Super Saudável

Postado em Bate papo na cozinha, Comidinhas da Oli, Cozinhando para os Pequenos, Fácil, Gastronomia Funcional, Light, Molhos, Pratos Principais, Receitas de 30 minutos, Saladas, Vegetarianas - 25 de setembro de 2017

Bowl Colorido Veggie_F&F

Já tem um bom tempo que eu venho mudando meus hábitos alimentares e valorizando cada vez mais os ingredientes frescos, naturais, orgânicos (quando possível) e acima de tudo saudáveis. O resultado a curto prazo é que todos em casa amam comer assim, principalmente a Olivia, que desde o começo da introdução alimentar já aprendeu a “comer diferente” como contei diversas vezes aqui. Só para dar alguns exemplos rápidos: ela não gosta de colocar sal na comida, ama tomates e algumas verduras cruas mesmo, prefere batata-doce à batata comum, come pouca quantidade de carne vermelha, adora peixe, gosta tanto de massa integral e arroz integral que nem lembra de pedir as versões brancas, não gosta de refrigerantes, ama meus bolinhos de frutas alternativos adoçados com pasta de ameixa e/ou tâmaras, enfim, resumindo a Oli não vai sofrer na vida para aprender a comer, ela já começou aprendendo o certo. E eu posso afirmar pra vocês sem medo de ser apedrejada: o ensinamento, o exemplo e a persistência tem que partir de dentro de casa, e não tem como dar errado.

 

O fato da Olivia comer de tudo e não me dar trabalho neste aspecto me dá liberdade para cozinhar o que eu quiser em casa porque se ela não gostar do prato principal vai se adaptar com as outras opções que estiverem na mesa, e o mesmo acontece quando saímos para comer fora. Nunca nos sentimos presos a um determinado lugar porque temos a tranquilidade de saber que “lá tem o prato x que a Olivia come”, pelo contrário, ela nos acompanha desde o restaurante japonês (que ela ama por sinal) até o restaurante que faz bacalhau ou a churrascaria, e sempre vai ter algo que ela gosta de comer. Mas já ouvi amigas se lamuriando que só podem ir a cantinas pois seus filhos só comem macarrão com molho de queijo. Sim, eu sei que alimentação de filho é uma coisa delicada, e não sou nutricionista infantil pra recomendar dietas específicas, mas sou mãe, e na prática a minha própria experiência me mostra que nós temos que acreditar no potencial dos nossos filhos, confiar neles e nunca desistir de oferecer o mais saudável, porque de tanto insistir em algum momento eles vão ceder e vão topar experimentar coisas novas, e aí temos que aproveitar! É tão mais fácil “aceitar” que os pequenos não gostam de provar novos alimentos e cozinhar uma porção de macarrão, colocar manteiga e queijo ralado né? Sim, com certeza é, mas e os demais nutrientes? E a construção do paladar do seu filho? Nem sempre o que é mais fácil e mais prático agora vai lhe trazer benefícios no futuro. Quanto mais cedo você começar a tentar, mais chances vai ter de obter sucesso na missão.

 

A receitinha de hoje é um deleite pra mim, não só porque é um prato colorido e saudável, mas porque tudo o que eu coloquei nele eu amo de paixão, além de ser um bom exemplo de como tentar introduzir hábitos alimentares mais saudáveis na sua casa. Eu costumo dizer nos meus workshops que se você está diante de uma pessoa difícil de comer uma boa alternativa é dar-lhe opções variadas, e nesse sentido este prato aqui é perfeito, concordam? Não tem segredo, na verdade é bem simples e você pode substituir qualquer um ou todos os ingredientes para adaptar ao seu paladar ou para o que tiver em mãos no momento. Você pode preparar uma versão 100% crua por exemplo, acrescentar castanhas, sementes, alguma proteína…Neste aqui tem quinoa cozida, lentilhas refogadas com curry, tomatinhos, couve-flor e batata-doce assados, ovos cozidos e avocado fresco picadinho. Para finalizar juntei um montinho de folhas de agrião e servi com um molhinho de tahine apenas delicioso!!! Anote a receita e depois solte a sua criatividade:

 

BOWL COLORIDO E SAUDÁVEL

(para 2 porções bem servidas)

 

Ingredientes:

  • 12 tomatinhos cortados ao meio
  • 1 pé pequeno de couve-flor (apenas os floretes)
  • 1 xícara (chá) de quinoa já cozida
  • 1 xícara (chá) de lentilha refogada*
  • 1 batata-doce média cortada em cubos
  • 3 ovos
  • 1 avocado cortado em cubos
  • 1 punhado generoso de agrião
  • 1 fio de azeite
  • sal e alecrim a gosto

 

Modo de Preparo: Cozinhe a batata-doce e os floretes de couve-flor no vapor por 5 minutos, apenas para amolecerem um pouco. Preaqueça o forno a 180º por 10 minutos. Em uma assadeira disponha os floretes de couve-flor, os mini tomates e os cubos de batata-doce. Regue tudo com um fio de azeite, tempere com sal e ramos de alecrim por cima de tudo. Asse até dourar. Cozinhe os ovos no ponto desejado, descasque e reserve (ovos poché também ficam perfeitos neste prato). *Prepare a lentilha, refogando-a com um pouco de cebola picada, alho, uma pitada generosa de curry, sal a gosto e 1 xícara (de chá) de água com a panela tampada e em fogo baixo até que esteja macia. Quando tudo estiver pronto monte o prato com todos eles, finalizando com o avocado em cubos, as folhas de agrião e sirva com o molho tahine que eu ensino abaixo.

 

Molho de Tahine Perfeito para Saladas:

Em um pote com tampa junte 1 colher (sopa) generosa de pasta de tahine, 1 colher (café) de óleo de gergelim, suco de 1/2 limão tahiti, 1 fio de azeite, 1/4 de água gelada e sal a gosto. Tampe e agite muito bem até que esteja totalmente emulsionado. Este molho pode ser conservado em geladeira por até 1 semana.

Bowl Colorido Veggie2_F&F

Com o verão chegando ter opções fáceis e saudáveis como esta faz toda a diferença!!!

 

E você, tem alguma dica ou truque que utiliza em casa para estimular uma alimentação mais saudável em seus filhos? Conta aqui nos comentários, divide com a gente!

 

Bom Apetite!

Fabi

 

Mini Muffins de Banana e Amendoim sem Farinha e sem Açúcar

Postado em Bolos, Comidinhas da Oli, Cozinhando para os Pequenos, Doces, Fácil, Gastronomia Funcional, Light, No forno, Receitas de 30 minutos, Receitas Especiais (s/ Glúten/Lactose), Receitas Rápidas - 20 de junho de 2017

Mini Muffins de Banana e Amendoim sem Açúcar_Figos e Funghis

Já contei por aqui que eu tenho um serzinho em casa que é doida por doces, mas que eu tenho uma certa neura em controlar o consumo de açúcar – até porque ela ainda é muito pequena para comer açúcar com frequência e vamos combinar que açúcar em excesso não faz bem pra ninguém. Somando isso ao fato de que eu gosto de ter uma alimentação saudável e de que rola sim um controle de calorias durante a semana, estou sempre em busca de novas receitas que possam ser ao mesmo tempo DELICIOSAS – óbvio! – e mais saudáveis, com menos gordura, pouco ou quase nenhum açúcar, e foi assim que surgiu esta receitinha incrível de hoje.

 

Depois de 3 testes eu consegui chegar em uma formulazinha mágica de mini muffins de banana que não levam nem açúcar e nem farinha, mas que são tão saborosos que a Olivia já me fez repetir mais algumas vezes. Além de muito fácil de fazer (não leva nem 10 minutos!), os muffins ficam com uma consistência bem legal, ficam fofinhos e aerados por dentro, mas pra mim o plus desta receita é que pode ser preparada no liquidificador, ou até mesmo no mixer se você pretende fazer apenas uma receita. É uma receita perfeita para os pequenos, por ser uma opção de docinho mais saudável, gostoso, e que pode ser tranquilamente consumida a partir de 1 ano de idade. Só não recomendo para bebês menores de 1 ano porque tem pasta de amendoim na massa, e os pediatras costumam recomendar que as oleaginosas (amendoim, castanhas e afins) só sejam consumidas a partir de 1 ano de idade. O povo da vida fit também vai pirar nesses bolinhos, posso garantir porque já fiz o teste, dei para a minha personal provar e ela amou.

 

Bem, se gostar e quiser levar a receita eu vou adorar, ela está aqui pra isso! Mas vou achar maravilindo se você me marcar na sua foto lá no instagram e vou te amar pra sempre se você quiser publicar no seu blog e me der os créditos, afinal o que é bom é para ser compartilhado, e dar os créditos é um gesto nobre :)

Mini Muffins de Banana e Amendoim sem Açúcar2_Figos e Funghis

MINI MUFFINS DE BANANA E AMENDOIM SEM FARINHA E SEM AÇÚCAR

(rende 6 unidades)

 

Ingredientes:

  • 1 banana média
  • 1/2 xícara (chá) de manteiga de amendoim SEM açúcar
  • 3 colheres (sopa) de néctar de agave (ou mel, melado, ou xilitol)
  • 1 ovo
  • 1 colher (café) de bicarbonato de sódio
  • 1 colher (café) de extrato ou essência de baunilha
  • 1 pitada de sal
  • gotas de chocolate amargo (opcional)

 

Modo de Preparo: Preaqueça o forno a 190°. Unte forminhas de silicone com o próprio óleo da pasta de amendoim (usei um pincel para facilitar) e depois polvilhe um pouquinho de farinha da sua preferência em cada uma delas (usei farinha de trigo integral), bata no fundo e retire o excesso. Reserve. Amasse a banana e junte no copo do mixer ou do liquidificador todos os outros ingredientes (menos as gotas de chocolate se estiver usando). Distribua a massa nas forminhas e coloque-as sobre uma assadeira reta ou própria para muffins. Se estiver usando as gotas de chocolate polvilhe por cima de cada bolinho. Leve ao forno por 20 minutos, ou até passar no famoso teste do palito.

 

Dicas:

  1. Se você quiser preparar esta receita para crianças menores de 1 ano de idade, substitua a manteiga de amendoim por um purê de tâmaras e ameixas secas na mesma proporção indicada. Deixe as frutas secas de molho em água por 2 horas, depois escorra a água e processe apenas as frutas. Neste caso pode dispensar o néctar de agave ou o mel, enfim, o que usaria para adoçar, pois o purê de frutas secas já é bastante doce.
  2. Esta receita rende pouco. Uma receita dos muffins rende apenas 6 unidades, portanto, se quiser fazer mais apenas dobre, ou triplique.

Mini Muffins de Banana e Amendoim sem Açúcar3_Figos e Funghis

E aí, gostaram? Para me ver cozinhando com a Oli acompanhe o meu Stories lá no Instagram (@figosefunghis), estamos sempre por lá fazendo bagunça na cozinha, eu e minha pequena cozinheira <3

 

Talvez você também goste dessas receitas aqui:

Bolo de Banana sem Açúcar e sem Farinha

Muffins de anana com Canela

Bolo Integral de Maçã com Aveia e Granola

Blondie Funcional sem Açúcar

Brownie Fit de Batata-doce

 

Creme de Pitaya

Postado em Comidinhas, Comidinhas da Oli, Fácil, Frutas, Gastronomia Funcional, Light, Receitas Rápidas, Sobremesas, Sorbets e Sorvetes, Viagens - 15 de maio de 2017

Bowl de Pitaya_Figos e Funghis

Semana começando e nada melhor que uma receita leve e saborosa para esta segundona, certo? Esta receitinha muito fácil e colorida veio junto na minha bagagem das últimas férias em Bali. Lá do ladinho do nosso Hotel, na praia de Uluwatu, havia um quiosque muito famoso por ali que se chama “Nalu Bowls”, onde preparam na hora tigelas lindas com mix de frutas fresquinhas, ou seja, é uma parada obrigatória para os que estão subindo de volta do surf. Fui uns 3 dias comer por lá, e obviamente prestei muita atenção em como preparavam aquelas delicias. Esta que vou ensinar hoje é o bowl de Pitaya, uma fruta muito comum de se encontrar na Indonésia, e que nós também conhecemos bem por aqui.

 

Este creme de pitaya é tão delicioso que parece um sorvetinho, e com as frutas como complemento é um farto café da manhã. Ficamos tão apaixonados que compramos até as cascas de coco em Bali para poder fazer igualzinho em casa quando voltássemos. Quem me segue no Instagram pode conferir na #ffporai a fotinho do bowl de pitaya do Nalu Bowls que eu comi.

 

Vale muito à pena guardar esta receitinha, porque além de ser muito saudável (não vai nenhum tipo de adoçante) ela é também bastante versátil, podendo ser a sobremesa dos pequenos, um belo café-da-manhã saudável ou ainda o componente de um delicioso brunch. Fizemos já algumas vezes em casa desde que retornamos, e a Olivia claro, adorou! Ela chama a pitaya de “fruta das princesas”, porque a polpa tem uma cor pink bem forte. Anota aí então!

 

CREME DE PITAYA (Pitaya Bowl)

(rende 2 porções)

 

Ingredientes:

  • 1 pitaya pink
  • 2 bananas nanicas maduras para o creme + 1 para fatiar
  • 6 morangos lavados e fatiados
  • 1 xícara (chá) de manga fatiada ou cortada em cubos
  • 1/2 xícara (chá) de coco fresco em lâminas
  • 4 colheres (sopa) de granola
  • 1 colher (café) de chia

 

Modo de Preparo: Abra a pitaya ao meio e com a ajuda de uma colher retire toda a polpa. Pique e armazene em um saquinho plástico do tipo zip. Leve ao freezer por ao menos 4 horas (costumo fazer esta etapa na noite anterior). Quando a polpa da pitaya já estiver congelada coloque no liquidificador junto com 2 bananas nanicas descascadas e picadas grosseiramente. Bata, ajudando com um pilo no início. Rapidamente você vai obter um creme com consistência firme. Distribua o creme em 2 potes e cubra com as frutas restantes: banana fatiada, morango fatiado, manga e coco fresco. Por fim, finalize com uma porção de granola e chia. Sirva em seguida.

Bowl de Pitaya2_Figos e Funghis

Faz e depois me conta o que você achou, combinado?

Aproveita e segue o blog lá no Instagram para não perder nenhuma novidade que eu posto por lá ;) (@figosefunghis)

 

Beijo!

 

Curry Vegetariano de Abóbora, grão-de-bico e cogumelos

Postado em Comfort Food, Cozinhando para os Pequenos, Fácil, Light, Pratos Principais, Receitas Especiais (s/ Glúten/Lactose), Vegetarianas - 03 de maio de 2017

Curry Vegetariano de abóbora, grão-de-bico e cogumelo1_F&F

Em casa sempre gostamos de pratos vegetarianos, e quando queremos fazer uma refeição mais leve ou nas segundas sem carne eu procuro ser o mais criativa possível para criar novas receitas para sair da mesmice, e ultimamente eu fiquei expert no preparo de curries vegetarianos tamanho o sucesso que eles fazem por lá! É uma das receitas preferidas da Oli, das que ela mais me pede para fazer :)

 

A base do curry é geralmente sempre a mesma. Eu gosto de começar a preparar aquecendo os temperos em algum tipo de gordura que pode ser o azeite, o óleo de coco ou manteiga ghee. O estilo de curry que eu mais gosto tem uma certa inspiração indiana porque gosto de colocar garam masala e uma variedade de outras especiarias nele, e acho que quanto mais, melhor, pois enriquece o sabor do prato e torna a refeição muito mais prazerosa. Na minha mais recente viagem de férias para a Indonésia eu aproveitei para fazer uma imersão na culinária local (prometo que depois conto mais sobre isso aqui), e aprendi que lá eles usam muitos temperos como base de preparo de quase todos os pratos, e acho que justamente por isso esta comida asiática seja tão interessante. Bem, mas este aqui não é um curry aprendido por lá, pois já preparo esta receita há tempos e inclusive já a incluí em um workshop de receitas vegetarianas que dei ano passado aqui em SP. O que acontece comigo é o que acontece com todo cozinheiro: ele pega uma receita que gosta muito e vai aprimorando, mexendo um pouquinho de cada vez até que ache que está bom.

 

Nesta versão eu usei abóbora cabotiá, grão-de-bico e cogumelos frescos, mas também já usei lentilhas no lugar do grão-de-bico e já usei tofu no lugar dos cogumelos. Como eu disse, é uma receitinha coringa porque a base dos temperos sempre será a mesma, mas você pode estimular a criatividade e substituir os ingredientes. Curry de batata, por exemplo, fica bom demais!

Curry Vegetariano de abóbora, grão-de-bico e cogumelo_F&F

CURRY DE ABÓBORA COM GRÃO-DE-BICO E COGUMELOS

(serve 4 pessoas)

 

Ingredientes:

  • 500g de abóbora cabotiá descascada e cortada em cubos médios
  • 2 xícaras (chá) de grão-de-bico deixado de molho por 24 horas, e escorridos
  • 200g de cogumelos paris frescos cortados em quartos
  • 100ml (ou 1/2 garrainha) de leite de coco
  • 1 e 1/2 xícara (chá) de água
  • 1 cebola pequena bem picada
  • 3 dentes de alho bem picados
  • 1 colher (sopa) de manteiga ghee
  • 1 colher (sopa) de azeite
  • 1 colher (chá) de curry
  • 1 colher (café) de garam masala
  • 1 colher (café) de grãos de mostarda
  • 1 pitada de canela em pó
  • 2 folhas de louro
  • sal a gosto
  • salsa fresca picada e gergelim para finalizar

 

Modo de Preparo: Numa panela grande aqueça o azeite com a manteiga e junte a cebola, o alho e refogue até a cebola ficar transparente. Adicione os grãos de mostarda, o curry, a garam masala, as folhas de louro e refogue até que obtenha uma espécie de pastinha grudada no fundo da panela. Regue com a água e junte os cubos de abóbora, o grão-de-bico deixado de molho e já escorrido, a pitada de canela e tempere com sal. Tampe a panela e deixe cozinhar em fogo médio até ferver, então adicione o leite de coco e deixe cozinhar em fogo baixo por mais 15 minutos, mexendo de vez em quando e adicionando mais água se achar necessário. Quando a abóbora estiver bem cozida e o grão-de-bico al dente acrescente os cogumelos, mexa, tampe a panela e cozinhe por apenas 3 minutos. Desligue e sirva em seguida com algum arroz da sua preferência e uma saladinha ou folhas refogadas. Aqui eu preparei uma saladinha de espinafre baby que encontrei no hortifruti e arroz vermelho.

 

Tá vendo como comida vegetariana pode ser tão atraente que você nem deu falta da carne nesta receita? Porque comida vegetariana não precisa ser aquela coisinha sem surpresa que você apenas tirou a carne de uma receita originalmente preparada com ela, pelo contrário, você pode criar uma receita totalmente nova e surpreendente tendo os vegetais como estrelas principais. Outro dia uma amiga vegetariana reclamou pra mim que está cansada de ir a restaurantes e ver que as opções vegetarianas se limitam às massas, ela me disse que procura muito mais que isso, algo que surpreenda o paladar, que lhe faça salivar e que lhe dê vontade de repetir. Eu posso até estar sendo um tiquinho arrogante, mas afirmo sem medo de ser feliz que esta receitinha cumpre o papel lindamente. Façam para aquele(a) amigo(a) vegetariano(a) e depois me contem se não foi um arraso!

Curry Vegetariano de abóbora, grão-de-bico e cogumelo2_F&F

Bom Apetite!!

 

Para ver mais receitas como esta:

Curry Vegetariano de Couve-flor

Curry Vegetariano de Legumes

 

 

Bolo de Banana sem Açúcar e sem Farinha

Postado em Bolos, Comidinhas da Oli, Cozinhando para os Pequenos, Dicas, Doces, Fácil, Gastronomia Funcional, Light, No forno, Receitas Rápidas - 05 de abril de 2017

Bolo de Banana sem Açúcar 2_Blog Figos & Funghis

Outro dia a Olivia me pediu para fazer um bolo de banana pra ela, mas como eu evito dar açúcar em dias de semana decidi tentar preparar um bolo de banana sem açúcar e usando aveia no lugar da farinha para deixar mais leve. Como ela ainda é bem pequena nós costumamos liberar doces no sábado ou no domingo, o que nomeamos de “o dia do chocolate”, assim ela pode comer algumas guloseimas.

 

Acho importante esclarecer que essa prática não foi adotada para criar na minha filha algum tipo de neurose com relação ao peso, mas sim pensando na saúde dela, pois como todos sabemos já foi comprovado por infinitas pesquisas que o açúcar branco faz sim mal à saúde. Sendo assim estou sempre buscando passar pra ela um estilo de vida mais saudável e equilibrado, em que as guloseimas são permitidas sim, mas em dias determinados e com moderação. Sem contar que o paladar infantil é mais suscetível à viciar-se em alimentos doces, e isso às vezes pode causar a recusa por alimentos naturalmente doces, como as frutas, por exemplo. Tenho comprovado isso em casa pois apesar de ver que a Olivia ama todos os tipos de doces que já provou ela também adora um chocolate amargo e come quase todas as frutas.

 

Mas falando da receita, é um bolo de banana super simples e adoçado com ingredientes naturais como a tâmara, a ameixa e as uvas passas, você realmente pode usar todos eles combinados ou qualquer um deles que o resultado será ótimo. Para dar uma incrementada eu fiz uma cobertura com iogurte grego sem açúcar adoçado com melado de cana, e além de ter ficado uma delicia ficou também com um aspecto lindo, com uma textura firme. Para enfeitar caramelizei fatias de banana no forno e não adicionei nada, é apenas banana assada até dourar. Esta receita também é uma ótima opção para pessoas que tem restrição de açúcar. Anote a receita e faça seus filhos felizes ;)

Bolo de Banana sem açúcar_Figos & Funghis

 

BOLO DE BANANA SEM AÇÚCAR E SEM FARINHA

Ingredientes:

  • 3 bananas maduras bem amassadas
  • 2 xícaras (chá) de aveia em flocos finos
  • 1 xícara (chá) de aveia em flocos grossos
  • 2 ovos
  • 1 xícara (chá) de purê de tâmaras e uvas passas pretas deixadas de molho de um dia para o outro (sem a água)
  • 2 colheres (sopa) de óleo de coco (ou outro de sua preferência)
  •  1 colher (sopa) de canela em pó
  • 1 colher (chá) de essência ou extrato de baunilha
  • 1 colher (chá) de fermento químico em pó
  • 1 colher (chá) de bicarbonato de sódio

 

Modo de Preparo: Preaqueça o forno em 180º. Numa tigela misture os ovos e o purê de frutas secas e bata bem até virar um creme grossinho. Junte o óleo, a canela, a baunilha e mexa novamente para misturar. Aos poucos vá juntando a aveia em flocos grossos e em flocos finos. Mexa a massa do bolo a cada adição de aveia até acrescentar toda a quantidade indicada na receita. Por fim amasse as bananas e junte na massa. Mexa bem e acrescente as nozes, as uvas passas, o fermento e o bicarbonato. Unte 1 forma de bolo inglês com óleo de coco e polvilhe um pouco de aveia em flocos finos, bata na forma de cabeça para baixo para retirar o excesso de farinha e preencha com a massa de bolo. Asse por 40 minutos em 180º ou até que enfie um palito no bolo e ele saia limpo.

 

Dica de Cobertura: Misture 1 pote de iogurte grego sem açúcar com 3 colheres (sopa) de melado de cana ou mel e bata por alguns minutos com um fouet. Quando o bolo estiver pronto, desenformado e frio espalhe a cobertura por cima e enfeite com rodelas de banana caramelizadas.

 

Dica de Substituições: Se você for intolerante a glúten pode substituir a aveia em flocos grossos e a aveia em flocos finos por farinha de arroz, de sorgo, de grão-de-bico ou outra de sua escolha. Apesar da aveia não conter glúten naturalmente, muitas vezes é processada nas mesmas máquinas que o trigo, o que pode resultar no que os nutricionistas chamam de “contaminação cruzada”, por isso celíacos costumam evitar a ingestão de aveia.

 

Bom Apetite!

 

Omelete de Forno Super Fácil

Postado em Abobrinha, Clássicos, Comidinhas da Oli, Cozinhando para os Pequenos, Fácil, Light, No forno, Pratos Principais, Receitas de 30 minutos, Receitas Rápidas, Vegetarianas - 27 de março de 2017

Fritata Verde_1

Em casa nós comemos muitas refeições vegetarianas durante a semana, principalmente no jantar quando gostamos de algo mais leve. A #segundasemcarne também é um ótimo pretexto para diminuir um pouquinho que seja o consumo de carne e focar nas verduras, nos legumes, nos grãos e nas frutas. Eu adotei esta prática em casa já há um bom tempo e adoro, porque todas as segundas-feiras meu almoço e da Oli não inclui carne, e aí eu preciso me forçar a criar sempre novas receitas para não cair na mesmice e de quebra ainda oferecer uma variedade de alimentos e receitas para a minha pequena. Comer colorido além de ser saudável é delicioso e pode surpreender muito!

 

Foi em uma dessas segundas sem carne que saiu esta deliciosa omelete de forno que eu preparei adicionando abobrinha em cubinhos, edamame, cebola roxa e ervas frescas. A Olivia é louca por edamame, e eu nunca posso deixar de ter no freezer. Para quem ainda não conhece, o edamame é o grão verde da soja que é encontrado congelado em duas versões: dentro e fora da vagem, e é delicioso não só como snack saudável e de baixas calorias, mas também para incrementar diversas receitas. Esta omelete não me tomou nem 15 minutos de preparo e que depois de pronta nos fez muito felizes. Para acompanhar apenas arroz integral e uma saladinha. A receita desta omelete está aqui embaixo, mas é claro que você pode dar o seu toque especial e variar os ingredientes que mais gostar, o que vale é a ideia.

Fritata verde_2

OMELETE DE FORNO

(serve até 4 pessoas)

 

Ingredientes:

  • 8 ovos
  • 2 colheres (sopa) de creme de ricota
  • 1 colher (sopa) de queijo parmesão
  • 1 colher (sopa) de azeite
  • 1 cebola roxa cortada em finas fatias
  • 1 abobrinha pequena cortada em cubinhos
  • 2/3 de xícara (chá) de edamame (pode substituir por ervilhas se não encontrar)
  • salsinha fresca a gosto
  • cebolinha picada a gosto
  • pimenta moída e sal a gosto

 

Modo de Preparo: Preaqueça o forno a 200º. Em uma tigela junte todos os ovos (por precaução gosto sempre de quebrá-los um a um em uma xícara) e com a ajuda de um fouet misture bem, até que esteja, bem incorporados e com uma leve espuma na superfície. Junte o creme de ricota, o parmesão, o azeite, a cebolinha, a pimenta e o sal. Misture novamente. Unte um refratário com um fiozinho de azeite e despeje a mistura de ovos sobre ele. Por fim espalhe a abobrinha em cubos, o edamame e a cebola roxa. Leve para assar por 15 a 20 minutos e desligue quando a omelete estiver assada e levemente dourada na superfície. Finalize com salsa fresca.

 

Simples, fácil e rápido!

 

Bom Apetite!

Kibe de Abóbora Recheado

Postado em Comidinhas, Cozinha Árabe, Dicas, Fácil, Light, No forno, Petiscos, Pratos Principais, Vegetarianas - 08 de março de 2017

Kibe de Abóbora Recheado_Figos e Funghis

Mais uma receita de kibe de abóbora Fabi? Sim, mais uma, porque vocês já sabem que eu não resisto a uma receitinha nova deste prato que eu amo de paixão, e na verdade é aquela minha velha receita, mas de carinha nova, atualizada e com recheio de couve cortada bem fininha refogada ao alho e óleo. Se esta descrição já te deu água na boca espera só até você provar esta deliciosidade!

 

Devo reconhecer que não sou a maior fã das receitas da Bela Gil, apesar de achar que ela tem umas sacadas incríveis e dicas super úteis, mas sem querer ser polemicona eu só acho que às vezes ela se excede um pouco na busca por opções naturebas. Quem me acompanha sabe que eu amo uma comida de verdade, procuro utilizar poucos produtos industrializados e amo uma receitinha light, mas cá pra nós, não precisamos ser radicais para nutrir nosso corpo de forma saudável sem abrir mão do prazer de comer e principalmente do sabor. Então que de vez em quando dou uma passeada pelos canais de TV e se acho algo interessante paro e assisto. Foi numa dessas vezes eu vi a Bela Gil terminando de preparar um kibe de abóbora recheado de uma verdura chamada bertalha. Achei muitíssimo interessante e me perguntei porque eu nunca tinha tido esta ideia genial de rechear com verdura os meus kibes, já que a minha esfiha preferida é, por acaso, de verdura! Foi amor à primeira vista, mas como sou preguiçosa não entrei no site do programa para procurar a tal receita, até porque eu sei fazer kibe com os dois pés nas costas desde que era pequena e ajudava minha bisavó a prepará-los. Não, eu não precisava da receita do kibe, mas eu precisava daquela ideia genial que a Bela Gil teve, e tinha que ser logo porque minhas lombrigas estavam me matando! Ideia da Bela, receita minha, e tá tudo certo. Não usei bertalha porque é bem difícil de achar se não estiver na época, mas usei couve que eu adoro! Acho que folhas de brócolis ou de couve-flor picadinhas também ficariam deliciosas no recheio, além de dar um destino digno e gostoso para uma parte que costuma ser desprezada.

 

O kibe ficou absolutamente delicioso, mas já vou avisando que dá um certo trabalho na hora de modelar os bolinhos porque como só tem abóbora, trigo e temperinhos na massa ela não fica tão firme para modelar como o kibe de carne, e chega um certo momento em que você vai precisar parar tudo, lavar as mãos e recomeçar porque a massa fica grudentinha. Unte as mãos com azeite ou com água mesmo para facilitar o processo.  Agora, se quiser facilitar tudo e ganhar o troféu de rainha da praticidade monta logo num refratário com uma camada de couve refogada entre duas partes de kibe de abóbora e tá lindo, fica gostoso do mesmo jeito.

Kibe de Abóbora Recheado2_Figos e Funghis

KIBE DE ABÓBORA RECHEADO (ASSADO)

(rende 8 unidades grandes ou 12 médias)

 

Ingredientes:

  • 600g de abóbora japonesa descascada e cortada em cubos
  • 2 xícaras (chá) de trigo para kibe já hidratado em água quente*
  • 1/2 cebola bem picada
  • 1 dente de alho espremido ou bem picado
  • 1/2 xícara (chá) de cheiro-verde picado
  • 1 punhado de manjericão picado
  • 1 punhado de hortelã picada
  • 1 colher (café) de pimenta síria
  • 1 pitada generosa de cominho em pó
  • 2 colheres (sopa) de azeite
  • 1 colher (café) de sal

 

Para o Recheio:

  • 200g de couve manteiga cortada em fatias bem fininhas
  • 2 dentes de alho espremidos
  • 1 fio de azeite
  • sal a gosto

 

Modo de Preparo: Cozinhe ou asse os cubos de abóbora até que fiquem bem macios (se cozinhar deixe por alguns minutos a abóbora já cozida sobre um escorredor para retirar o máximo de água dela). Amasse a abóbora já cozida e reserve. Aqueça uma frigideira, coloque nela um fio de azeite e refogue brevemente o alho, em seguida junte a couve, adicione sal e mexa. Tampe e deixe murchar por uns 2 minutos, desligue e deixe esfriar. Em um bowl misture o trigo já hidratado, todos os temperos e misture bem. Por fim junte a abóbora amassada e torne a misturar novamente até que esteja totalmente incorporado e obter uma massa bem homogênea. Pegue porções da massa de kibe e abra um pequeno círculo, coloque um pouquinho da couve refogada dentro e feche dando um formato de kibe. Repita esta operação com toda a massa e a couve restante. Preaqueça o forno a 200º por 10 minutos. Unte uma assadeira com azeite, ajeite os kibes na assadeira e pincele mais azeite sobre cada um dos kibes (só um pouquinho mesmo para dourar). Leve ao forno por 30 minutos e sirva em seguida.

 

*Hidrate o kibe. Eu aprendi fazer de duas formas: ou se deixa o trigo de molho em água fria de um dia para o outro, ou a opção mais rápida, deixar o trigo de molho por uns 15 minutos em água fervendo com infusão de algumas ervas. Eu faço tipo um chá com manjericão, hortelã e salsinha para hidratar o trigo (este segredinho lindo dá um upgrade no seu kibe que você não faz ideia!!). Eu coloco o trigo em uma tigela, cubro com esta infusão de ervas (apenas cubra, não deixe sobrar muita água se não seu trigo ficará encharcado), aí tampo com um prato raso, embrulho em um pano de prato e deixo descansar por 15 a 20 minutos, depois solto tudo com um garfo. Fica bem soltinho.

 

Dica: Eu adoro servir kibe com molho apimentado de tahine ou com aquele famoso molho de iogurte que já ensinei aqui no blog. Para conferir a receita acesse este LINK.

Kibe de Abóbora Recheado3_Figos e Funghis

Espero que você seja tão feliz quanto eu fui comendo esta delicia, porque comer é sim uma forma de ser feliz.

 

Beijinhos!

POKE de Salmão – Um prato delicioso e super refrescante

Postado em Clássicos, Comidinhas, Entradas, Fácil, Light, Peixe, Pratos Principais, Receitas de 30 minutos, Receitas Rápidas, Saladas - 20 de fevereiro de 2017

Poke de Salmão2_Figos & Funghis

O POKE é um prato típico havaiano à base de peixe cru – você certamente já ouviu falar dele ou até já provou – que foi criado pelos pescadores para servirem o peixe que haviam pescado da forma mais fresca possível e numa versão para petiscar. Eu conheci este prato delicioso, extremamente fresco e saudável quando estive no Hawaii na minha lua-de-mel há quase 7 anos atrás. É o prato que os surfistas mais comem ao saírem da água pois é tão comum por lá que há diversas barracas, food trucks e restaurantes que o vendem em frente às principais praias do North Shore da ilha de Oahu (a principal de todas as ilhas que formam o arquipélago havaiano). Além de ter um custo bem acessível o poke é o que fica pronto mais rápido na saída da praia, quando o seu humor não permite esperar muito.

 

E depois de tanto tempo o POKE agora pegou de vez por aqui, virou modinha na cidade mas também nas praias, e talvez por sua semelhança com os tão já queridos “primos” ceviche, tirashi e sashimi tenha tido uma rápida aceitação. Mas o que importa é que agora você também vai poder fazer o seu próprio poke em casa, sempre que der vontade e sem ter que sucumbir aos altos preços cobrados por aqui. Antes de tudo eu preciso te contar que o grande segredo de um bom POKE está no seu tempero, e não apenas nos ingredientes que compõe o prato. Os ingredientes obrigatórios do molho de um poke são óleo de gergelim e molho de soja (shoyu), mas eu adoro dar aquela incrementada e na minha versão também coloco wasabi, gengibre ralado e suco de limão. Modéstia à parte, te garanto que fica dos Deuses!! Também é essencial usar o peixe mais fresco que puder encontrar, e os mais usados são o atum, o salmão e o polvo – a versão mais tradicional leva atum fresco e cebola roxa -, mas pode usar peixe branco também se preferir, ou o próprio olhete, que é um peixe semelhante ao atum mas bem mais acessível. Se você tiver apenas peixe, cebola roxa, cebolinha e gergelim já vai ficar muito feliz com o resultado, mas se quiser uma refeição completa (para o caso de servir o POKE como prato único, por exemplo) vale apostar na diversidade das verduras que vão acompanhar o peixe, e assim garantir textura e ainda mais sabor. A cada vez que eu faço eu mudo as combinações de ingredientes, já usei pepino, rabanete, abacate, repolho comum, broto de feijão, cebola roxa e até pimentão vermelho cru em tirinhas. Aqui vale usar a imaginação e tirar proveito de tudo o que tiver disponível na geladeira.

 

Uma prática bem comum é servir o poke em um bowl sobre uma porção de arroz branco de sushi (o gohan), mas eu prefiro mil vezes servir com quinoa porque além de ser mais light combina muito bem. Contudo, para ser muito sincera com vocês – e vocês sabem que aqui eu entrego tudo mesmo! – este acompanhamento é dispensável pois o prato já é bastante completo e sacia até os apetites mais vorazes.

 

O POKE é a cara do verão: fresquinho, geladinho, leve, saboroso e colorido. Experimente deixar todas as porções de peixe e dos acompanhamentos já higienizados, cortados e armazenados separadamente em potes com tampa dentro da geladeira com antecedência de algumas horas e sirva na beira da piscina na hora da fome para que cada um monte o seu. Você certamente conseguirá um almoço delicioso e sem que ninguém tenha que se ausentar da piscina para ir cozinhar. Para completar, faça charme oferecendo hashis para os seus convidados! Olha a dica para os dias de #carnaval!!! Aproveitem migos!

Poke de Salmão_Figos & Funghis

POKE DE SALMÃO

(serve 2 pessoas como prato principal ou 6 pessoas como petisco)

 

Ingredientes:

  • 400g de salmão (ou outro peixe da sua preferência) bem fresco e limpo, sem pele e sem gorduras
  • 1 cenoura grande descascada e cortada em fitas ou palitinhos
  • 1 e 1/5 xícara (chá) de edamame cozido al dente no vapor
  • 1/2 repolho roxo pequeno lavado e cortado em tirinhas finas
  • mix de gergelim preto e branco
  • 1 folha de alga japonesa cortada em tirinhas ou picada (opcional)
  • cebolinha verde fatiada para finalizar

 

Para o molho:

  • 8 colheres (sopa) de molho shoyu
  • 3 colheres (sopa) de óleo de gergelim
  • 1 colher (chá) de wasabi em pasta
  • suco de 1 limão
  • 1 colher (sopa) de gengibre ralado

Poke de Salmão3_Figos & Funghis

Modo de Preparo: Em um bowl misture todos os ingredientes do molho e bata rapidamente com um fouet, até que o wasabi se dissolva por completo. Reserve. Pique o peixe em cubos de aproximadamente 2 centímetros. Com um descascador de legumes faça as fitas de cenoura. Armazene tudo em geladeira separadamente até o momento de servir. Monte o prato já na hora de servir com uma porção de peixe e um pouco de cada acompanhamento. Por fim regue tudo com uma boa quantidade do molho e finalize com as tirinhas de alga, com a cebolinha picada e com o mix de gergelim.

 

Dica: Nunca, nunquinha deixe o peixe marinando no molho como se fosse fazer um ceviche, pois o poke deve ser o mais fresco possível, e o molho shoyu que vai na receita tinge o peixe, já o limão cozinha sua carne, por isso o ideal é regar o prato com o molho só na hora de servir. O molho desce para o fundo do bowl ou prato fundo (recipientes mais adequados para servir o poke), e você vai misturando tudo enquanto for comendo. Não se preocupe com a ideia de que o peixe “não vai tomar gosto” do tempero por ser colocado na hora. O molho do poke é um molho forte e consistente, pode ter certeza que seu prato terá sabor do começo ao fim! Bom demais!

Poke de Salmão4_Figos & Funghis

Reparem no molho no fundo do bowl

 

Então enjoy, e bom Apetite!

 

Salada de Feijão-Fradinho com Mexilhões ou com Atum

Postado em Comidinhas, Entradas, Fácil, Frutos do Mar, Light, Peixe, Pratos Principais, Receitas de 30 minutos, Receitas Rápidas, Saladas - 08 de fevereiro de 2017

Salada de Mexilhões e Feijão Fradinho_Blog Figos e Funghis

 

Hoje o post é 2 em 1! Olhaaaa! Por motivos de: há moradores nesta casa que não comem frutos do mar (aff!, fala sério!) e eu estava louca de vontade de comer mexilhões. O bom é que todos acabaram ganhando duas receitas em uma, e modéstia à parte eu te garanto que a combinação é uma deliciosidade só! A inspiração vem de uma saladinha de frutos do mar com feijão branco que eu comi em Madrid, na Espanha. Tinha camarão, polvo, mexilhões e lula numa espécie de molho vinagrete e o feijão branco. O sabor daquele prato era muito bom, e a harmonia da combinação um pouco inusitada de feijões com frutos do mar foi o fator surpresa.

 

Confesso que em termos de comida eu sou totalmente influenciável. Se eu provo algum prato gostoso em uma viagem e amo, fico por um bom tempo imaginando mil possibilidades para me inspirar naquilo e dali criar uma versão própria. Eu gosto de exercitar a criatividade, acho mesmo que este é um fator importante tanto na cozinha como em tudo na vida (Eu tenho pra mim que quem exercita a criatividade e o raciocínio não envelhece mentalmente – não é lindo?). Depois de anos de vivência na cozinha eu já me conheço muito bem para saber que o novo sempre me inspira. Viagens, novos livros, novos conceitos, os passeios pela internet, a receita da vizinha ou a compartilhada pelas mães da escolinha da filha no Whatts App (hahahaha), tudo isso me inspira a cozinhar.

 

Bom, voltando à receita do dia, eu resolvi testar a combinação de feijão-fradinho (também conhecido como feijão-de-corda) com os mexilhões que trouxe de Floripa agora em Janeiro. Aliás, os mexilhões de Floripa também são incríveis, não são apenas as ostras de lá que dão um show de sabor. Para quem não come mexilhão eu preparei a mesma salada mas os substituí por filezinhos de atum. Como esta salada saiu no improviso e eu não tinha atum fresco usei atum em conserva em azeite – os mexilhões saíram do congelador e o feijão da despensa. Por sorte um pimentão vermelho, uma cebola e um limão siciliano salvaram a receita. As ervas vieram da minha hortinha. Mas olha, se eu tivesse um pedaço de lombo de atum fresco eu o prepararia parcialmente selado e serviria nesta salada. Certamente subiria um nível…kkkk

 

É uma refeição completa e cheia de frescor, para dias de calor, de piscina e ainda que você esteja na cozinha da sua casa almoçando eu te garanto que você vai lembrar da praia. Um arraso de salada, que sai do comum e conquista, vai por mim!

Salada de Mexilhões e Feijão Fradinho2_Blog Figos e Funghis

SALADA DE FEIJÃO-FRADINHO COM MEXILHÕES

(serve 1 pessoa)

 

Ingredientes:

  • 12 mexilhões grandes, sem a casca e limpos
  • 1 xícara (chá) da salada de feijão-fradinho* (receita abaixo)
  • 2 gomos de limão siciliano
  • ervas frescas a gosto (usei salsa, manjericão e hortelã)

 

Modo de Preparo: Cozinhe os mexilhões no vapor por apenas 5 minutos e reserve. Depois junte-os delicadamente com a salada de feijão-fradinho e sirva com os gomos de limão e as ervas frescas.

 

PARA A SALADA DE FEIJÃO-FRADINHO:

 

Ingredientes:

  • 2 xícaras (chá) de feijão-fradinho já cozido em água, sal e 2 folhas de louro
  • 1 pimentão vermelho bem lavado e cortado em cubinhos
  • 1 cebola grande cortada em finas fatias
  • salsa fresca picada
  • azeite o quanto baste
  • suco de 1 limão siciliano
  • sal a gosto

 

Modo de Preparo: Após cozinhar o feijão-fradinho em água, sal e 2 folhas de louro (o feijão deve ficar firme) escorra e reserve. Em uma tigela misture o feijão com o pimentão, a cebola e a salsa fresca e misture bem. Por fim tempere com azeite, limão e sal.

Salada de Atum e Feijão Fradinho_Blog Figos e Funghis

Para a versão com atum ajeite o feijão no prato ou tigela de servir e distribua bons pedaços de filés por cima. Finalize com ervas frescas e gomos de limão para quem quiser acrescentar mais ao tempero.

Salada de Mexilhões e Feijão Fradinho3_Blog Figos e Funghis

Para conferir uma outra receita misturando feijão e peixe confira esta Salada de Feijão Branco com Atum que eu publiquei há alguns anos aqui no blog. É boa demais também! O link está aqui ó: http://figosefunghis.com.br/2010/12/salada-de-atum-diferente.html

 

Bom Apetite!