Biscoitos funcionais de castanhas com geleia

Postado em Comidinhas, Doces, Fácil, Gastronomia Funcional, Light, No forno, Receitas Especiais (s/ Glúten/Lactose), Receitas Rápidas - 20 de outubro de 2014

Petit-four-funcional1_FF

Desde que eu fui apresentada à gastronomia funcional há alguns anos atrás pelo meu amigo Marcelo Facini, chef especialista na área, fiquei totalmente apaixonada por tantas possibilidades que as restrições ironicamente acabam proporcionando para as pessoas.

 

O fato é que embora eu não sofra nenhum tipo de intolerância alimentar eu sempre fui muito curiosa por aprender coisas novas sobre alimentação, sobretudo alimentação saudável. Aprendi que receitas funcionais não são boas apenas para quem tem intolerância, mas são maravilhosas para qualquer pessoa pois só fazem bem à saúde. É maravilhoso poder ter opções cheias de sabor mas sem conservantes, sem corantes e muitas vezes com baixíssimas calorias. E quando se tem filhos então, você só quer servir o melhor e mais saudável pra eles.

 

Estes biscoitinhos que eu também gosto de chamar de petit four funcionais nasceram desta minha curiosidade. Depois de procurar em muitos lugares diferentes e não encontrar uma receita de biscoitos que levasse muitas castanhas e zero açúcar, mas que não precisasse nem de ovos para dar liga na massa e alguns testes eu cheguei nesta receitinha deliciosa! Até eu me surpreendi com o sabor, a delicadeza e a textura crocante destes biscoitinhos, e fiquei muito feliz com o sucesso que eles fizeram entre os que tiveram a oportunidade de provar.

 

Como eu já mencionei, eles não levam açúcar nem adoçante na receita, pois são naturalmente adoçados com a pasta feita de tâmaras e ameixas secas preparada no processador de alimentos. Eles também não levam ovo, nem farinha de trigo e nem leite. A única gordura que eles tem é da manteiga de amendoim e do óleo de coco.

 

A receita é bem fácil de preparar, e fica pronta rapidinho, mas o uso do processador ou liquidificador é indispensável, principalmente para fazer a pasta de tâmaras e ameixas e para triturar as castanhas e amêndoas. Quando a massa está pronta para ser modelada a impressão que dá é que não vai dar liga, mas basta moldar o primeiro biscoito para ver que uma simples apertada entre as mãos faz com que a massa grude, e dá para enrolar como brigadeiro e servir cru, sem assar, se você quiser. Um acompanhamento muito saboroso e saudável para o café da manhã ou da tarde.

Petit four funcional2_F&F

 

BISCOITOS FUNCIONAIS DE CASTANHAS COM GELEIA

(rende 20 unidades)

 

Ingredientes:

  • 1 xícara (chá) de castanha de caju
  • 1 xícara (chá) de amêndoas com ou sem pele
  • 1/2 xícara (chá) de farinha de linhaça (pode ser farinha de amêndoas também)
  • 1/2 xícara (chá) de quinua em flocos
  • 1 xícara (chá) de pasta de tâmaras e ameixas secas* (veja abaixo como preparar)
  • 1/3 xícara (chá) de óleo de coco (ou de girassol)
  • 2 col (sopa) de manteiga de amendoim
  • 1 pitada de canela em pó
  • 1 pitada de sal
  • geleia à sua escolha o quanto baste (usei uma geleia diet sabor framboesa)

 

Modo de Preparo: Prepare a pasta de tâmaras e ameixas secas: triture no processador 1/2 xícara de chá de ameixas secas e 1/2 xícara de chá de tâmaras com 3 colheres de sopa de água e bata até conseguir uma pasta firme. Reserve. Triture grosseiramente a castanha de caju, e depois as amêndoas. Em um bowl misture a castanha de caju triturada, as amêndoas trituradas, a farinha de linhaça (ou de amêndoas se preferir), a quinua em flocos e mexa bem. Depois junte o óleo de coco, a pasta de tâmaras e ameixas, o óleo de coco, a manteiga de amendoim, a canela, o sal e misture bem com as mãos até obter uma massa semelhante a uma farofa úmida. Preaqueça o forno em 180º e modele os biscoitos fazendo bolinhas, depois achatando-as e fazendo uma cavidade no meio para colocar a geleia. Disponha todos os biscoitos sobre um silpat (aqueles tapetinhos de silicone próprios para assar), ou sobre uma assadeira antiaderente e preencha todos eles com a geleia da sua escolha. Leve para assar por 20 minutos, ou até que os biscoitos estejam dourados. Deixe esfriar fora do forno, de preferência sobre uma grade de resfriamento de biscoitos. Se quiser enfeite com amêndoas picadas. Sirva em temperatura ambiente.

Petit four funcional3_F&F

 

Bom Apetite!!!

 

Biscoito Fit de Banana

Postado em Comidinhas, Doces, Fácil, Gastronomia Funcional, Light, No forno, Receitas de 30 minutos - 24 de setembro de 2014

Biscoitinhos fit de banana_F&F

Ah como eu estou em falta com vocês! Me desculpem pelo sumiço, a vida anda bastante corrida por aqui. Teve viagem, teve retorno ao trabalho, tem a rotina com a Olivia e mais algumas coisas acontecendo ao mesmo tempo, uma verdadeira loucura. Também estou curtindo sem culpa esta fase bebê da Olivia porque sei que esta fase não volta nunca mais e ela precisa de mim mais do que qualquer outra coisa na minha vida neste momento. Por outro lado tem uma novidade linda pintando em breve, relacionada ao blog e que está me tomando um tempo absurdo mas que tenho certeza que vocês vão amar!!! Então eu só peço mais um pouquinho de paciência para vocês, queridos que me acompanham desde o início do blog e gostam tanto daqui, porque já estou organizando a vida e colocando tudo nos eixos.

 

Agora vamos falar da receita de hoje que é uma receitinha ultra mega simples, fácil e rápida de preparar, e que pode ser consumida sem culpa alguma já que não leva nem gordura, nem açúcar, nem glúten e nem leite. Isto quer dizer que pode ser consumida por todos, inclusive por diabéticos e pessoas intolerantes ao glúten e à lactose.

 

Eu gosto de chamar de biscoitinho fit porque o pessoal da “maromba” costuma preparar estes biscoitinhos para saciar a fome na hora dos lanchinhos e como ele não tem açúcar e nem gordura não pesa na balança e não detona a dieta de ninguém. Além disso é rico em fibras e vitaminas, podendo ser também um ótimo lanchinho para bebês que já foram introduzidos à alimentação sólida e para crianças. Bom demais né?

 

A receita é preparada com apenas 3 ingredientes. Tenho que avisar que estes biscoitos não ficam crocantes, tem uma consistência mais macia e apesar de não levar açúcar são docinhos e muito saborosos.

 

BISCOITINHO FIT DE BANANA

(rende 12 unidades)

 

Ingredientes:

  • 2 bananas nanicas grandes e maduras
  • 1 xícara (chá) de quinua em flocos
  • 1 colher (chá) de canela em pó

 

Modo de Preparo: Preaqueça o forno a 190º. Amasse bem as bananas com um garfo e misture a quinua em flocos e a canela até obter uma massa cremosa e homogênea. Unte levemente uma assadeira com azeite (ou use um tapetinho de forno forrando uma assadeira, conhecido como Silpat, e aí não precisa untar) e espalhe a massa em pequenas colheradas, modelando os biscoitos com a própria colher e mantendo uma distância de alguns centímetros entre um biscoito e outro. Asse por 30 minutos, ou até perceber que os biscoitos estão dourados e firmes. Desligue o forno e deixe que esfriem lá dentro. Armazene por até 3 dias em um pote bem vedado.

Biscoito fit2_F&F

Dica: Se você não encontrar quinua em flocos pode substituí-la por aveia em flocos, o resultado fica igualmente bom, mas aí a receita passará a conter glúten.

 

Bom Apetite!

 

Bolo de Polenta com Laranja sem glúten e sem lactose

Postado em Bolos, Fácil, Gastronomia Funcional, No forno, Receitas Especiais (s/ Glúten/Lactose), Receitas Rápidas - 25 de abril de 2014

Bolo de polenta com laranja e iogurte_F&F

Eu sempre me interessei pelas receitas funcionais, sempre gostei de ler bastante a respeito e até fiz um curso ano passado para me aproximar um pouco mais deste universo vasto e intrigante das receitas que ao mesmo tempo são capazes de ajudar a emagrecer, respeitar restrições alimentares e ainda deixar o corpo feliz sem agredi-lo. Tanto é que as receitas funcionais já apareceram diversas vezes por aqui, mas eu nunca tive de fato a necessidade de tornar isto a minha rotina, quer dizer, até agora…

 

Desde que descobri que estava grávida da Olivia eu nunca imaginei que ela mudaria tanto a minha vida. Apesar das pessoas falarem e tudo mais, eu nunca tinha passado por isto pra saber a dimensão que o “tal amor de mãe” possui. Mas aí aconteceu, a Olivia chegou e mudou completamente alguns conceitos que eu tinha sobre a vida, e mudou inclusive o modo como eu enxergo as limitações que ela nos impõe. Logo no primeiro mês de vida da Olivia descobrimos que ela é alérgica ao leite de vaca (isto pode mudar depois, não quer dizer que ela nunca vai poder ingerir lactose), e como eu amamento daí por diante a minha vida alimentar mudou de certa forma (ainda que temporariamente), já que eu teria que restringir o leite da minha alimentação.

 

No início eu me motivei, dizendo para mim mesma que seria muito fácil conseguir ficar sem leite e ser feliz como sempre fui, já que na minha cabeça era tudo uma questão de substituir…ok, realmente é fácil substituir o leite puro da dieta de quem já não  é lá muito fã dele, mas restringir o queijo brie, o creme de ricota, o iogurte e principalmente o santo queijinho branco de todos os dias não é lá tarefa fácil. Pois é, o que parecia simples aos poucos foi se mostrando uma árdua tarefa, e parece que é bem nestes momentos que a tentação aumenta e surgem convites para degustação de queijos, noite do fondue, festival da pizza, e por aí vai…

 

Bom, o que eu quero dizer pra vocês é que quando temos um forte motivo para atingir um objetivo todo esforço parece mínimo, e no meu caso a restrição alimentar serviu para provar pra mim mesma que a vida pode sim ser muito saborosa com receitinhas adaptadas, e que a vida não precisa ter a mesma cara e o mesmo sabor sempre! Eu aproveito esta fase da melhor maneira possível, me desafiando a adaptar e a criar receitas bonitas e gostosas respeitando as minhas atuais limitações. Assim minha baby ficará sem dor e eu muito mais feliz :)

 

Este bolo é prova disso, ele surpreende realmente! A massa fica fofinha, aerada, e dá pra sentir os farelinhos da polenta como se fosse um doce de semolina (quem gosta de comida árabe vai me entender), o perfume que sai de dentro do forno enquanto ele assa é algo irresistível, e mesmo tendo sido servido para pessoas que não possuem nenhum tipo de intolerância todos amaram e ninguém disse que não era um bolo como outro qualquer, ninguém percebeu as trocas feitas e pela primeira vez a farinha de arroz não deixou a receita com aquele sabor característico mais forte. Eu adorei o resultado e com certeza vou repetir mais vezes com outras combinações. O famoso “polenta cake” que os gringos amam realmente funciona, e faz sucesso!

 

BOLO DE POLENTA COM LARANJA, IOGURTE E SEMENTES, SEM GLÚTEN E SEM LACTOSE

(serve até 10 porções)

 

Ingredientes:

  • 1/3 de xícara (chá) de óleo de girassol
  • 1 xícara (chá) de açúcar mascavo
  • 3 ovos
  • 1 xícara (chá) de farinha de arroz
  • 3/4 de xícara (chá) de polenta (farinha de milho pré-cozida para polenta)
  • 1/2 xícara (chá) de sementes de abóbora picadas (ou amêndoas picadas)
  • 2 colheres (sopa) de semente de chia
  • 3 colheres (sopa) bem cheias de iogurte sem lactose (ou tofu cream, ou creme de leite de soja)
  • 2 colheres (sopa) bem cheias de mel
  • sumo de 1 laranja
  • raspas da casca de 1 laranja
  • 1 colher (chá) de fermento químico em pó

 

Modo de Preparo: Preaqueça o forno a 180º. Unte e enfarinhe uma forma de bolo inglês e reserve. Num bowl misture o açúcar e os ovos e bata bem até ficar homogêneo. Junte o óleo e bata mais um pouco. Em outro bowl misture as farinhas (de arroz e polenta) e junte na mistura de ovos e açúcar. Adicione o mel, as sementes picadas, a chia, o iogurte e o sumo de laranja e mexa bem. Por fim junte o fermento, as raspas de laranja e misture novamente. Despeje a massa na forma já untada e enfarinhada (com farinha de arroz ok?) e leve ao forno preaquecido por 20 a 30 minutos, ou até que o bolo esteja levemente dourado na superfície e passe no famoso teste do palito.

Bolo de Polenta com laranja e iogurte sem lactose e sem gluten_F&F

 

Bom Apetite!

 

Lasanha de abobrinha vegetariana e sem glúten

Postado em Abobrinha, Fácil, Gastronomia Funcional, Light, No forno, Pratos Principais, Receitas Especiais (s/ Glúten/Lactose), Vegetarianas - 27 de novembro de 2013

Lasanha de abobrinha sem gluten_F&F

Vocês sabem que eu sou fã de abobrinha né? E sou também fã de receitas vegetarianas, justamente por serem leves, saborosas e poderem ser consumidas à noite sem nenhuma culpa.

 

Esta lasanha de abobrinha é uma verdadeira delícia e é também muito fácil de preparar. Ela é vegetariana e sem glúten porque não leva massa na receita e nenhum outro tipo de farináceo. Para aqueles que não podem ingerir também lactose eu sugiro substituir a ricota fresca – que nesta receita usei de búfala – por queijo de soja (tofu) amassadinho com um garfo, e podem ter certeza que esta versão também ficará deliciosa!

 

A ideia de fazer esta lasanha surgiu de uma outra receita que eu já publiquei aqui, o Ravioli de Abobrinha sem Massa, em um dia que eu estava com uma vontade doida de comer lasanha mas não queria ganhar tantas calorias com uma lasanha tradicional. Então esta opção aqui matou a minha vontade lindamente, e para dar mais sustância ao prato eu acrescentei castanha do Pará no recheio. A graça e o toque cheio de glamour fica por conta do concassé* de tomates (ensino abaixo como fazer) que eu fiz na hora com tomates italianos ultra doces que eu tinha em casa, e que garantiu um sabor extra especial, mas se você quiser simplificar e usar tomates crus picados ou tomates pelados em lata fique à vontade.

 

LASANHA DE ABOBRINHA – VEGETARIANA E SEM GLÚTEN

(para duas pessoas)

 

Ingredientes:

  • 2 abobrinhas italianas pequenas bem lavadas
  • 1 xícara (chá) de ricota fresca amassada (usei de búfala, mas pode ser comum, ou tofu)
  • 1 punhado de castanha do Pará picada
  • 2 colheres (sopa) de azeite
  • 4 tomates italianos maduros (2 fatiados e 2 para o concassé)
  • pimenta e sal a gosto
  • queijo parmesão ralado para finalizar (ou outro queijo light, ou sem lactose)

 

Modo de Preparo: Fatie as abobrinhas em lâminas finas no sentido do comprimento usando apenas a parte mais firme (despreze o miolo com as sementes – se quiser reserve para uma omelete) em um fatiador de legumes (mandolina) ou com uma faca bem afiada. Reserve. Em uma tigela misture a ricota amassada, a castanha do Pará e tempere com o azeite, pimenta e sal. Unte levemente 2 refratários pequenos ou 1 médio com um fiozinho de azeite e faça a primeira camada de abobrinha. Depois faça uma camada com a ricota temperada, outra com fatias de tomate e repita todas as camadas até acabar com uma camada de abobrinha. Finalize com uma cobertura de tomate concassé*, depois polvilhe um pouquinho de queijo parmesão e leve ao forno em 180º por 20 a 30 minutos, ou até que a abobrinha esteja macia e a cobertura levemente dourada.

Lasanha de abobrinha sem gluten2_F&F

 

* Receita de Tomate Concassé:

Concassé de tomate_F&F

 

Ingredientes: 2 tomates italianos maduros (rende 1 xícara de concassé)

 

Preparo: Faça um corte nos tomates em forma de cruz, de cima a baixo. Espete um tomate de cada vez (pela parte de onde seria o cabo) em um garfo comprido com cabo de madeira e leve-os para tostar direto na chama do fogão. Vá virando o tomate sobre a chama até que toda a pele esteja chamuscada e se soltando. Depois retire toda a pele (com os tomates ainda mornos), corte os tomates ao meio e retire todas as sementes. Pique o restante dos tomates (a parte da polpa) em quadradinhos bem pequenos e use na receita.

Obs: Você pode simplesmente retirar a pele do tomate passando-o por água fervente e fazer todo o processo para o concassé, mas eu prefiro sempre queimar na chama do fogão porque adoro o saborzinho defumado que este processo agrega aos tomates ;)

 

Bom Apetite!

 

 

Pão de Liquidificador sem Glúten e sem Lactose

Postado em Fácil, Gastronomia Funcional, Pães e Tortas, Receitas Especiais (s/ Glúten/Lactose) - 24 de abril de 2013

Pão sem glúten e sem lactose_F&F

Fazia muito tempo que leitores com intolerância a glúten e a lactose me pediam receitas especiais e alternativas isentas desses ingredientes para que pudessem usufruir mais do blog, mas eu confesso que tive que pesquisar bastante sobre o assunto, estudar, tirar minhas próprias conclusões, fazer alguns testes e é claro, recorrer a especialistas no tema que pudessem me ajudar nesta nova empreitada.

Continue Lendo …