Bolo de Banana sem Açúcar e sem Farinha

Postado em Bolos, Comidinhas da Oli, Cozinhando para os Pequenos, Dicas, Doces, Fácil, Gastronomia Funcional, Light, No forno, Receitas Rápidas - 05 de abril de 2017

Bolo de Banana sem Açúcar 2_Blog Figos & Funghis

Outro dia a Olivia me pediu para fazer um bolo de banana pra ela, mas como eu evito dar açúcar em dias de semana decidi tentar preparar um bolo de banana sem açúcar e usando aveia no lugar da farinha para deixar mais leve. Como ela ainda é bem pequena nós costumamos liberar doces no sábado ou no domingo, o que nomeamos de “o dia do chocolate”, assim ela pode comer algumas guloseimas.

 

Acho importante esclarecer que essa prática não foi adotada para criar na minha filha algum tipo de neurose com relação ao peso, mas sim pensando na saúde dela, pois como todos sabemos já foi comprovado por infinitas pesquisas que o açúcar branco faz sim mal à saúde. Sendo assim estou sempre buscando passar pra ela um estilo de vida mais saudável e equilibrado, em que as guloseimas são permitidas sim, mas em dias determinados e com moderação. Sem contar que o paladar infantil é mais suscetível à viciar-se em alimentos doces, e isso às vezes pode causar a recusa por alimentos naturalmente doces, como as frutas, por exemplo. Tenho comprovado isso em casa pois apesar de ver que a Olivia ama todos os tipos de doces que já provou ela também adora um chocolate amargo e come quase todas as frutas.

 

Mas falando da receita, é um bolo de banana super simples e adoçado com ingredientes naturais como a tâmara, a ameixa e as uvas passas, você realmente pode usar todos eles combinados ou qualquer um deles que o resultado será ótimo. Para dar uma incrementada eu fiz uma cobertura com iogurte grego sem açúcar adoçado com melado de cana, e além de ter ficado uma delicia ficou também com um aspecto lindo, com uma textura firme. Para enfeitar caramelizei fatias de banana no forno e não adicionei nada, é apenas banana assada até dourar. Esta receita também é uma ótima opção para pessoas que tem restrição de açúcar. Anote a receita e faça seus filhos felizes ;)

Bolo de Banana sem açúcar_Figos & Funghis

 

BOLO DE BANANA SEM AÇÚCAR E SEM FARINHA

Ingredientes:

  • 3 bananas maduras bem amassadas
  • 2 xícaras (chá) de aveia em flocos finos
  • 1 xícara (chá) de aveia em flocos grossos
  • 2 ovos
  • 1 xícara (chá) de purê de tâmaras e uvas passas pretas deixadas de molho de um dia para o outro (sem a água)
  • 2 colheres (sopa) de óleo de coco (ou outro de sua preferência)
  •  1 colher (sopa) de canela em pó
  • 1 colher (chá) de essência ou extrato de baunilha
  • 1 colher (chá) de fermento químico em pó
  • 1 colher (chá) de bicarbonato de sódio

 

Modo de Preparo: Preaqueça o forno em 180º. Numa tigela misture os ovos e o purê de frutas secas e bata bem até virar um creme grossinho. Junte o óleo, a canela, a baunilha e mexa novamente para misturar. Aos poucos vá juntando a aveia em flocos grossos e em flocos finos. Mexa a massa do bolo a cada adição de aveia até acrescentar toda a quantidade indicada na receita. Por fim amasse as bananas e junte na massa. Mexa bem e acrescente as nozes, as uvas passas, o fermento e o bicarbonato. Unte 1 forma de bolo inglês com óleo de coco e polvilhe um pouco de aveia em flocos finos, bata na forma de cabeça para baixo para retirar o excesso de farinha e preencha com a massa de bolo. Asse por 40 minutos em 180º ou até que enfie um palito no bolo e ele saia limpo.

 

Dica de Cobertura: Misture 1 pote de iogurte grego sem açúcar com 3 colheres (sopa) de melado de cana ou mel e bata por alguns minutos com um fouet. Quando o bolo estiver pronto, desenformado e frio espalhe a cobertura por cima e enfeite com rodelas de banana caramelizadas.

 

Dica de Substituições: Se você for intolerante a glúten pode substituir a aveia em flocos grossos e a aveia em flocos finos por farinha de arroz, de sorgo, de grão-de-bico ou outra de sua escolha. Apesar da aveia não conter glúten naturalmente, muitas vezes é processada nas mesmas máquinas que o trigo, o que pode resultar no que os nutricionistas chamam de “contaminação cruzada”, por isso celíacos costumam evitar a ingestão de aveia.

 

Bom Apetite!

 

Molho de Camarão e Mini Tomates para Massas

Postado em Comfort Food, Dicas, Fácil, Frutos do Mar, Massas e Pizzas, Molhos, Pratos Principais, Receitas de 30 minutos, Receitas Italianas, Receitas Rápidas - 14 de março de 2017

Massa Fresca com Molho de Camarões e Tomate Cereja_Blog Figos e Funghis

Massa com frutos do mar é um dos meus pratos preferidos da culinária italiana, e sempre que vou a algum restaurante que tem esta opção é quase impossível resistir! Quando estou na praia um dos meus passeios preferidos é ir ao Perequê, famoso bairro dos pescadores e de restaurantes caiçaras tradicionais no Guarujá justamente para comprar camarões e peixe fresco, e sempre volto com uma porção deles para congelar e ter em casa para quando der vontade.

 

Foi num desses finais de semana que “deu vontade” que surgiu esta receita. Eu tinha um pacote de massa verde artesanal em casa – aqui em SP eu gosto muito muitíssimo de comprar massas na Pastagrano, que além de ser praticamente minha vizinha tem as massas artesanais mais deliciosas e delicadas que eu conheço na cidade. [Não é jabá não, é dica preciosa mesmo, eu sou consumidora deles e recomendo de coração e sem medo de ser feliz!] Quando o produto é bom, o serviço idem e o preço é justo sou a primeira a indicar!

 

Mas voltando à receita do molho de camarões, uma massa boa requer um bom molho, feito no capricho ainda que seja daqueles bem rápidos de preparar, como este aqui, preparado com tomates frescos, camarões e temperinhos. Quem é que precisa de mais para ser feliz num almoço de domingo?! Então bora anotar, pinar muito e enviar para as amigas porque esta é uma receita facílima e rapidíssima, além de ser uma deliciosidade!!! Aliás, por falar em pinar muito, o perfil do Figos e Funghis lá no Pinterest está cada dia mais lindo, com todas as receitas do blog separadinhas por pastas específicas. Já temos uma pasta recheada de receitas para a Páscoa, então corre lá pra conferir ok?!

 

MOLHO DE CAMARÕES E TOMATES FRESCOS PARA MASSA

(rende 4 oorções)

 

Ingredientes:

  • 12 camarões grandes, bem limpos, sem casca mas com a cauda
  • 1 caixinha de tomates cereja (aproximadamente 300g)
  • 6 tomates italianos sem as sementes e bem picados
  • 1 xícara (café) de vinho branco seco
  • 3 colheres (sopa) de azeite
  • 2 dentes de alho fatiados
  • 1/2 cebola bem picada
  • 1 ramo de manjericão
  • 1 punhado de salsinha
  • pimenta moída e sal a gosto

 

Modo de Preparo: Aqueça bem uma frigideira grande ou caçarola e refogue a cebola até ficar transparente, depois junte o alho e não deixe dourar. Junte os camarões em seguida e salteie rapidamente até que fiquem branquinhos, mas sem deixar dourar. Retire e reserve. Regue a frigideira com o vinho branco e junte os tomates italianos picados, o manjericão, tempere com pimenta e sal, depois deixe cozinhar em fogo baixo por 10 minutos. Junte os tomates cereja, os camarões reservados e metade da salsinha, deixando cozinhar tampado por 5 minutos. Por fim junte a outra metade da salsinha e ajuste o sal se achar necessário. Sirva com alguma massa cozida de sua preferência.

 

Bom Apetite!

Kibe de Abóbora Recheado

Postado em Comidinhas, Cozinha Árabe, Dicas, Fácil, Light, No forno, Petiscos, Pratos Principais, Vegetarianas - 08 de março de 2017

Kibe de Abóbora Recheado_Figos e Funghis

Mais uma receita de kibe de abóbora Fabi? Sim, mais uma, porque vocês já sabem que eu não resisto a uma receitinha nova deste prato que eu amo de paixão, e na verdade é aquela minha velha receita, mas de carinha nova, atualizada e com recheio de couve cortada bem fininha refogada ao alho e óleo. Se esta descrição já te deu água na boca espera só até você provar esta deliciosidade!

 

Devo reconhecer que não sou a maior fã das receitas da Bela Gil, apesar de achar que ela tem umas sacadas incríveis e dicas super úteis, mas sem querer ser polemicona eu só acho que às vezes ela se excede um pouco na busca por opções naturebas. Quem me acompanha sabe que eu amo uma comida de verdade, procuro utilizar poucos produtos industrializados e amo uma receitinha light, mas cá pra nós, não precisamos ser radicais para nutrir nosso corpo de forma saudável sem abrir mão do prazer de comer e principalmente do sabor. Então que de vez em quando dou uma passeada pelos canais de TV e se acho algo interessante paro e assisto. Foi numa dessas vezes eu vi a Bela Gil terminando de preparar um kibe de abóbora recheado de uma verdura chamada bertalha. Achei muitíssimo interessante e me perguntei porque eu nunca tinha tido esta ideia genial de rechear com verdura os meus kibes, já que a minha esfiha preferida é, por acaso, de verdura! Foi amor à primeira vista, mas como sou preguiçosa não entrei no site do programa para procurar a tal receita, até porque eu sei fazer kibe com os dois pés nas costas desde que era pequena e ajudava minha bisavó a prepará-los. Não, eu não precisava da receita do kibe, mas eu precisava daquela ideia genial que a Bela Gil teve, e tinha que ser logo porque minhas lombrigas estavam me matando! Ideia da Bela, receita minha, e tá tudo certo. Não usei bertalha porque é bem difícil de achar se não estiver na época, mas usei couve que eu adoro! Acho que folhas de brócolis ou de couve-flor picadinhas também ficariam deliciosas no recheio, além de dar um destino digno e gostoso para uma parte que costuma ser desprezada.

 

O kibe ficou absolutamente delicioso, mas já vou avisando que dá um certo trabalho na hora de modelar os bolinhos porque como só tem abóbora, trigo e temperinhos na massa ela não fica tão firme para modelar como o kibe de carne, e chega um certo momento em que você vai precisar parar tudo, lavar as mãos e recomeçar porque a massa fica grudentinha. Unte as mãos com azeite ou com água mesmo para facilitar o processo.  Agora, se quiser facilitar tudo e ganhar o troféu de rainha da praticidade monta logo num refratário com uma camada de couve refogada entre duas partes de kibe de abóbora e tá lindo, fica gostoso do mesmo jeito.

Kibe de Abóbora Recheado2_Figos e Funghis

KIBE DE ABÓBORA RECHEADO (ASSADO)

(rende 8 unidades grandes ou 12 médias)

 

Ingredientes:

  • 600g de abóbora japonesa descascada e cortada em cubos
  • 2 xícaras (chá) de trigo para kibe já hidratado em água quente*
  • 1/2 cebola bem picada
  • 1 dente de alho espremido ou bem picado
  • 1/2 xícara (chá) de cheiro-verde picado
  • 1 punhado de manjericão picado
  • 1 punhado de hortelã picada
  • 1 colher (café) de pimenta síria
  • 1 pitada generosa de cominho em pó
  • 2 colheres (sopa) de azeite
  • 1 colher (café) de sal

 

Para o Recheio:

  • 200g de couve manteiga cortada em fatias bem fininhas
  • 2 dentes de alho espremidos
  • 1 fio de azeite
  • sal a gosto

 

Modo de Preparo: Cozinhe ou asse os cubos de abóbora até que fiquem bem macios (se cozinhar deixe por alguns minutos a abóbora já cozida sobre um escorredor para retirar o máximo de água dela). Amasse a abóbora já cozida e reserve. Aqueça uma frigideira, coloque nela um fio de azeite e refogue brevemente o alho, em seguida junte a couve, adicione sal e mexa. Tampe e deixe murchar por uns 2 minutos, desligue e deixe esfriar. Em um bowl misture o trigo já hidratado, todos os temperos e misture bem. Por fim junte a abóbora amassada e torne a misturar novamente até que esteja totalmente incorporado e obter uma massa bem homogênea. Pegue porções da massa de kibe e abra um pequeno círculo, coloque um pouquinho da couve refogada dentro e feche dando um formato de kibe. Repita esta operação com toda a massa e a couve restante. Preaqueça o forno a 200º por 10 minutos. Unte uma assadeira com azeite, ajeite os kibes na assadeira e pincele mais azeite sobre cada um dos kibes (só um pouquinho mesmo para dourar). Leve ao forno por 30 minutos e sirva em seguida.

 

*Hidrate o kibe. Eu aprendi fazer de duas formas: ou se deixa o trigo de molho em água fria de um dia para o outro, ou a opção mais rápida, deixar o trigo de molho por uns 15 minutos em água fervendo com infusão de algumas ervas. Eu faço tipo um chá com manjericão, hortelã e salsinha para hidratar o trigo (este segredinho lindo dá um upgrade no seu kibe que você não faz ideia!!). Eu coloco o trigo em uma tigela, cubro com esta infusão de ervas (apenas cubra, não deixe sobrar muita água se não seu trigo ficará encharcado), aí tampo com um prato raso, embrulho em um pano de prato e deixo descansar por 15 a 20 minutos, depois solto tudo com um garfo. Fica bem soltinho.

 

Dica: Eu adoro servir kibe com molho apimentado de tahine ou com aquele famoso molho de iogurte que já ensinei aqui no blog. Para conferir a receita acesse este LINK.

Kibe de Abóbora Recheado3_Figos e Funghis

Espero que você seja tão feliz quanto eu fui comendo esta delicia, porque comer é sim uma forma de ser feliz.

 

Beijinhos!

Como fazer o ovo perfeito

Postado em Acompanhamentos, Clássicos, Comfort Food, Comidinhas, Dicas, Fácil, Receitas Rápidas - 01 de março de 2017

Ovo Perfeito2_Blog Figos & Funghis

Ovo é uma das minhas paixões alimentares. É bem difícil eu passar mais do que dois dias sem comer ovo, na verdade acho que isso nunca me aconteceu…Mas ovo não é só gostoso e versátil não, ele é também um alimento riquíssimo em nutrientes super importantes para o ser humano, e já foi inclusive rotulado como o segundo melhor alimento do mundo (ficando atrás apenas do leite materno) por relatórios de nutrição mundial adotados por diversos órgãos internacionais extremamente confiáveis.

 

Bem, então como uma “egg lover” eu devo confessar que muitos dos pratos com carinha de comfort food que chegam à minha frente eu me pergunto se não caberia um ovo por cima, e algumas vezes ele faz tanta falta que o prato até perde a graça. Por exemplo: imagine um prato de polenta cremosa, bem quentinha com um molho bolonhesa e me diga. Não caberia um belo ovo pochê, ou até mesmo frito ali no topo?! Levaria o prato de polenta à glória certamente. E imagine ele ali lindão coroando um baião de dois? Aff, me dá até água na boca…Mas a verdade é que aquele ditado popular de que “Fulano não sabe nem fritar um ovo” acontece mesmo na vida de muitas pessoas, e para isto basta não ter nenhuma intimidade com o fogão, mas aqui vai uma palavra de incentivo: nunca é tarde para aprender, e não precisa ter vergonha, porque a partir de agora você vai aprender todas as dicas e truques para preparar o ovo que quiser e fazer com que ele fique perfeito! Quer ver só?!

 

OVO FRITO: Use uma frigideira pequena e prepare um ovo de cada vez, mas se você não liga para perfeição e precisa preparar vários ovos ao mesmo tempo use uma frigideira grande e vá em frente, depois é só dar aquele separada básica caso um ovo emende no outro. Deixe a frigideira bem quente, adicione um fio generoso de azeite ou de óleo vegetal da sua preferência e em seguida quebre o ovo com a frigideira ainda em fogo alto. Polvilhe um pouco de sal. Com a ajuda de uma escumadeira vá dando aquele “banho” gostosinho no ovo, até que ele crie aquela película de clara cozida por cima da gema, que ainda deve estar mole (ou não, depende do ponto que você prefere). Quando a clara estiver totalmente cozida retire o ovo da frigideira e deite-o sobre um prato forrado com papel absorvente. Sirva em seguida.

 

OVO COZIDO E SEUS PONTOS: Este é o jeito mais fácil de se preparar um ovo, mas antes você precisa saber algumas regrinhas essenciais. Para que seja cozido é melhor que o ovo esteja em temperatura ambiente, assim a casca não racha quando a água esquentar e fica mais fácil calcular o ponto de cozimento em minutos. Ah, tem também aquele teste que você faz para saber se o ovo está bom ou não. Encha um copo grande de água e coloque o ovo cru dentro, se ele afundar está bom para ser consumido, se ele boiar a chance de estar estragado é bem grande, pois ovos velhos juntam mais oxigênio em seu interior. Coloque o ovo em temperatura ambiente em uma caçarola e cubra com água, depois ligue a chama do fogão em fogo alto e cozinhe o ovo por: 3 minutos para ovo mole (aquele que sua mãe gostava de preparar quando você era criança e você só cortava a tampinha na casca e comia o ovo de colher), 4 minutos e 30 segundos (kkkk, não é brincadeira, é sério, eu fiz vários testes até chegar no ponto ideal para o meu gosto) para clara mais firme ao ponto de descascar e a gema em ponto de geleia com uma leve escorrida da gema (meu preferido!), 6 minutos para clara bem firme e gema mais brilhante mas que não escorre e 9 minutos para ovos bem firmes tanto na clara quanto na gema. Depois de atingir o tempo desejado escorra imediatamente a água fervendo e cubra o ovo cozido com água fria. Descasque de imediato (com exceção do ovo bem mole) e sirva.

 

OVO MEXIDO: Acho que a grande maioria aqui concorda comigo que ovo mexido tem que ser cremosinho, com aquele aspecto de nuvem e de cor amarelo clarinho, certo? Não aquele ovo mexido “cremoso quase líquido” que alguns hotéis tentam fazer errando feio, mas aquele ovo mexido que dá vontade de comer uma tigela todinha com apenas umas torradinhas e virou o seu café-da-mahã/almoço/jantar. O segredo? Muito fácil! Bata rapidamente 3 ovos em uma tigelinha apenas para estourar as gemas, junte 2 colheres (sopa) de leite da sua preferência (trucão!) e despeje em uma frigideira untada com um fiozinho de azeite ou óleo vegetal em fogo médio. Tempere com sal e mexa por alguns (poucos) minutos até os ovos coagularem. Não deixe o ovo grudar na frigideira nem por um milésimo de segundo, ou seu ovo ficará com aquele saborzinho indesejado de casquinha queimada. Quando ainda houver alguns pontinhos de gema mal passada e seus ovos mexidos estiverem com uma cor amarelo claro desligue a frigideira e sirva imediatamente.

 

OVO POCHÉ: Este é de longe o mais temido dos ovos, até mesmo alguns chefs de cozinha ou cozinheiros caseiros super acostumados com a cozinha sentem um friozinho na barriga quando o assunto é o preparo de um ovo poché perfeito. Há duas formas de prepará-lo, da forma tradicional e “na raça”, ou usando o velho truque da “bolsinha” de filme plástico (Coloque o ovo em um pedaço de plástico filme e enrole as pontas, certificando-se de que está bem vedado. Você pode usar uma xícara para esta etapa. Ponha as ‘bolsinhas’ na água fervente e cozinhe por 3 minutos. Retire do plástico antes de servir.) Se pra você aprender a fazer um ovo poché de verdade não é assim uma questão de honra, use a bolsinha de filme plástico e seja feliz, mas se você é daqueles que quer provar pra você mesmo que é capaz de dominar todas as técnicas de preparar um ovo então preste atenção: Leve uma caçarola com água para o fogo alto até começar a levantar fervura, aí reduza o fogo para o mínimo apenas para manter a temperatura sem deixar ferver e acrescente uma colher de sopa de vinagre branco (gosto de usar vinagre de arroz que é bem suave), depois quebre o ovo dentro de uma tigelinha pequena e aproxime-o da água, fazendo um leve redemoinho na água com uma colher, e em seguida deixando o ovo escorregar para o centro deste redemoinho. Deixe cozinhar sem mexer por 3 minutos e 30 segundos, de modo que a clara fique cozida e firme e a gema ainda mole. Retire da água com cuidado com uma escumadeira e sirva em seguida.

 

OMELETE: Tem várias receitas de omelete aqui no blog, tanto a clássica como a de forno e também a fritata, que é uma variação da omelete. Para navegar por essas delicias basta acessar este link aqui ó: http://figosefunghis.com.br/?s=Omelete&submit=

 

Ovo perfeito_Blog Figos & Funghis

 

Pronto! Agora com essas dicas todas eu garanto que vai ser praticamente impossível você não aprender a preparar um ovo, ou vários né?!

 

Beijo!

 

Abóbora Aromática Assada com Risoto Integral de Cogumelos

Postado em Arroz, Cogumelo, Comfort Food, Dicas, Fácil, Petiscos, Pratos Principais, Risotos, Vegetarianas - 13 de fevereiro de 2017

Abóbora Aromática com Risoto Integral de Cogumelos3_Figos e Funghis

E a nossa segunda-feira sem carne vai muito bem, obrigada! Em casa todas as segundas rola um almocinho vegetariano e cheio de cor – somos adeptos felizes da #segundasemcarne , e todo mundo adora, inclusive a Olivia que na “tabela” da vida alimentar está mais para vegetariana do que para carnívora, em um lar de carnívoros…para ser sincera eu não acho ruim não e não gosto de forçá-la a nada. Oferecer eu ofereço, pois sabemos que é fundamental oferecer o máximo de variedade de alimentos aos pequenos, então quando ela está a fim ela come, se não não come. Olivia é um tipo de “peixetariana”, porque se tem algo que ela não recusa é um peixinho.

 

Mas falando um pouco sobre a receita do dia, eu escolhi esta delicia que eu faço há anos e que até já apareceu aqui no blog antes: as abóboras aromáticas assadas, que vira e mexe são a estrela da nossa segunda sem carne, só vou mudando os temperinhos. Desta vez decidi acompanhar de um risoto integral de cogumelo que eu amooooo preparar com o mini arroz integral, fica com uma textura linda! As abóboras são facílimas de fazer e podem ser preparadas tanto com a casca como sem elas, mas eu prefiro preparar assim em meia-lua com a casca, e quanto mais fina for a fatia mais seca fica a abóbora, então se você quiser fazer chips de abóbora basta cortar as fatias bem finas. É muito bom também!

Abóbora Aromática com Risoto Integral de Cogumelos2_Figos e Funghis

ABÓBORAS AROMÁTICAS ASSADAS

(serve 3 pessoas)

 

Ingredientes:

  • 1/2 abóbora japonesa com a casca
  • 3 colheres (sopa) de azeite
  • 1 colher (café) de garam masala (uma mistura indiana de especiarias que se encontra pronta)
  • 2 colheres (sopa) de mel
  • sal rosa a gosto
  • salsa fresca picada
  • queijo cottage para servir (opcional)

 

Modo de Preparo: Preaqueça o forno em 190º por 10 minutos. Lave bem a abóbora, retire as sementes e fatie em meia-lua de mais ou menos 1,5 cm de espessura (para ficarem carnudinhas e caramelizadas). Ajeite as fatias de abóbora em uma assadeira e pincele o azeite, espalhe a garam masala, o mel e finalize com o sal e a salsa picada. Leve ao forno por 30 minutos, ou até perceber que a abóbora está bem dourada e caramelizada nas extremidades. Sirva em seguida.

 

Dica: Esta receita também é uma opção incrivelmente deliciosa para servir como petisco (um belisquete LIGHT diga-se de passagem) acompanhada de queijo cottage, creme de ricota ou iogurte grego para dar aquela chuchadinha…

Abóbora Aromática com Risoto Integral de Cogumelos4_Figos e Funghis

RISOTO INTEGRAL DE COGUMELOS

(serve 3 pessoas)

 

Ingredientes:

  • 2 xícaras (café) de mini arroz integral (ou outro de sua preferência. O arroz cateto também fica ótimo nesta receita)
  • 2 xícaras (chá) de cogumelos paris picados em cubinhos (aproximadamente 100g de cogumelos)
  • 1 colher (sopa) de azeite
  • 3 colheres (sopa) de cebola bem picada
  • 400ml de caldo de legumes bem quente
  • 1 colher (sopa) de creme de ricota light
  • 1 colher (chá) de ghee (ou manteiga comum)
  • 1 pitada de tomilho desidratado
  • sal a gosto

 

Modo de Preparo: Refogue a cebola em azeite até murchar e em seguida junte o mini arroz. Frite por alguns minutos e cubra com o caldo de legumes. Adicione os cogumelos e tempere com sal. Refogue por um minutinho e cubra com o caldo de legumes. Deixe cozinhar em fogo alto até ferver, tampe e cozinhe por 20 minutos, acompanhando e mexendo de vez em quando. Ao final deste tempo reduza o fogo, adicione mais caldo se achar necessário e junte a manteiga, o tomilho e ajuste o sal. O ponto correto é como o do risoto comum, o grão deve estar macio por fora e um pouco durinho no centro. Por fim acrescente o creme de ricota e deixe dissolver bem. Sirva em seguida.

Abóbora Aromática com Risoto Integral de Cogumelos_Figos e Funghis

Eu espero que vocês gostem tanto quanto eu desta receitinha gostosa, colorida, saudável e sem carne. Porque dá sim para ser feliz sem ter carne no prato todos os dias.

 

Bom Apetite!

 

Cookies Infalíveis

Postado em Comidinhas, Dicas, Doces, Fácil, No forno - 12 de dezembro de 2016

cookies-perfeitos2_figos-e-funghis

Eu sou uma apaixonada por cookies. De qualquer tipo, das versões mais gorduchas às mais magrinhas. Da última vez que estive em NY, em Maio deste ano, fiz a via sacra dos cookies que eu acho indispensáveis por lá, incluindo os do Dominic Ansel, da Magnólia Bakery e é claro, os da Levain Bakery também. Os americanos são viciados em cookies, e eles tem infinitas versões deles, algumas delas incluem MM’s, Oreo, castanhas, amêndoas, chocolates variados e até marshmallows, é realmente de enlouquecer.

 

Outro passeio incrível que fiz foi a visita guiada ao Chelsea Market, um mini shopping gastronômico com lojas internas e restaurantes para consumir ali mesmo, uma perdição. Uma das paradas foi na Elenis NY, uma doceria linda e deliciosa que fabrica cupcakes, bolachas decoradas, brownies e claro, cookies! Lá recebemos algumas dicas sobre como deixar os cookies perfeitos para quem quisesse se arriscar em casa, e graças a essas dicas e a uma receitinha que ganhamos lá na loja eu pude dar um belo up grade na minha receita de cookies – que não é por nada não, mas já era maravilinda e bem parecida com esta – e saíram estas belezuras aqui as fotos. No frigir dos ovos com relação à minha receita reduzi a quantidade de farinha, de açúcar e de manteiga. Então será que posso dizer que temos cookies mais light? hahahaha

 

Na verdade o segredo está muito mais no método de preparo do que nas quantidades exatas de ingredientes, mas o que você precisa saber de fato é:

  • Uma boa receita de cookies deve ser preparada na batedeira, tanto para misturar perfeitamente todos os ingredientes quando para que se obtenha uma massa bem aerada e que resulta em cookies gorduchos, além de macios por dentro e crocantes por fora;
  • O uso do açúcar mascavo é essencial nesta receita, porque ele é o responsável por deixar os cookies com esta cor linda. Cookies pálidos nunca mais!
  • A manteiga a ser utilizada no preparo deve estar gelada e cortada em cubos. Se você usar manteiga em temperatura ambiente os cookies ficarão gostosos, mas sua massa ficará mais pesada e gordurosa;
  •  Jamais – e eu digo jamais mesmo! – modele os cookies na mão, pois do contrário eles ficarão pesadões e gordurosos. Apenas coloque colheradas da massa já pronta em uma assadeira forrada com aquele tapetinho de silicone (conhecido também como Silpat) ou em uma assadeira antiaderente sem achatar ou manipular;
  • Com relação ao recheio escolhido, apenas junte-o na massa após estar pronta e mexa delicadamente em leves movimentos, com uma espátula para que se espalhe;
  • Bons cookies não podem ser excessivamente doces;
  • Quando os cookies estão prontos eles parecem meio molengas ainda, mas você precisa deixá-los descansar sobre uma grade de resfriar biscoitos ou algo semelhante para que resfriem por igual (inclusive na base) e formem uma crosta crocante por fora, mantendo a maciez no centro.

cookies-perfeitos_figos-e-funghis

RECEITA DE COOKIES INFALÍVEIS – DE BAUNILHA COM PEPITAS DE CHOCOLATE AMARGO

(rende 12 cookies gigantes ou 18 grandes, ou 25 médios)

 

Ingredientes:

  • 3 xícaras (chá) de farinha de trigo de boa qualidade (eu gosto de usar 1 xícara de farinha integral para 2 de farinha branca)
  • 1 colher (chá) de fermento químico em pó
  • 1/2 colher (café) de bicarbonato de sódio
  • 1 colher (café) de sal
  • 100g de manteiga gelada e cortada em cubinhos
  • 1 xícara (chá) de açúcar mascavo
  • 1/3 de xícara (chá) de açúcar demerara pulverizado – é só bater no liquidificador (ou substitua por açúcar refinado)
  • 2 ovos gelados
  • 1 colher (sopa) de extrato de beunilha (ou essência de baunilha)
  • 200g de chocolate amargo picado grosseiramente, ou pepitas de chocolate ou gotas de chocolate amargo

 

Modo de Preparo: Em uma tigela misture a farinha de trigo com o bicarbonato de sódio, o fermento químico em pó e o sal e reserve. No bowl da batedeira com a pá de bater massa bata a manteiga gelada em cubos até que ela se junte em uma única bola (aproximadamente 1 minuto batendo). Adicione o açúcar e bata por mais 2 minutos em velocidade média, até que estejam totalmente incorporados. Diminua a velocidade da batedeira e junte os ovos, que devem estar gelados e levemente batidos com um garfo em uma xícara. Junte também o extrato de baunilha neste ponto a massa vai estar em pedaços). Ainda com a velocidade da batedeira reduzida junte aos poucos a mistura de farinha reservada (neste momento, para evitar que uma enorme nuvem de farinha de forme na sua cozinha, envolva a boca da batedeira com um guardanapo de pano e adicione a farinha pelo buraco que ficar no centro). Adicione toda a farinha e deligue a batedeira. Com uma espátula junte os pedaços de chocolate amargo delicadamente. Com uma concha de sorvete ou usando colheres de sopa faça porções da massa e coloque na assadeira, reservando um espaço de 2 dedos entre um cookie e outro. Cubra a assadeira com os cookies com um filme plástico e leve para a geladeira por pelo menos 1 hora antes de assar. Preaqueça o forno a 190º. Leve os cookies ao forno preaquecido por 15 minutos (pode ser até 18 minutos dependendo de cada forno). O ponto correto é quando os cookies estiverem com uma superfície nesta cor “marrom clara douradinha”, e com aspecto de crescidos. Se ficar na dúvida é melhor tirá-los do forno e deixar que terminem de cozinhar fora, apenas com a temperatura. Transfira para uma grade de resfriar cookies (ou use a grade do seu forno apoiada em algo para ficar suspensa). Sirva em temperatura ambiente.

 

DICA: Com esta mesma receita como base você pode usar chocolate branco, chocolate ao leite, MM’s, bolacha oreo, frutas secas e castanhas e o que mais der vontade como recheio.

cookies-perfeitos3_figos-e-funghis

 

Uma coisa eu garanto, depois desta receita seus cookies não vão perder em nada para aqueles cookies incríveis das lojas famosas :)

 

Então bora ocupar a criançada nessas férias e preparar Cookies Irresistíveis??!!

cookies-perfeitos4_figos-e-funghis

Bom Apetite!

Risoto de Beterraba

Postado em Arroz, Clássicos, Comfort Food, Dicas, Fácil, Pratos Principais, Receitas Italianas, Restaurantes, Risotos - 28 de novembro de 2016

risoto-de-beterraba2_figos-funghis

O risoto é um verdadeiro coringa na cozinha. Como já falei aqui antes ele pode ser neutro e desta forma acompanha muito bem qualquer tipo de proteína, desde um suculento bacalhau até um corte de cordeiro. A receita de hoje é inspirada em um delicioso risoto de beterraba que a Helena Rizo faz no restaurante Mani, mas como não tenho a receita deles eu o preparei conforme a minha intuição. Sim, eu sei que muita gente não gosta de beterraba, mas sei também que quem gosta vai delirar com este risoto aqui, e garanto que o sabor não fica muito acentuado não, a influência da beterraba contribui mais mesmo é na cor. Lindona por sinal, né?!

 

Se você é daqueles que ama ter um risoto entre as opções de menu das festas de final de ano esta é uma bela sugestão, e na minha opinião combina divinamente bem com um cordeiro ao ponto, rosado por dentro ou com um peixe branco como o robalo ou a pescada cambucu. Eu acho a combinação entre beterraba, queijo de cabra e amêndoas torradas perfeita, mas se você quiser omitir ou substituir algum desses ingredientes fique à vontade. O preparo do risoto é o basicão de sempre, como eu explico em detalhes neste post AQUI , mas o pulo do gato e o truque essencial nesta receita é preparar o risoto com o suco das beterrabas cruas para que a cor se mantenha assim tão viva, pois da primeira vez que eu fiz decidi processar as beterrabas depois de cozinhá-las no vapor e a cor do meu risoto não ficou tão legal quanto desta vez. Se quiser um risoto mais sofisticado para servir como prato único ou impressionar alguém esta é a sua chance!

 

RISOTO DE BETERRABA COM QUEIJO DE CABRA E AMÊNDOAS TORRADAS

(serve 4 pessoas)

 

Ingredientes:

  • 4 beterrabas pequenas ou 3 médias descascadas e picadas em cubos
  • 1/3 de xícara (chá) de água filtrada
  • 1 xícara e 1/3 (chá) de arroz próprio para risoto (arbório, carnaroli ou vialone nano)
  • 1/2 xícara (chá) de vinho branco seco
  • 1 e 1/2 litro de caldo de legumes caseiro**
  • 1 folha de louro
  • 1 cebola grande bem picada
  • 1 dente de alho ralado
  • 1 colher (sopa) de azeite
  • 2 colheres (sopa) de manteiga
  • 4 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado
  • sal a gosto
  • amêndoas com ou sem pele
  • queijo de cabra cremoso (tipo chévre) e salsinha fresca para finalizar

 

Modo de Preparo: Em um liquidificador bata as beterrabas em cubos com a água por alguns segundos até que consiga obter um suco grosso. Se for necessário adicione mais um pouquinho de água para ajudar a bater. Mantenha o caldo bem quente durante todo o preparo do risoto, em uma boca do fogão ao lado da panela do risoto. Em uma frigideira grande e funda (gosto de usar uma wok com cabo para preparar meus risotos) aqueça a manteiga junto com o azeite em fogo alto e refogue a cebola até começar a fritar. Junte o arroz e toste um pouco, mexendo até que todos os grãos estejam recobertos pela mistura de manteiga e azeite. Mantenha o fogo alto ainda. Adicione o vinho branco e deixe o álcool evaporar e o vinho reduzir. Quando o vinho reduzir adicione a folha de louro e comece a adicionar o caldo, uma concha por vez, e mexendo o risoto a cada nova adição do caldo. Quando o arroz começar a cozinhar intercale a adição do suco de beterraba com o caldo restante. Continue regando com o caldo de legumes bem quente (quase fervendo) e com o suco de beterraba e não pare de  mexer o risoto ainda em fogo alto, até que os grãos de arroz estejam al dente, ou seja, ainda um pouco durinhos no centro. Acrescente uma última concha de caldo, mexa novamente e desligue a panela. Acrescente o queijo parmesão ralado, 1 colher de sopa de manteiga gelada e misture delicadamente ao risoto (isto serve para dar brilho e deixar o arroz ainda mais cremoso). Pique e toste as amêndoas rapidamente em uma frigideira bem quente. Distribua o risoto nos pratos, finalize com pedacinhos do queijo de cabra cremoso, adicione uma porção das amêndoas tostadas, com algumas folhas de salsinha fresca e regue com azeite. Sirva em seguida com queijo parmesão ralado na hora, à parte.

 

** Eu explico como faço o meu caldo caseiro de legumes neste post AQUI.

risoto-de-beterraba-final_figos-funghis

 

Bom Apetite!!

 

Cogumelos Recheados de Ovo

Postado em Cogumelo, Comidinhas, Dicas, Entradas, Fácil, Light, No forno, Receitas de 30 minutos, Receitas Rápidas, Vegetarianas - 12 de setembro de 2016

ovos-assados-no-portobelo_blog-figos-funghis

O nome desta receita também poderia ser “Ovos Assados no Cogumelo”, assim como os famosos “Ovos Assados no Tomate” que eu publiquei aqui há anos e que caíram tanto no gosto dos leitores que foi parar até na Revista Boa Forma daquele ano. Sim, vocês já perceberam que eu sou doida por ovo, e também não é novidade que sou a louca dos cogumelos, então nada mais óbvio do que juntar duas paixões em uma mesma receita e bingo! Sucesso total, receita facílima, bem rápida de preparar e para deixar tudo ainda mais lindo é uma receita magrinha e saudável.

 

Agora uma pausa para meu momento Bela Gil…hahahahah. Os cogumelos são riquíssimos em proteínas (2 vezes mais do que na carne bovina!) e são fortes aliados no fortalecimento do nosso sistema imunológico, eu até gosto de chamá-los de “carne dos vegetarianos”, de tão completo que é este alimento. Estes cogumelos assim grandões são da espécie conhecida por Portobelo, e ainda não é assim tão fácil de encontrá-los, mas tem uma marca que eu costumo comprar (e isso não é jabá, é opinião ok?) que se chama “Cogumelos São José” que está produzindo essa delícia e agora sempre tem naquele super mercado que é “lugar de gente feliz”, sabe? Então lá você vai achar este gigante pra fazer esta receita e outras mais que você inventar. Aqui no blog mesmo tem algumas boas receitas de cogumelos recheados e que dá até pra fazer usando shiitake ou cogumelos Paris daqueles maiores se quiser dar aquela adaptada básica.

 

A receitinha de hoje é pá-pum, vapt-vupt, zás-trás como diria minha avó. É perfeita para um almoço vegetariano, uma entradinha ou um brunch. Eu tinha 4 cogumelos Portobelo e apenas 2 ovos, então resolvi que dois deles seriam cobertos com ovos e um tiquinho de nada de queijo de cabra ralado (pode usar parmesão ou qualquer outro, ou nenhum se preferir) e os outros 2 seriam cobertos com uma misturinha que eu amo e que já tem receita aqui no blog também: abobrinha ralada com queijo ralado. Ambas as versões ficaram bem deliciosas. Tivemos uma refeição leve e feliz.

 

COGUMELOS PORTOBELO RECHEADOS COM OVOS

 

Ingredientes:

  • 4 cogumelos portobelo
  • 2 ovos
  • 1/2 xícara (chá) de abobrinha ralada
  • 3 colheres (sopa) de queijo duro de cabra ralado (ou outro queijo bom para ralar)
  • azeite a gosto
  • pimenta e sal a gosto
  • salsinha fresca para finalizar

 

Modo de Preparo: Preaqueça o forno a 180º. Limpe bem os cogumelos com um papel absorvente, com uma escovinha para vegetais ou ainda com um guardanapo de cozinha levemente umedecido. DICA>>> Como os cogumelos absorvem água rápido não é aconselhável lavá-los, mas apenas limpá-los com delicadeza e paciência. Depois de limpos corte as hastes bem rentes ao chapéu, deixando uma base boa para rechear. Vire os chapéus dos cogumelos para baixo e acomode-os em uma assadeira antiaderente ou untada. Regue os cogumelos com 1 fio de azeite. Quebre um ovo de cada vez dentro de uma xícara, mantendo a gema na casca e deixando a clara escorrer para a xícara. Ajeite as gemas no centro dos cogumelos e depois coloque um pouco de clara. Complete com um pouco de queijo ralado. (Eu faço assim porque às vezes o ovo é grande e o cogumelo não comporta toda a clara sem transbordar, então geralmente não uso a clara toda nesta receita). Misture a abobrinha ralada com o restante do queijo ralado e recheie os outros 2 cogumelos. Regue com azeite e moa um pouco de pimenta por cima de tudo. Leve para assar por 15 minutos, ou até que o ovo chegue no ponto desejado e o queijo esteja derretido. Sirva em seguida.

ovos-assados-no-portobelo2_blog-figos-funghis

E aí, gostaram da receita? Deliciosidade cheia de saúde né?! Se fizer volta aqui pra me contar o que achou, e se quiser marcar o @figosefunghis nas suas fotos do Instagram eu vou adorar ver o que vocês andam aprontando na cozinha!

 

Beijo e ótima semana!

 

 

Molho Branco Falso ou Molho Branco de Couve-flor

Postado em Dicas, Fácil, Gastronomia Funcional, Light, Massas e Pizzas, Molhos, Pratos Principais, Receitas de 30 minutos, Receitas Especiais (s/ Glúten/Lactose), Receitas Rápidas, Vegetarianas - 05 de setembro de 2016

Molho Branco Falso_F&F

Eu já falei aqui outras vezes que sou totalmente apaixonada por couve-flor né? Mas também pudera, além de ser um vegetal muito saboroso tem também diversas qualidades nutricionais pois é rica em cálcio, fósforo e Vitamina C. Por outro lado a couve-flor quase não tem calorias pois não tem nada de gordura e o carboidrato contido nela é baixíssimo, o que faz dela um vegetal maravilhosamente versátil. Em casa todos amam! Gosto de preparar desde saladas e vinagretes a sopas, versões gratinadas, curry vegetariano, arroz falso de couve-flor, tabule de couve-flor (usando aquele “arroz de couve-flor” no lugar do trigo), purê de couve-flor e até hambúrguer vegetariano de couve-flor! Prova disso é que aqui no blog tem infinitas receitas com ela.

 

Dessa vez eu quis testar fazer a couve-flor como um molho bem cremoso e denso, para usar como molho de macarrão como se fosse um molho branco, e para isso eu usei o mesmo princípio de quando eu faço sopa cremosa de couve-flor, ou aquele molho pesto de brócolis que eu já ensinei aqui, deixando mais grosso e menos líquido. Já vi uma versão parecida em blogs gringos, mas todas usavam queijo parmesão ou outro queijo cremoso, o que para a minha finalidade – que queria um molho com quase nada de calorias – não servia. Decidi então cozinhar apenas os floretes de couve-flor no leite (pode ser leite zero lactose ou até mesmo leite vegetal) com um refogado bem perfumado de cebolas, alho, noz-moscada (tem algo que remeta mais a molho bechamel do que noz moscada gente?!) e no final processei tudo e tinha um “molho branco falso” absurdamente delicioso, cremoso e viciante para o meu macarrão integral. Se você estiver numa dieta brava daquelas que não pode nem pensar em chegar perto de macarrão esta mesma receita rende uma sopa de couve-flor divina para até 4 pessoas.

Molho Branco Falso montagem_F&FMolho Branco Falso montagem2_F&F

Com este mesmo “molho branco falso” e amigo da dieta você pode fazer receitas gratinadas, deixar o creme mais grossinho (usando menos leite) e fazer um purê para servir com alguma carne, enfim, dá pra usar bem a criatividade e usar o molho branco de couve-flor em tudo o que você usaria o clássico bechamel. Olha que maravilhosidade, uma receita magrinha, mega fácil de preparar e ainda por cima sem glúten e sem lactose, ou seja,uma receita para todos. Faz e depois me conta o que você achou, tenho certeza que esta receita vai virar figurinha fácil na sua cozinha assim como virou na minha.

Molho Branco Falso2_F&F

MOLHO BRANCO FALSO OU MOLHO BRANCO DE COUVE-FLOR

(rende 500g)

 

Ingredientes:

  • 2 pés de couve-flor pequenos ou 1 grande (somente os floretes)
  • 2 e 1/2 xícaras (chá) de leite desnatado sem lactose (ou outro de sua preferência) quente
  • 1 cebola bem picada
  • 2 dentes de alho bem picados
  • 2 colheres (sopa) de azeite
  • 1 pitada generosa de noz-moscada
  • pimenta moída a gosto
  • sal a gosto
  • 1 colher (sobremesa) de manteiga ghee

 

Modo de Preparo: Aqueça brevemente o azeite em uma panela e coloque a cebola para refogar. Quando começar a ficar transparente junte o alho (para esta receita não é necessário dourar a cebola). Enquanto isso retire somente os floretes do pé de couve-flor e pique-os em pedaços pequenos (não precisa fazer o arroz de couve-flor porque depois iremos processar tudo). Junte na panela do refogado de cebola e alho e rale uma boa quantidade de noz-moscada, sal e pimenta seca. Junte o leite quente, mexa, tampe e deixe cozinhar em fogo brando por 10 minutos. Enquanto isso cozinhe a massa em bastante água com sal. Retire a couve-flor do fogo e processe com um mixer ou jogue tudo dentro de um processador ou liquidificador. Bata bem até obter um creme denso e homogêneo. Se achar necessário pingue um pouco mais de leite quente até conseguir o ponto de molho branco. Escorra a massa e sirva com o molho branco de couve-flor. Se quiser reserve por até 2 dias em pote tampado na geladeira para usar em outras receitas.

 

Molho Branco Falso3_F&F

Bom Apetite!

 

E não se esqueça, esta receita você viu primeiro aqui, no blog Figos & Funghis!

 

Quiche na Baguete ou Baguete Recheada

Postado em Comidinhas, Dicas, Fácil, No forno, Pães e Tortas, Petiscos, Receitas de 30 minutos, Receitas Rápidas - 25 de agosto de 2016

Quiche na Baguete2_Figos & Funghis

Nos EUA eles tem uma mania deliciosa de cortar a baguete ao meio, achatá-la ao máximo e transformá-la em mini pizza, mas também já vi fazerem barquinhos com a baguete e rechearem de almôndegas, ovos mexidos, enfim, os gringos sabem ser criativos e práticos quando o assunto é comida.

 

Aí que esses dias tinham duas baguetes já amanhecidas na cesta de pães aqui em casa e eu tive a ideia de recheá-las como se fossem base de quiche. Cortei ao meio no sentido do comprimento, retirei o miolo com cuidado para não perfurar a casca, preparei um recheio de quiche light (aquela que já dei a receita aqui em que substituo o creme de leite por creme de ricota light – este precioso creminho que não vivo sem!), enchi os “barquinhos” com ele e levei para assar. Fiquei tão feliz quando abri o forno e vi que deu certo! O recheio até deu aquela subidinha, ficou fofo, gostoso e não escorreu, enquanto que o pão da base ficou com as bordinhas crocantes. Gente, é uma coisa linda! Além de facílimo de preparar é um lanchinho muito prático e versátil, você pode usar sobrinhas no recheio e até servir cortadinho como petisco, ou devorar uma baguete recheada todinha enquanto assiste ao seu programa favorito na TV. Tão fácil e tão gostoso…até criança consegue fazer, então nada de preguiça. Faz e depois me conta!

Quiche na Baguete_Figos & Funghis

QUICHE NA BAGUETE OU QUICHE RECHEADA

(serve 1 pessoa faminta ou 2 pessoas com fome moderada)

 

Ingredientes:

  • 1 baguete média
  • 3 colheres (sopa) de creme de ricota light
  • 3 ovos
  • 1/2 xícara (chá) de folhas de espinafre picado
  • 1/2 xícara (chá) de cogumelos picados
  • 3 colheres (sopa) de bacon picadinho
  • 2 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado fino
  • sal a gosto

 

Modo de Preparo: Preaqueça o forno a 190º. Corte as baguetes ao meio no sentido longitudinal e com cuidado retire o miolo com as pontas dos dedos evitando perfurar a casca. Reserve. Em uma tigela misture o creme de ricota, os ovos e bata bem com um garfo até obter um creme homogêneo sem pedacinhos. Junte o espinafre, os cogumelos, o bacon e metade do queijo ralado. Misture novamente. Despeje a mistura dentro dos barquinhos de baguete, finalize com o restante do queijo parmesão ralado e leve ao forno por 20 minutos. Sirva em seguida.

Quiche na Baguete3_Figos & Funghis

Outras receitas que você pode gostar:

Mini Quiche de Cogumelos e Iogurte

Pão Italiano Recheado Express

Pãezinhos Recheados

Ovo assado no Tomate

 

Hambúrguer Vegetariano de Couve-flor

Postado em Comidinhas, Comidinhas da Oli, Cozinhando para os Pequenos, Dicas, Fácil, Gastronomia Funcional, Light, No forno, Petiscos, Receitas Especiais (s/ Glúten/Lactose), Receitas Rápidas, Vegetarianas - 08 de agosto de 2016

Mini hambúrguer vegetariano de couve-flor2_F&F

Eu cresci achando que hambúrguer era exclusivamente feito de carne vermelha, mas depois fui descobrindo novas possibilidades e percebi que praticamente qualquer combinação saborosa e que tenha liga para ser modelada pode virar um delicioso hambúrguer, inclusive combinações vegetarianas. Este hambúrguer vegetariano de couve-flor com tofu eu inventei um dia desses com o objetivo de apresentar novos sabores para a Olivia e ainda ganhar uma versão light de uma comidinha muito gostosa. Acho que nos dias de hoje em que há uma diversidade tão grande de dietas e em que cada um tem a incrível liberdade de escolher o que quer ou não comer fica piegas ser preconceituoso e dizer que hambúrguer é só de carne! De qualquer forma, se você quiser pode chamar esta receita de bolinhos de couve-flor light que também serve, afinal ficam ótimos se forem servidos como petisco junto de um molhinho de tahine, por exemplo.

 

E hoje como é segunda-feira, para prestigiar o movimento da Segunda Sem Carne – ao qual eu simpatizo muito – eu decidi compartilhar com vocês esta delicinha. Se você gosta de couve-flor vai adorar, se você não é tão fã assim eu digo que meu marido quando provou não conseguiu descobrir do que era feito. Se você é intolerante ao glúten ou é adepto a uma alimentação sem glúten também vai ficar feliz em saber que esta receita não tem glúten. Eu também preferi prepará-los no forno em vez de grelhar pois como era a primeira vez que estava fazendo esta receita queria ver como a massa iria se comportar no forno, e gostei muito do resultado. Achei que ficaram leves, macios mas não se desfazendo, e com um sabor bem bom. Provei no meio do pão como sanduíche e provei também com saladinha. Para a Olivia eu servi com arroz integral, lentilhas e purê de batata-doce. Ela amou!

 

Agora, você, que é mãe, e que está sempre em busca de uma alimentação saudável para o seu filhote, me diz se não é uma maravilha ter uma receitinha assim tão versátil em mãos? Ah, e ainda digo mais, dá pra usar a criatividade e com esta mesma base ir trocando os ingredientes. Por exemplo, se você (ou seu filhote) não curte muito couve-flor pode substituir por brócolis, por abobrinha, por abóbora ou por batata-doce mesmo. Já testei com estas combinações em outras ocasiões e também ficou mara!

Mini hambúrguer vegetariano de couve-flor_F&F

HAMBÚRGUER VEGETARIANO DE COUVE-FLOR E TOFU

(rende 12 unidades pequenas ou 4 grandes)

Ingredientes:

  • 1 pé pequeno de couve-flor sem os talos
  • 100g de tofu (prefiro o firme, mas pode ser o soft também)
  • 2 ovos
  • 3 colheres (sopa) bem cheias de farinha de mandioca fina (se preferir use aveia ou farinha de trigo integral)
  • 1 fio de azeite
  • 1/2 xícara (chá) de beterraba ralada (pode substituir por cenoura)
  • 1 pitada de páprica defumada
  • sal a gosto

 

Modo de Preparo: Elimine o máximo dos talos da couve-flor e pique-as bem miúdas como se fosse fazer um “arroz de couve-flor” (se quiser use o processador no modo pulsar até obter o tamanho desejado). Espalhe o arroz de couve-flor em um refratário e leve ao micro-ondas por 3 minutos, retire, mexa e torne ao micro-ondas por mais 3 minutos. Retire e deixe esfriar. Amasse o tofu e coloque em um bowl. Junte com o arroz de couve-flor, o azeite, o sal e a páprica e misture bem. Junte os ovos e torne a misturar até que estejam totalmente incorporados na massa. Adicione a farinha de mandioca e misture novamente. Por fim junte a beterraba ralada picadinha e misture novamente. Modele hambúrgueres grandes ou mini hambúrgueres, dependendo de como pretende usá-los. Leve ao forno preaquecido por 20 minutos ou até que estejam dourados. Sirva em seguida bem quentinhos.

Mini hambúrguer vegetariano de couve-flor3_F&F

Espero que tenham gostado da receita, e se fizerem voltem aqui pra me contar o que acharam ok?

 

Quem ainda não sabe eu estou lá no Instagram (@figosefunghis) esperando vocês, sempre com novidades deste delicioso universo da comida boa :)

 

Beijo!

 

Ceviche de Salmão com Maracujá

Postado em Clássicos, Comidinhas, Dicas, Entradas, Frutos do Mar, Light, Peixe, Pimenta, Pratos Principais, Receitas de 30 minutos, Receitas Rápidas - 06 de julho de 2016

Ceviche de Salmão com Maracujá_Blog Figos & Funghis

Aqui em casa nós amamos ceviche, eu mais ainda porque sou fã mesmo da comida peruana (não é à toa que já estive no Peru por duas vezes com a única missão de comer tudo o que conseguisse kkkk). Então, aí que apesar de estarmos em pleno inverno surgiu um sol gostoso, e dias bonitos me lembram pratos delicados, frescos, coloridos…

 

Vocês sabem que o ceviche é um prato em que o peixe é cozido no caldo do limão né? Então, o diferencial desta receita é que além do limão eu deixo o peixe marinar/cozinhar no maracujá, ambas frutas ácidas e por isso adequadas para este tipo de preparo. Eu gosto do ceviche naquele ponto em que os cubinhos ficam cozidos do lado de fora e crus por dentro, e dá para perceber isso quando o lado de fora fica levemente esbranquiçado e opaco, mas acho ideal porque é tempo suficiente para que o leite de tigre encharque a carne do peixe de sabor.

 

Outro motivo para eu amar ceviche além da delicia que é, é que ele tem pouquíssimas calorias e é perfeito para depois da prática de exercícios, já que é proteína pura. Como eu faço um baita esforço para me manter em uma alimentação bacaninha durante os dias da semana o ceviche acaba sendo figurinha fácil por aqui. Como faço bastante, para dar uma diversificada às vezes eu coloco cubos de avocado (aquele tipo de abacate menorzinho, sabe?), em outras coloco manga, e assim sempre sai um ceviche diferentão. Por isso mesmo é que já publiquei algumas versões diferentes de ceviche aqui no blog. Olivia também já aprendeu com os pais e adora ceviche, come até a cebola crua e não reclama…kkkk. Aprendi que paladar de criança é assim, precisa de treinamento para se acostumar a comer de tudo.

 

CEVICHE DE SALMÃO COM MARACUJÁ

(para 2 pessoas)

 

Ingredientes:

  • 400g de lombo de salmão fresco sem pele e sem espinhas
  • suco de 1 limão tahiti
  • polpa de 1 maracujá
  • 1 cebola roxa fatiada em meia lua
  • 1 pimenta dedo-de-moça sem sementes e bem picada
  • 2 colheres (sopa) de coentro fresco picado
  • sal a gosto
  • 6 pedras de gelo

 

Modo de Preparo: Deixe a cebola de molho em água fria por 10 minutos. Corte o peixe em cubos médios, nem muito grandes nem muito pequenos, do tamanho de um bocado. Coloque-os em uma tigela e cubra com o suco de limão, a polpa de maracujá e um pouco de sal. Junte os cubos de gelo e mexa com uma colher por alguns minutos, depois cubra e leve à geladeira por 15 minutos. Escorra a cebola e reserve. Tire o peixe temperado da geladeira, retire os cubos de gelo de dentro e junte a cebola, a pimenta e o coentro. Adicione mais sal se achar necessário. Sirva em seguida.

 

Dica esperta: Os cubos de gelo servem para manter o peixe bem fresco e gelado, além de acelerar o cozimento a frio. Aprendi este truquezinho lá no Peru, com um expert em ceviche de rua, os melhores que se pode achar por lá!

Não sei vocês, mas eu sou muito feliz com um bowlzinho de ceviche na mão :)

 

Beijo!

 

 

Waffles de Batata – facílimo e delicioso!

Postado em Comfort Food, Comidinhas, Comidinhas da Oli, Dicas, Fácil, Massas e Pizzas, Receitas de 30 minutos, Receitas Rápidas, Sanduíches - 22 de junho de 2016

Waffles de batata1_Figos e Funghis

Depois que a Olivia nasceu – e principalmente agora que ela está com 2 anos e super interagindo – eu descobri porque minha mãe gostava tanto de me carregar para a cozinha desde bem pequena. É porque é uma delicia testemunhar a descoberta de uma criança pela “mágica” que acontece com a comida. Como é que o ovo vira omelete? Como é que a batata vira bolinho? Por que arroz cru não é gostoso? Entre tantas outras indagações eu me pego encantada quando percebo os olhinhos da Olivia brilhando ao me assistir em ação na cozinha. Pra ela tudo não passa de uma grande brincadeira ainda, mas já mostra que tem fascínio pelos barulhinhos, pelo cheiro, pelas cores e principalmente pelos apetrechos da minha cozinha. Com a máquina de waffle foi assim, na verdade eu a comprei porque a Olivia ganhou no último aniversário um kit de massinhas com todos os apetrechos para fazer waffles coloridos e não desgrudava mais dele, até que um dia ela quis comer os waffles de massinha e chorou compulsivamente quando eu lhe expliquei que massinha não era comestível. Quem tem criança em casa sabe como temos que nos esforçar no “blá blá blá” né?!

 

Aí eu pensei: se a Olivia ficou tão entusiasmada com a máquina de waffles de brincar, imagine então como ela reagiria diante de uma máquina de fazer waffles de verdade?! Depois de uma breve pesquisa no google encontrei uma máquina pequena, compacta, com ótimo preço e ainda por cima vermelha! Vermelho combina com a minha cozinha e ainda causa aquela sensação lúdica. A máquina chegou e o sucesso foi certo. Já preparamos waffles clássicos, waffles doces e um zilhão de sanduichinhos que viraram waffle kkkkk. Aliás, esta foi a melhor aquisição dos últimos tempos lá em casa – sem jabá gente, não estou nem mostrando a marca ok?! – porque além da função original ela virou a nossa sanduicheira oficial. Os sanduíches ficam super crocantes por fora e macios por dentro, um crime! Bem, depois de alguns testes com a traquitana eu resolvi testar fazer waffle de batata, inspirada em um bem gordão que eu vi em um blog gringo, mas aí pra consciência não pesar muito eu dei uma boa modificada na receita e saiu este aqui, que modéstia à parte ficou de matar!!! E tem outra coisa legal nesta receita: Se você tiver um pouco de purê de batatas sobrando na geladeira (como foi meu caso) já está com meio caminho andado. Só sei que comemos, comemos e recomemos os waffles por dois dias, porque a massa rende que é uma beleza! hahahaha

 

WAFFLE DE BATATA INCRIVELMENTE GOSTOSO

(rende 8 waffles)

 

Ingredientes:

  • 3 xícaras (chá) de purê de batatas (não pode ser muito mole, tem que ser firme) / ou 3 batatas grandes cozidas e amassadas
  • 2 ovos
  • 1 xícara (chá) de farinha de trigo
  • 1 colher (chá) de fermento químico em pó
  • 1 colher (chá) de bicarbonato de sódio
  • 2 colheres (sopa) de azeite ou óleo de girassol
  • 3 colheres (sopa) de creme de ricota light
  • 1 pote de iogurte natural firme (gosto de usar o iogurte grego)
  • 1 xícara (chá) de queijo ralado (usei queijo da canastra, mas pode ser parmesão, mussarela ou prato)
  • 2 colheres (sopa) de ciboulette (aquela cebolinha francesa fininha) ou cebolinha comum bem picada
  • pimenta moída e sal a gosto

 

Waffles de batata_Blog Figos e Funghis

Modo de Preparo: Em uma tigela grande junte todos os ingredientes de uma só vez e misture até obter uma massa homogênea. Leve para gelar por 20 minutos (ou mais se puder) coberta com filme plástico para dar uma firmada na massa. Ligue a máquina de waffle e espere esquentar.

Colocando a massa na máquina

Coloque então porções da massa nas quatro partes da forma e espalhe em círculo, deixando algum espaço para a massa se espalhar quando fechar a máquina, se não vai escorrer mesmo. Feche a máquina e deixe por 8 minutos, sem abrir neste meio tempo, se não sua massa vai grudar na parte de cima e se desmanchar toda. Depois abra para dar uma espiadinha e deixe dourar até o ponto desejado. Pra mim 15 minutos no total para cada waffle fica no ponto ideal, com uma casquinha crocante e cremosinha na parte de dentro. Sirva bem quentinha com manteiga, requeijão, cream cheese, ou faça um iogurte temperado com azeite, sal e mais ciboulette.

Waffles de batata2_Figos e Funghis

 

É um absurdo, uma delicia!

 

Se fizer volta aqui e me conta tá?!

 

Beijo!

 

Tudo o que você precisa saber para preparar o risoto perfeito! E a receita de um delicioso risoto de abóbora!

Postado em Arroz, Clássicos, Comfort Food, Dicas, Pratos Principais, Receitas Italianas, Risotos - 07 de junho de 2016

Risoto de Abóbora com Ragu de Fraldinha_Blog Figos e Funghis

Eu não sei você, mas eu não resisto a um bom risoto, daquele bem cremoso, com o grão no ponto correto e com um sabor amanteigado e intenso. Este que eu acabei de descrever é o meu ideal de risoto perfeito, e acredite, não é tão fácil assim alcançar a perfeição de um risoto, não se deixe enganar pela simplicidade da receita, mas garanto que se você se dedicar e seguir direitinho todos os passos (e os truques) que eu vou dar hoje o seu risoto vai sair lindo e gostosão. A boa notícia é que apesar de exigir um pouquinho de técnica para sair perfeito, o risoto é um prato bem rápido de preparar, e depois que você pegar o jeito vai ser uma praticidade só!

 

Outro dia, falando sobre risotos com o Carlos Bertolazzi ele disse: Risoto tem que abrir no prato, quando não abre no prato não é risoto! E é bem isso mesmo, o bom risoto deve ter um caldo puxando para o cremoso bem abundante, mesmo quando você desligar a panela. Muitas pessoas dizem que o risoto estará pronto quando o caldo secar, mas isto é um erro porque com a temperatura da panela o arroz vai continuar cozinhando e o caldo secando mesmo depois de desligar o fogo. Assim, se você desligar o fogo ainda com uma boa sobra de caldo ele permanecerá úmido e cremoso, e “abrirá” quando for colocado no prato em vez de ficar aquela bola dura e estática no meio do prato como se fosse arroz de sushi requentado…kkkkk. Então já sabe, chegou no restaurante e o seu risoto veio duro em formato de “montinho” não é risoto, é “mixidão de arroz” (maldade). Anote esta primeira regra de ouro: 1) O bom risoto é aquele úmido, que abre no prato ;)

 

Em se tratando de risoto é absolutamente indispensável utilizar arrozes próprios para este tipo de prato, e os mais encontrados por aqui são o arbório, o vianole nano e o carnarolli. Sem eles a receita não será um risoto (e a decepção de pedir um risoto no restaurante e chegar um mixidão com arroz branco amanhecido?!). Outro ponto indispensável na minha opinião é caprichar no sabor intenso do caldo, além de mantê-lo bem quente durante todo o preparo do risoto, pois é nele que o arroz irá cozinhar, então é fácil concluir que quanto mais gostoso e caprichado for o seu caldo melhor será o seu risoto. Aqui vale à pena aquele dedinho a mais de dedicação. O melhor dos mundos seria preparar o caldo caseiro, mas eu sei que muitas vezes simplesmente não rola, não dá tempo, falta ingrediente, demora mais, enfim. Se este for o seu caso relaxe, acontece nas melhores famílias. Mas se você estiver determinado a preparar seu próprio caldo eu tenho uma receitinha basiquérrima que dá super certo e fica pronta em 15 minutos. Em uma caneca coloque 1 litro de água para ferver. Junte 1/2 cebola com um dente de cravo espetado, 1 talo de alho poró cortado em pedaços grandes, 1 cenoura descascada e cortada em pedaços, 1 ramo de cheiro verde, 1 pitada de pimenta moída, 1 colher (café) de sal.

 

Com as regras básicas na cabeça agora resta escolher o sabor do seu risoto e definir se ele terá algum acompanhamento. Eu, por exemplo não costumo colocar carne no risoto se eu quero servi-lo acompanhado de outra carne. Pra mim no mundo dos risotos menos é mais, gosto de fazer risotos com sabores concentrados em um ou dois ingredientes de destaque. É claro que às vezes rola aquele risoto meio ogro, com vários ingredientes como o de linguiça calabresa com pimenta biquinho que já passou por aqui há anos atrás e o de mignon com cerveja preta e mini cebolas caramelizadas, que são incrivelmente saborosos. No caso deste risoto aqui eu escolhi fazer só de abóbora e decidi acompanhar com um ragu de fraldinha que eu preparei na panela de pressão em menos de meia hora. A combinação ficou perfeita, certamente vou repetir outras vezes. Olivia comeu até se fartar (ela ama risoto!), e até repetiu! Mas a regra geral é que risotos mais básicos são mais fáceis de combinar e vão bem com peixes, aves e carnes, porque são mais neutros.

Risoto de Abóbora com Ragu de Fraldinha3_Blog Figos e Funghis

 

RISOTO DE ABÓBORA COM RAGU DE FRALDINHA

(serve 4 pessoas)

 

Ingredientes:

  • 1 xícara (chá) de arroz para risoto (arbório, vialone nano, ou carnarolli)
  • 2 xícaras (chá) de abóbora japonesa cozida e amassada
  • 1/2 xícaara (chá) da água do cozimento da abóbora
  • 1/2 cebola descascada picada
  • 1 folha de louro
  • 2 colheres (sopa) de manteiga
  • 1 colher (sopa) de azeite
  • 1/2 xícara (chá) de vinho branco seco
  • pimenta moída a gosto
  • sal a gosto
  • 1 litro de caldo de legumes

 

Modo de Preparo do Risoto: Depois de cozinhar a abóbora amasse-a junto com a água do cozimento (1/2 xícara) e reserve. Mantenha o caldo bem quente durante todo o preparo do risoto, em uma boca do fogão ao lado da panela do risoto. Em uma frigideira grande e funda (gosto de usar uma wok com cabo para preparar meus risotos) aqueça a manteiga junto com o azeite em fogo alto e refogue a cebola até começar a fritar. Junte o arroz e toste um pouco, mexendo até que todos os grãos estejam recobertos pela mistura de manteiga e azeite. Mantenha o fogo alto ainda. Adicione o vinho branco e deixe o álcool evaporar e o vinho reduzir. Quando o vinho reduzir adicione a folha de louro e comece a adicionar o caldo, uma concha por vez, e mexendo o risoto a cada nova adição do caldo. Quando o arroz começar a cozinhar junte o purê de abóbora. Continue regando com o caldo de legumes bem quente (quase fervendo) e não pare de  mexer o risoto ainda em fogo alto, até que os grãos de arroz estejam al dente, ou seja, ainda um pouco durinhos no centro. Acrescente uma última concha de caldo, mexa novamente e desligue a panela. Acrescente 1 colher de sopa de manteiga gelada e misture delicadamente ao risoto (isto serve para dar brilho e deixar o arroz ainda mais cremoso). Sirva em seguida com queijo ralado na hora, e o acompanhamento de escolher.

 

Ingredientes do Ragu:

  • 500g de fraldinha bem limpa cortada em cubos
  • 1 cebola picada
  • 2 dentes de alho picados
  • 250ml de cerveja escura
  • 1/2 xícara (chá) de suco de tomate (ou molho puro)
  • 1 colher (sopa) de óleo de girassol
  • sal e pimenta a gosto
  • salsa fresca para finalizar

 

Modo de Preparo do Ragu: Na panela de pressão coloque o óleo para esquentar e refogue a cebola, e depois o alho. Junte os cubos de carne e deixe selar de todos os lados. Regue com a cerveja escura, com o suco de tomate e tempere com pimenta e sal. Feche a panela e deixe cozinhar em fogo alto até pegar pressão, aí reduza para o fogo médio, conte 30 minutos e desligue. Sirva sobre o risoto e finalize com salsa fresca.

 

Risoto de Abóbora com Ragu de Fraldinha2_Blog Figos e Funghis

 

Espero que as dicas tenham sido úteis, e se fizer já sabe, volta aqui pra me contar!

 

Estou também no Instagram, no Facebook, no Twitter e no SNAPCHAT (essa rede social complicadinha no começo mas muito divertida porque você pode acompanhar tudo em vídeo e praticamente em tempo real!)

 

Beijo, beijo!

 

Bolinho de Arroz sem Glúten – facílimo de fazer!

Postado em Arroz, Clássicos, Comfort Food, Comidinhas, Dicas, Entradas, Fácil, Gastronomia Funcional, Petiscos, Receitas de 30 minutos, Receitas Especiais (s/ Glúten/Lactose), Receitas Rápidas, Vegetarianas - 18 de abril de 2016

Bolinhos de Arroz sem Gluten_F&F

Eu sou simplesmente apaixonada por bolinho de arroz desde que me entendo por gente. Bom, na verdade eu sou apaixonada por arroz, qualquer um deles, e quando tenho a possibilidade de transformar aquele arroz simples que sobrou na geladeira em deliciosos bolinhos crocantes por fora e macios por dentro eu não desperdiço não!

 

Por outro lado, como vocês bem sabem eu não tenho o hábito de fazer frituras em casa, e sempre que posso adapto a receita para prepará-la no forno, mas como tudo na vida tem suas exceções dessa vez eu me rendi ao pedido dos amigos durante o feriado de Páscoa que passamos juntos e preparei os bolinhos fritos mesmo, mas sem peso na consciência, porque se eu vou sair da rotina e dar uma pisadinha na jaca acredito que preciso no mínimo ter prazer com isso! Bolinhos de arroz estão entre as únicas 5 receitas que eu não resisto preparadas fritas. Feriado na praia entre amigos e uma cozinha super equipada foram motivos suficientes para que eu me enfiasse na cozinha (por sorte tínhamos uma ajudante na casa e tenho 2 amigos na turma que também gostam de cozinhar. Sim, homens, a mulherada por ali não curte muito pilotar um fogão…kkkk), e numa dessas aventuras decidi preparar os bolinhos de arroz para petiscarmos antes do almoço, mas quando já estava preparando a massa descobri que tínhamos apenas farinha de mandioca na despensa, e nenhuma outra alternativa, se não dirigir até o mercado mais próximo, pegar 1 hora de fila para passar a compra, mas esta de fato não era uma alternativa, se não os bolinhos para petisco virariam bolinhos para o café da tarde. Resolvi arriscar e fui de farinha de mandioca mesmo, e não é que o resultado foi incrível?! Gente, vocês não acreditam que delicia, os bolinhos preparados com farinha de mandioca demoram um pouco mais para fritar e formam uma camada de espuma na superfície enquanto fritam, mas quando ficam prontos ficam leves, crocantes por fora e macios por dentro, muito saborosos e por não ter glúten mesmo sendo fritos não deixam o estômago pesado. Eu amei, os amigos amaram e agora em casa só vai ter bolinho de arroz sem glúten. Adoro quando os imprevistos proporcionam descobertas :)

 

Da próxima vez que fizer vou tentar deixar a massa mais consistente para fazer no forno, mas aí é uma outra experiência que eu venho contar pra vocês depois. E me desculpem pela foto – a única – que tirei dos bolinhos prontos. Eles acabaram tão rápido que não consegui fazer mais nada a não ser salvar alguns para não ficar sem…hahahaha.

 

 

RECEITA DE BOLINHO DE ARROZ SEM GLÚTEN 

(rende aproximadamente 25 unidades)

 

Ingredientes:

  • 4 xícaras (chá) de arroz branco pronto
  • 4 ovos
  • 2/3 de xícara (chá) de farinha de mandioca fina
  • 1 tomate sem sementes bem picado
  • ½ cebola bem picada
  • 1 dente de alho triturado ou ralado
  • ½ xícara (chá) de cheiro verde picado
  • 150g de queijo parmesão ralado (se quiser os bolinhos sem lactose use queijo sem lactose, mas use um bem firme)
  • 1 fio de azeite
  • Pimenta e sal a gosto
  • Óleo de girassol para fritar (ou outro de sua preferência)

 

Modo de Preparo: em uma tigela coloque o arroz, faça um buraco no meio e quebre todos os ovos. Depois junte o cheiro verde picado, o queijo parmesão, a cebola, o tomate, o alho, o azeite e misture novamente. Adicione pimenta a gosto (ou pimenta fresca picada ou pimenta seca moída), sal se achar necessário e misture novamente. Por fim adicione aos poucos a farinha de mandioca até dar liga, talvez precise de mais farinha, talvez de menos farinha, depende do tamanho dos ovos que estiver usando. Coloque óleo suficiente na panela para fritar todos os bolinhos (para esta quantidade da receita usei 1 litro) e deixe aquecer bem, até fazer o teste do palito de fósforo e ele acender no óleo (ou então coloque apenas uma pontinha da massa no óleo, se borbulhar rapidamente é porque está no ponto certo). Com a ajuda de duas colheres de sopa – coloque uma porção em uma colher e aperte com a outra, modele os bolinhos e vá colocando no óleo. Frite dos dois lados até dourar (forma um pouco de espuma por cima dos bolinhos por causa da farinha de mandioca, mas é normal), depois escorra o máximo que conseguir de gordura em papel absorvente e sirva com salsinha fresca picada por cima.

 

Dicas:

1) A proporção sempre será de 1 xícara de arroz para 1 ovo se quiser fazer mais ou menos bolinhos.

2) Você também pode picar ou ralar outros tipos de queijo e misturar na massa, ou até mesmo rechear com cubinhos de queijo. Para preparar uma versão sem lactose basta substituir o queijo parmesão por um queijo sem lactose de massa firme.

 

Bom Apetite!

 

Peixe Assado em Crosta Crocante e Spaghetti de Vegetais

Postado em Abobrinha, Acompanhamentos, Comidinhas da Oli, Cozinhando para os Pequenos, Dicas, Fácil, Light, No forno, Peixe, Pratos Principais, Receitas de 30 minutos, Receitas Rápidas - 04 de abril de 2016

Peixe Assado Crocante com spaghetti vegano_F&F

Tenho o hábito de preparar bastante peixe em casa, pois todos nós amamos e é uma proteína rica em vitaminas, além de ser uma escolha leve e saudável. O peixe é muito versátil, e pode ser preparado de infinitas maneiras diferentes: assado, ensopado, frito, gratinado, cru. São mesmo muitas possibilidades, mas uma das minhas formas prediletas é preparar o peixe assado. Gosto muito da textura do peixe assado, fica macio, suculento e suave. Desta vez resolvi fazer uma crosta de pão temperada com algumas ervas, azeite e sal e colocar uma camada grossa sobre o peixe, para que ficasse bem crocante quando ficasse pronto. A ideia era servi-lo com um acompanhamento delicioso e super neutro: Spaghetti de Legumes!

 

Outro dia nos meus passeios pela internet eu encontrei um utensílio de cozinha que se parece com aqueles descascadores baratinhos, sabem? Mas além de descascar ele tem um plus: faz perfeitas tirinhas de vegetais que ficam idênticas as spaghetti! Óbvio que comprei para testar (me custou apenas R$ 9,90), e quando chegou não botei muita fé no resultado, estava achando tudo muito simples. Quando passei a lâmina pela abobrinha eis a minha surpresa: fios caíam prontos sobre a tábua, como se fosse mágica! Eu já tinha feito spaghetti de legumes outras vezes (tem inclusive algumas receitas aqui), e talharim também, mas fazia na raça, depois de laminar na mandolina ou com o descascador de legumes eu mesma cortava as tirinhas. Mas este aparentemente inofensivo apetrecho faz o trabalho duplo com um único movimento. Genial!

 

Já falei pra vocês que a Olivia ama comer saudável né? Tenho certeza que esta preferência dela por comida natural vem da educação que damos e principalmente do exemplo que ela tem em casa. Durante a gestação eu e meu marido mudamos muitas coisas na nossa vida alimentar, e hoje eu vejo que foi a melhor escolha que fizemos para a vida da nossa família. Nossos filhos são o espelho do que vêem em nós, pais e mães. Bom, mas tô falando isso porque lá no Instagram do blog (@figosefunghis) vocês vão poder ver um videozinho da Oli (de algumas semanas atrás, role a tela para procurar) comendo esse Spaghetti de legumes que fiz pra nós usando palmito pupunha natural e abobrinhas italianas bem novinhas.

 

<<< DICA PRECIOSA>>>Procure no hortifruti e você vai achar abobrinhas pequenas. Elas são fundamentais para fazer spaghetti porque ainda não tem muitas sementes e por isso não soltam muita água durante o cozimento, o que garante uma textura incrível depois de prontas! Ah, as abobrinhas pequenas também são perfeitas para fazer esta receita de LASANHA DE ABOBRINHA SEM GLÚTEN que eu publiquei AQUI.

 

RECEITA DE PEIXE EM CROSTA CROCANTE COM SPAGHETTI DE VEGETAIS

(serve 4 pessoas)

 

Ingredientes:

  • 4 filés altos de peixe (usei robalo, mas pode ser qualquer filé gorduchinho que você encontre)
  • 1 xícara (chá) de pão amanhecido ralado grosso
  • 2 colheres (sopa) de azeite extra virgem
  • 1 colher (sopa) de tempero seco para peixes (há várias marcas naturais hoje no mercado)
  • pimenta e sal a gosto

Para o Spaghetti de Vegetais:

  • 3 abobrinhas italianas pequenas bem lavadas e sem as extremidades
  • 200g de palmito pupunha cortado em fios (ou compre o tolete, abra e faça os fios)
  • 2 colheres (sopa) de azeite
  • 2 dentes de alho triturados
  • 2 colheres (sopa) de água
  • sal a gosto

 

Modo de Preparo: Preaqueça o forno a 190º. Unte uma travessa refratária com um fio de azeite e ajeite os filé de peixe lado a lado. Em uma tigela pequena misture bem o pão amanhecido ralado, o azeite, os temperos para peixe, a pimenta e o sal. Cubra cada um dos filés com uma boa porção da farofa de pão amanhecido, pressionando com as pontas dos dedos para formar uma camada firme. Leve ao forno por 20 minutos, ou até que a superfície esteja com uma cor levemente dourada. Enquanto o peixe assa prepare os fios de abobrinha usando um apetrecho como o descrito acima, ou faça lâminas com um descascador de legumes e depois empilhe-as, para em seguida cortar fazendo os fios. Misture os fios de abobrinha com os fios de pupunha e reserve. Aqueça o azeite e doure o alho, em seguida junte os fios de abobrinha e de pupunha, regue com a água e cozinhe em fogo muito baixo até que estejam al dente. Você também pode cozinhar no vapor se preferir, e regar com o azeite de alho depois. Sirva o spaghetti de vegetais com o peixe assado em crosta crocante. Bom demais!

Peixe assado crocante com spaghetti vegano2_F&F

 

E aí, gostaram?

Bom Apetite!

 

Sorvete de Banana de 2 Ingredientes

Postado em Comidinhas, Comidinhas da Oli, Cozinhando para os Pequenos, Dicas, Doces, Fácil, Frutas, Gastronomia Funcional, Light, Receitas Rápidas, Sobremesas, Sorbets e Sorvetes - 09 de março de 2016

Sorvete de banana_F&F

 

Eu amo receitinhas que sejam tão fáceis que nem parecem receitas, parecem na verdade dicas! E esta receita é exatamente assim, nem tem cara de receita e por isso mesmo eu prefiro chamar de DICA!

 

Vocês já devem ter visto por aí este “sorvetinho” de banana e que faz o maior sucesso no mundo fit né? E tudo isso porque apesar de não ser tecnicamente um sorvete ele faz as vezes do doce, mas com a vantagem de não ter açúcar (apesar de ficar bem docinho!), não dar trabalho nenhum para preparar e ser muito gostoso também. A dica consiste basicamente em bater bananas congeladas no processador até que se forme um creme firme e aerado, a consistência fica igualzinha à de sorvete e você pode colocar com as bananas o que quiser: nozes, uvas passas, outras frutas, pasta de amendoim, e até mesmo doce de leite se você não estiver preocupado com a balança e não se importar de comer açúcar.

 

Com a minha escolha de não dar açúcar para a Olivia pelo menos até que ela tenha 3 anos, tenho buscado cada vez mais alternativas para substituir o ingrediente branco e refinado – que não agrega muito benefício à saúde como todos sabemos – por ingredientes mais integrais, ou seja, por comida de verdade. E é assim que vou fazendo testes, dando pra ela provar e se ela gosta, bingo! Sucesso! Mas olha, vou ser muito sincera, eu me surpreendi com a textura e o sabor do “sorvetinho fake”. Fica muito bom mesmo, e não precisa adoçar com nada, basta usar bananas maduras e fica no ponto perfeito de doçura. No meu eu coloquei frutas vermelhas (também congeladas, para manter a textura), mas hoje já fiz de novo com pasta de amendoim sem açúcar e estou esperando gelar bem para conferir o resultado. Doce sem culpa, sem trabalho e com muito sabor! Além disso é super natural, sem conservantes e você sabe exatamente o que tem nele. Faz e depois me conta!

 

SORVETE DE BANANA COM FRUTAS VERMELHAS

(rende 1 pote de 500g aproximadamente)

 

Ingredientes:

  • 2 bananas nanicas grandes e bem maduras
  • 1 e 1/2 xícara (chá) de frutas vermelhas congeladas

 

Modo de Preparo: Descasque as bananas, corte em rodelas e armazene em saco plástico do tipo “zip” por pelo menos 1 hora (você também pode deixar bananas congeladas com antecedência para quando tiver vontade de sorvete). Bata no processador as bananas congeladas e as frutas vermelhas por 5 minutos, até obter uma textura firme e bem aerada, fofa mesmo. Transfira para um pote que possa ir ao freezer, cubra com um pedaço de plástico ou papel manteiga (para evitar que se formem cristais de gelo na superfície) e leve ao freezer por no mínimo 1 hora. Sirva com frutinhas vermelhas em cima ou com granola.

 

Sorvete de banana2_F&F

 

Delicia, delicia, delicia!

 

Bom Apetite!

 

Tarteletes de Cebola Caramelizada e Queijo

Postado em Clássicos, Comfort Food, Comidinhas, Dicas, É Natal, Entradas, Fácil, Massas e Pizzas, No forno, Pães e Tortas, Receitas Rápidas - 18 de dezembro de 2015

Tartelete de cebola caramelizada e queijo2_F&F

 

Eu sou apaixonada por tortas e todas as suas variações: tortinhas, tarteletes, quiches, tortas abertas, tortas fechadas…são tantas! Outro dia abri a geladeira naquela quinta à noite (pra mim quinta é sempre um dia crítico, porque as compras para os dias de semana já estão acabando e ainda não fiz as compras para o final de semana, que costuma ser às sextas) e dentro as coisas que encontrei lá dentro logo me atraíram as cebolas, muitas cebolas – que eu havia trazido do hortifruti perto de casa e ainda não tinha tido oportunidade de usar, além de alguns vários pedaços de queijo (no meu caso de cabra, um dos meus vícios!) já começados e tcharam…… um bom pedaço de massa folhada comprada pronta!

 

Gente, quem foi que inventou a massa folhada pronta? Olha, eu acho incrível porque ela pode nos render comidinhas deliciosas sem dar quase nada de trabalho na cozinha e ainda por cima é ultra versátil. Dá pra fazer salgados, doces, palitinhos, pasteizinhos, empanadas improvisadas, TORTAS! Uma mão na roda! Eu confesso que eu amo preparar minha própria massa de torta, mas geralmente prefiro as massas menos pesadas, com menos manteiga, muitas vezes até preparo com farinha integral (como nesta receita AQUI). Mas ter uma opção dessas à mão de vez em quando salva aquele momento de fominha emergencial :)

 

Bom, só sei que com pouquíssimos ingredientes e trabalho quase zero – o “maior” deles foi caramelizar a cebola no vinho do Porto <3 – sim! Você leu isso: caramelizadas no vinho do Porto!!! E nem precisaria dizer que o resultado final foi óbvio com tantas combinações de coisinhas deliciosas no mesmo pedaço de massa crocantinha né? Faça, faça e faça! Sirva em festinhas e até na sua ceia de Natal se quiser. Você pode cortar a massa em quadradinhos ainda menores que os meus, e servir numa tábua bem linda, e esta é uma receita que mesmo fria é deliciosa. Eu acho super adequado, afinal é difícil ter um “petisco” assim tão lindo, que pode ser preparado rapidamente e ainda a um custo tão baixo!

 

TARTELETES DE CEBOLA CARAMELIZADA NO VINHO DO PORTO E QUEIJOS

(8 tarteletes individuais)

 

Ingredientes:

  • 8 retângulos pequenos de massa folhada
  • 2 cebolas grandes brancas
  • pedaços de queijo variados (usei queijo azul e brie de cabra, mas pode ser qualquer queijo de massa cremosa que derreta no forno)
  • 3 colheres (sopa) de vinho do Porto
  • 1 colher (sopa) de manteiga
  • 1 colher (copa) de azeite
  • folhas de tomilho a gosto
  • sal a gosto
  • 1 gema misturada com uma colher (café) de água

 

Modo de Preparo: Fatie das cebolas em rodelas finas e reserve. Em uma frigideira grande derreta a manteiga junto com o azeite e junte as cebolas fatiadas. Salteie em fogo alto por uns 2 minutos, aí acrescente o vinho do Porto, sal a gosto e quando o álcool evaporar (depois que “chia” e sobe aquela fumaça) reduza o fogo e deixe a cebola ali, até que esteja com uma cor de caramelo (mais uns 15 a 20 minutos na frigideira). Só não deixe derreter porque elas ainda irão ao forno. Desligue a cebola e deixe esfriar. Modele os retângulos de massa dobrando todas as bordas e demarcando um grande centro. Misture a gema de ovo batida com a água e pincele sobre toda a superfície das tarteletes. No centro demarcado pelas bordas coloque uma boa porção de cebolas caramelizadas e distribua aleatoriamente pedaços de queijo sobre as tortinhas. Depois, leve tudo para a geladeira por 20 minutos, enquanto isso preaqueça o forno a 180º. Retire as tarteletes da geladeira, polvilhe algumas folhinhas de tomilho e leve ao forno por 20 minutos, ou até que a massa esteja bem assada e dourada. Sirva quente ou fria, conforme desejar. Se for servir como entrada fica bem com salada verde.

 

Tartelete de cebola caramelizada e queijo_F&F

 

E aí, curtiram?

Bom Apetite!

 

Carne Assada com Manteiga de Mostarda L’ancienne

Postado em Carnes, Comfort Food, Dicas, Fácil, Figos&FunghisTV, Pratos Principais, publieditorial, Receitas de Família, Vídeos - 02 de dezembro de 2015

Carne assada2_F&F

 

Esta receita é muito especial pra mim porque minha mãe a prepara para a nossa família desde que eu era ainda uma pequena criança gulosa, mas não sabia preparar nem ovo frito. Ela é especial não só pela memória afetiva que me traz, mas também por ser uma receita que tem várias qualidades que eu aprecio muito: é prática, é fácil, leva apenas 5 ingredientes (já contando com a carne) e suja pouquíssima louça!

 

Quer saber de outra coisa irresistível nesta receita? Um pedaço suculento de carne é totalmente besuntado com a deliciosa manteiga Lurpak, e que foi aromatizada com mostarda l’ancienne – aquela mostarda envelhecida dos grãozinhos que estouram na boca, sabe? Pois é, carne, manteiga e mostarda, não tem como dar errado! Para acompanhar preparei as famosas batatas crocantes de parmesão que fazem o maior sucesso aqui no blog! Agora pensem no aroma que sai pela fresta do forno enquanto tudo isso assa? Só digo uma coisa: Ulalá!

Carne Assada Lurpak_F&F

Para conferir esta receita DE BABAR dá um play no vídeo aqui embaixo. A lista de ingredientes está na descrição do vídeo no canal do blog no Youtube ;)

 

 

Viram como é simples e delicioso fazer mágica na cozinha? Basta escolher os ingredientes certos e caprichar na dose de amor que vai na panela!

Pena que vocês não puderam sentir o cheirinho delicioso que eu senti por aqui.

#façasuamagica #comidaboamerece #lurpakbr


 

artigo-patrocinado_FF

Pão Italiano Recheado Express – em vídeo!

Postado em Dicas, Fácil, Figos&FunghisTV, Pães e Tortas, Receitas de 30 minutos, Receitas Rápidas, Vídeos - 26 de novembro de 2015

Oi gente, tudo bem? Estou passando para mostrar pra vocês o vídeo que foi HOJE pro ar lá no canal do blog no Youtube! É uma receitinha que faz o maior sucesso aqui no blog desde 2012 e muitos leitores me pediam para gravá-la em vídeo. Bom, este dia chegou e se quiser aprender a preparar um petisco incrível em pouquíssimo tempo e com poucos ingredientes aperta o play!

 

Para quem ainda não viu, a receita original eu coloquei no blog pela primeira vez AQUI!

Se você gostar do vídeo promete que me dá um curtir?! E para receber sempre as novidades do canal inscreva-se: www.youtube.com/c/figosefunghistv

Te vejo lá então!

Beijos ;)