Risoto de Tomate

Postado em Arroz, Clássicos, Comfort Food, Fácil, Pratos Principais, Receitas Italianas, Receitas Rápidas, Risotos, Vegetarianas - 29 de maio de 2017

Risoto de Tomate4

Se tem um rato que faz muito sucesso sempre aqui em casa é o risoto! Olivia puxou a mamãe e ama tudo o que leva arroz, além de amar tanto tomates que quando está me ajudando na cozinha fica com a função de lavá-los e o resultado é que eles praticamente acabam antes de serem usados na receita…agora já aprendi a tática: compro sempre um pouco a mais para sobrar para a receita, afinal é um vício saudável e longe de mim desestimular. Em time que está ganhando não se mexe!

 

Neste final de semana fomos juntas ara a cozinha – aliás, quem não me acompanha no Instagram (@figosefunghis) está perdendo toda a fofura da Oli no meu Stories – e preparamos este risoto de tomate lindão, que além de ultra saboroso fica super cremoso também! O pulo do gato eu te conto: fazer uma pastinha de tomates frescos crus com um fio de azeite e um dente de alho para usar no preparo do risoto. É um risoto muito versátil, que combina com carne vermelha, com frango assado, com peixes e frutos do mar. Se você for vegetariano(a) também não vai precisar de muito mais, minha dica é fazer uma boa porção de tomatinhos confit no forno e servir sobre o risoto, como na foto, e se finalizar com pedacinhos de queijo então, não precisa de mais nada mesmo! Um acompanhamento elegante ou um prato único com muito charme e delicadeza <3

Risoto de Tomate1

RISOTO DE TOMATE

(serve 4 pessoas)

 

Ingredientes:

  • 200g de mini tomates mais adocicados cortados ao meio (do tipo pêra ou sweet grape)
  • 100g de tomates cereja
  • 2 tomates italianos picados
  • 1 xícara (chá) de arroz arbório ou outro próprio para risoto
  • 1/2 cebola bem picada
  • 2 dentes de alho
  • 1 bulbo de alho poró fatiado
  • 1 colher (sopa) de manteiga ghee
  • 1 colher (sopa) de azeite
  • 1 cálice (licor) de vinho branco seco
  • pimenta e sal a gosto
  • 50g de queijo brie picado em cubinhos (opcional)

 

Modo de Preparo: Prepare a pasta de tomates frescos: Em um processador ou em uma tigela coloque todos os mini tomates cortados ao meio e os 2 tomates italianos picados (reserve os tomates cereja com ou sem rama para confitar no forno). Junte aos tomates 1 fio de azeite e 1 dente de alho fresco. Bata com um mixer ou processe até obter uma pasta bem cremosa e lisa, sem pedacinhos de pele ou sementes. Reserve. Em uma caneca grande ou caçarola prepare o caldo de legumes** e o mantenha aquecido. Enquanto isso, preaqueça o forno a 200º, ajeite os tomates cereja com ou sem rama sobre uma assadeira e regue com um fio de azeite. Leve para assar por 15 minutos. Enquanto os tomatinhos assam inicie o preparo do risoto. Coloque a manteiga e o azeite juntos em uma wok e aqueça até derreter a manteiga. Refogue a cebola e o alho poró até ficarem macios. Junte 1 dente de alho picadinho e em seguida o arroz, mexendo bem para incorporar tudo. Regue com o vinho e depois que o álcool evaporar adicione a pasta de tomates frescos. Comece a regar com o caldo, concha por concha, mantendo o fogo alto e mexendo o tempo todo. Ajuste o sal e a pimenta. Quando perceber que o grão de arroz está cozido por fora e ainda branquinho por dentro junte os cubinhos de queijo brie se estiver usando (se não estiver use uma colherzinha de chá de manteiga), uma concha generosa de caldo, mexa e desligue. Deixe o risoto descansar tampado por 5 minutos. Sirva com os tomatinhos assados em azeite e queijo parmesão ralado a gosto.

 

** Caldo de Legumes caseiro: Para cada litro de água filtrada eu gosto de usar: 1 cenoura, 1 cebola, 1 dente de alho, 1 bulbo de alho poró, 1 folha de louro, 1 ramo de salsinha fresca e sal. Basta deixar ferver, depois reduzir o fogo e manter aquecido durante todo o preparo do risoto. Se quiser armazenar pode colocar em forminhas de gelo ou copinhos de plástico e congelar. Uma praticidade só!!

Risoto de Tomate2

Cremosinho, brilhante e irresistível!

 

Risoto de Tomate3

 

Bom Apetite!

Curry Vegetariano de Abóbora, grão-de-bico e cogumelos

Postado em Comfort Food, Cozinhando para os Pequenos, Fácil, Light, Pratos Principais, Receitas Especiais (s/ Glúten/Lactose), Vegetarianas - 03 de maio de 2017

Curry Vegetariano de abóbora, grão-de-bico e cogumelo1_F&F

Em casa sempre gostamos de pratos vegetarianos, e quando queremos fazer uma refeição mais leve ou nas segundas sem carne eu procuro ser o mais criativa possível para criar novas receitas para sair da mesmice, e ultimamente eu fiquei expert no preparo de curries vegetarianos tamanho o sucesso que eles fazem por lá! É uma das receitas preferidas da Oli, das que ela mais me pede para fazer :)

 

A base do curry é geralmente sempre a mesma. Eu gosto de começar a preparar aquecendo os temperos em algum tipo de gordura que pode ser o azeite, o óleo de coco ou manteiga ghee. O estilo de curry que eu mais gosto tem uma certa inspiração indiana porque gosto de colocar garam masala e uma variedade de outras especiarias nele, e acho que quanto mais, melhor, pois enriquece o sabor do prato e torna a refeição muito mais prazerosa. Na minha mais recente viagem de férias para a Indonésia eu aproveitei para fazer uma imersão na culinária local (prometo que depois conto mais sobre isso aqui), e aprendi que lá eles usam muitos temperos como base de preparo de quase todos os pratos, e acho que justamente por isso esta comida asiática seja tão interessante. Bem, mas este aqui não é um curry aprendido por lá, pois já preparo esta receita há tempos e inclusive já a incluí em um workshop de receitas vegetarianas que dei ano passado aqui em SP. O que acontece comigo é o que acontece com todo cozinheiro: ele pega uma receita que gosta muito e vai aprimorando, mexendo um pouquinho de cada vez até que ache que está bom.

 

Nesta versão eu usei abóbora cabotiá, grão-de-bico e cogumelos frescos, mas também já usei lentilhas no lugar do grão-de-bico e já usei tofu no lugar dos cogumelos. Como eu disse, é uma receitinha coringa porque a base dos temperos sempre será a mesma, mas você pode estimular a criatividade e substituir os ingredientes. Curry de batata, por exemplo, fica bom demais!

Curry Vegetariano de abóbora, grão-de-bico e cogumelo_F&F

CURRY DE ABÓBORA COM GRÃO-DE-BICO E COGUMELOS

(serve 4 pessoas)

 

Ingredientes:

  • 500g de abóbora cabotiá descascada e cortada em cubos médios
  • 2 xícaras (chá) de grão-de-bico deixado de molho por 24 horas, e escorridos
  • 200g de cogumelos paris frescos cortados em quartos
  • 100ml (ou 1/2 garrainha) de leite de coco
  • 1 e 1/2 xícara (chá) de água
  • 1 cebola pequena bem picada
  • 3 dentes de alho bem picados
  • 1 colher (sopa) de manteiga ghee
  • 1 colher (sopa) de azeite
  • 1 colher (chá) de curry
  • 1 colher (café) de garam masala
  • 1 colher (café) de grãos de mostarda
  • 1 pitada de canela em pó
  • 2 folhas de louro
  • sal a gosto
  • salsa fresca picada e gergelim para finalizar

 

Modo de Preparo: Numa panela grande aqueça o azeite com a manteiga e junte a cebola, o alho e refogue até a cebola ficar transparente. Adicione os grãos de mostarda, o curry, a garam masala, as folhas de louro e refogue até que obtenha uma espécie de pastinha grudada no fundo da panela. Regue com a água e junte os cubos de abóbora, o grão-de-bico deixado de molho e já escorrido, a pitada de canela e tempere com sal. Tampe a panela e deixe cozinhar em fogo médio até ferver, então adicione o leite de coco e deixe cozinhar em fogo baixo por mais 15 minutos, mexendo de vez em quando e adicionando mais água se achar necessário. Quando a abóbora estiver bem cozida e o grão-de-bico al dente acrescente os cogumelos, mexa, tampe a panela e cozinhe por apenas 3 minutos. Desligue e sirva em seguida com algum arroz da sua preferência e uma saladinha ou folhas refogadas. Aqui eu preparei uma saladinha de espinafre baby que encontrei no hortifruti e arroz vermelho.

 

Tá vendo como comida vegetariana pode ser tão atraente que você nem deu falta da carne nesta receita? Porque comida vegetariana não precisa ser aquela coisinha sem surpresa que você apenas tirou a carne de uma receita originalmente preparada com ela, pelo contrário, você pode criar uma receita totalmente nova e surpreendente tendo os vegetais como estrelas principais. Outro dia uma amiga vegetariana reclamou pra mim que está cansada de ir a restaurantes e ver que as opções vegetarianas se limitam às massas, ela me disse que procura muito mais que isso, algo que surpreenda o paladar, que lhe faça salivar e que lhe dê vontade de repetir. Eu posso até estar sendo um tiquinho arrogante, mas afirmo sem medo de ser feliz que esta receitinha cumpre o papel lindamente. Façam para aquele(a) amigo(a) vegetariano(a) e depois me contem se não foi um arraso!

Curry Vegetariano de abóbora, grão-de-bico e cogumelo2_F&F

Bom Apetite!!

 

Para ver mais receitas como esta:

Curry Vegetariano de Couve-flor

Curry Vegetariano de Legumes

 

 

Arroz de Bacalhau

Postado em Arroz, Bacalhau, Comfort Food, Datas Especiais, Fácil, Peixe, Pratos Principais, Receitas de Família - 24 de março de 2017

Arroz de Bacalhau_Blog Figos e Funghis

A Páscoa já está chegando, e é inevitável pensar nas deliciosas comidinhas desta época, concorda? Pois é, a boa notícia é que por aqui tanto o peixe de uma forma geral quanto o bacalhau sempre foram muito prestigiados, e há uma infinidade de receitas fáceis e gostosas pra você se jogar e escolher qual combina mais com a sua família. Aliás, quem aqui ainda não segue o perfil do blog lá no Pinterest? Se ainda não segue corre lá, porque as receitas mais bacanas do blog estão todas separadinhas por pastas específicas, inclusive uma só de Receitas de Páscoa e outra só de bacalhau!

 

Hoje eu trago uma receita nova com bacalhau que tem jeitinho e sabor de comfort food, além de ser super econômica pois o bacalhau usado aqui é em lascas, e não em postas, e em tempos de crise é sempre bom ter uma opção assim. Fiz este prato em casa num almoço de família e fez o maior sucesso, afinal quem é que não gosta de um arroz todo molhadinho e cheio de coisinhas gostosas?!

 

Para o Arroz de Bacalhau eu usei arroz arbóreo mesmo, mas não o preparei como risoto, preparei como arroz comum, mas você pode usar qualquer arroz que preferir, o arroz agulhinha do dia a dia fica delicioso nesta receita também. O que você de fato precisa saber é que todo o segredo e a graça deste arroz, são o tempero e a umidade, então quanto mais molhadinho ficar mais gostoso ele será! Tenho certeza que na sua casa também vai ser um sucesso! Deliciosidade pura minha gente!

Arroz de Bacalhau2_Blog Figos e Funghis

ARROZ DE BACALHAU

(serve muito bem 6 pessoas)

 

Ingredientes:

  • 2 xícaras e 1/2 (chá) de arroz branco cru
  • 1 cebola grande bem picada
  • 2 dentes de alho bem picados
  • 3 tomates italianos bem maduros e picados
  • 3 colheres (sopa) de azeite
  • 2 xícaras (chá) de grão-de-bico deixado de molho por ao menos 12 horas, e escorridos
  • 300g de bacalhau em lascas, já dessalgado e sem espinhas
  • 2 xícaras (chá) de floretes de brócolis já cozidos al dente
  • 1 xícara (chá) de vagens picadas ou cortadas ao meio
  • 1 xícara (chá) de mini tomates
  • 2 folhas de louro
  • 3 colheres (sopa) de cebolinha picada
  • 3 colheres (sopa) de salsinha picada
  • pimenta moída e sal a gosto
  • 6 xícaras (chá) de água

 

Modo de Preparo: Em uma panela grande aqueça o azeite e refogue a cebola, o alho, a cebolinha e as folhas de louro até que a cebola esteja bem transparente e começando a dourar. Junte o arroz e frite bem, deixando todos os grãos com aquele brilho bonito. Em seguida junte os tomates picados, as lascas de bacalhau e cubra com a água. Deixe cozinhar até levantar fervura e prove, se precisar de sal adicione neste momento. Adicione também o grão-de-bico neste momento, reduza o fogo para o médio e deixe a panela semi tampada. Mexa de vez em quando e prove, sem deixar a água secar totalmente, a ideia é o arroz ficar bem úmido mesmo. Quando o arroz estiver quase pronto adicione os mini tomates, o brócolis já cozido e as vagens cruas mesmo (elas cozinham super rápido). Prove novamente e ajuste o tempero se achar necessário. Finalize com a salsinha picada e regue com um bom fio de azeite. Sirva em seguida, na panela mesmo, que é para dar aquela cara de refeição em família e manter o arroz sempre aquecido.

 

Muuuuito suculento :)

 

Bom Apetite!

 

Molho de Camarão e Mini Tomates para Massas

Postado em Comfort Food, Dicas, Fácil, Frutos do Mar, Massas e Pizzas, Molhos, Pratos Principais, Receitas de 30 minutos, Receitas Italianas, Receitas Rápidas - 14 de março de 2017

Massa Fresca com Molho de Camarões e Tomate Cereja_Blog Figos e Funghis

Massa com frutos do mar é um dos meus pratos preferidos da culinária italiana, e sempre que vou a algum restaurante que tem esta opção é quase impossível resistir! Quando estou na praia um dos meus passeios preferidos é ir ao Perequê, famoso bairro dos pescadores e de restaurantes caiçaras tradicionais no Guarujá justamente para comprar camarões e peixe fresco, e sempre volto com uma porção deles para congelar e ter em casa para quando der vontade.

 

Foi num desses finais de semana que “deu vontade” que surgiu esta receita. Eu tinha um pacote de massa verde artesanal em casa – aqui em SP eu gosto muito muitíssimo de comprar massas na Pastagrano, que além de ser praticamente minha vizinha tem as massas artesanais mais deliciosas e delicadas que eu conheço na cidade. [Não é jabá não, é dica preciosa mesmo, eu sou consumidora deles e recomendo de coração e sem medo de ser feliz!] Quando o produto é bom, o serviço idem e o preço é justo sou a primeira a indicar!

 

Mas voltando à receita do molho de camarões, uma massa boa requer um bom molho, feito no capricho ainda que seja daqueles bem rápidos de preparar, como este aqui, preparado com tomates frescos, camarões e temperinhos. Quem é que precisa de mais para ser feliz num almoço de domingo?! Então bora anotar, pinar muito e enviar para as amigas porque esta é uma receita facílima e rapidíssima, além de ser uma deliciosidade!!! Aliás, por falar em pinar muito, o perfil do Figos e Funghis lá no Pinterest está cada dia mais lindo, com todas as receitas do blog separadinhas por pastas específicas. Já temos uma pasta recheada de receitas para a Páscoa, então corre lá pra conferir ok?!

 

MOLHO DE CAMARÕES E TOMATES FRESCOS PARA MASSA

(rende 4 oorções)

 

Ingredientes:

  • 12 camarões grandes, bem limpos, sem casca mas com a cauda
  • 1 caixinha de tomates cereja (aproximadamente 300g)
  • 6 tomates italianos sem as sementes e bem picados
  • 1 xícara (café) de vinho branco seco
  • 3 colheres (sopa) de azeite
  • 2 dentes de alho fatiados
  • 1/2 cebola bem picada
  • 1 ramo de manjericão
  • 1 punhado de salsinha
  • pimenta moída e sal a gosto

 

Modo de Preparo: Aqueça bem uma frigideira grande ou caçarola e refogue a cebola até ficar transparente, depois junte o alho e não deixe dourar. Junte os camarões em seguida e salteie rapidamente até que fiquem branquinhos, mas sem deixar dourar. Retire e reserve. Regue a frigideira com o vinho branco e junte os tomates italianos picados, o manjericão, tempere com pimenta e sal, depois deixe cozinhar em fogo baixo por 10 minutos. Junte os tomates cereja, os camarões reservados e metade da salsinha, deixando cozinhar tampado por 5 minutos. Por fim junte a outra metade da salsinha e ajuste o sal se achar necessário. Sirva com alguma massa cozida de sua preferência.

 

Bom Apetite!

Como fazer o ovo perfeito

Postado em Acompanhamentos, Clássicos, Comfort Food, Comidinhas, Dicas, Fácil, Receitas Rápidas - 01 de março de 2017

Ovo Perfeito2_Blog Figos & Funghis

Ovo é uma das minhas paixões alimentares. É bem difícil eu passar mais do que dois dias sem comer ovo, na verdade acho que isso nunca me aconteceu…Mas ovo não é só gostoso e versátil não, ele é também um alimento riquíssimo em nutrientes super importantes para o ser humano, e já foi inclusive rotulado como o segundo melhor alimento do mundo (ficando atrás apenas do leite materno) por relatórios de nutrição mundial adotados por diversos órgãos internacionais extremamente confiáveis.

 

Bem, então como uma “egg lover” eu devo confessar que muitos dos pratos com carinha de comfort food que chegam à minha frente eu me pergunto se não caberia um ovo por cima, e algumas vezes ele faz tanta falta que o prato até perde a graça. Por exemplo: imagine um prato de polenta cremosa, bem quentinha com um molho bolonhesa e me diga. Não caberia um belo ovo pochê, ou até mesmo frito ali no topo?! Levaria o prato de polenta à glória certamente. E imagine ele ali lindão coroando um baião de dois? Aff, me dá até água na boca…Mas a verdade é que aquele ditado popular de que “Fulano não sabe nem fritar um ovo” acontece mesmo na vida de muitas pessoas, e para isto basta não ter nenhuma intimidade com o fogão, mas aqui vai uma palavra de incentivo: nunca é tarde para aprender, e não precisa ter vergonha, porque a partir de agora você vai aprender todas as dicas e truques para preparar o ovo que quiser e fazer com que ele fique perfeito! Quer ver só?!

 

OVO FRITO: Use uma frigideira pequena e prepare um ovo de cada vez, mas se você não liga para perfeição e precisa preparar vários ovos ao mesmo tempo use uma frigideira grande e vá em frente, depois é só dar aquele separada básica caso um ovo emende no outro. Deixe a frigideira bem quente, adicione um fio generoso de azeite ou de óleo vegetal da sua preferência e em seguida quebre o ovo com a frigideira ainda em fogo alto. Polvilhe um pouco de sal. Com a ajuda de uma escumadeira vá dando aquele “banho” gostosinho no ovo, até que ele crie aquela película de clara cozida por cima da gema, que ainda deve estar mole (ou não, depende do ponto que você prefere). Quando a clara estiver totalmente cozida retire o ovo da frigideira e deite-o sobre um prato forrado com papel absorvente. Sirva em seguida.

 

OVO COZIDO E SEUS PONTOS: Este é o jeito mais fácil de se preparar um ovo, mas antes você precisa saber algumas regrinhas essenciais. Para que seja cozido é melhor que o ovo esteja em temperatura ambiente, assim a casca não racha quando a água esquentar e fica mais fácil calcular o ponto de cozimento em minutos. Ah, tem também aquele teste que você faz para saber se o ovo está bom ou não. Encha um copo grande de água e coloque o ovo cru dentro, se ele afundar está bom para ser consumido, se ele boiar a chance de estar estragado é bem grande, pois ovos velhos juntam mais oxigênio em seu interior. Coloque o ovo em temperatura ambiente em uma caçarola e cubra com água, depois ligue a chama do fogão em fogo alto e cozinhe o ovo por: 3 minutos para ovo mole (aquele que sua mãe gostava de preparar quando você era criança e você só cortava a tampinha na casca e comia o ovo de colher), 4 minutos e 30 segundos (kkkk, não é brincadeira, é sério, eu fiz vários testes até chegar no ponto ideal para o meu gosto) para clara mais firme ao ponto de descascar e a gema em ponto de geleia com uma leve escorrida da gema (meu preferido!), 6 minutos para clara bem firme e gema mais brilhante mas que não escorre e 9 minutos para ovos bem firmes tanto na clara quanto na gema. Depois de atingir o tempo desejado escorra imediatamente a água fervendo e cubra o ovo cozido com água fria. Descasque de imediato (com exceção do ovo bem mole) e sirva.

 

OVO MEXIDO: Acho que a grande maioria aqui concorda comigo que ovo mexido tem que ser cremosinho, com aquele aspecto de nuvem e de cor amarelo clarinho, certo? Não aquele ovo mexido “cremoso quase líquido” que alguns hotéis tentam fazer errando feio, mas aquele ovo mexido que dá vontade de comer uma tigela todinha com apenas umas torradinhas e virou o seu café-da-mahã/almoço/jantar. O segredo? Muito fácil! Bata rapidamente 3 ovos em uma tigelinha apenas para estourar as gemas, junte 2 colheres (sopa) de leite da sua preferência (trucão!) e despeje em uma frigideira untada com um fiozinho de azeite ou óleo vegetal em fogo médio. Tempere com sal e mexa por alguns (poucos) minutos até os ovos coagularem. Não deixe o ovo grudar na frigideira nem por um milésimo de segundo, ou seu ovo ficará com aquele saborzinho indesejado de casquinha queimada. Quando ainda houver alguns pontinhos de gema mal passada e seus ovos mexidos estiverem com uma cor amarelo claro desligue a frigideira e sirva imediatamente.

 

OVO POCHÉ: Este é de longe o mais temido dos ovos, até mesmo alguns chefs de cozinha ou cozinheiros caseiros super acostumados com a cozinha sentem um friozinho na barriga quando o assunto é o preparo de um ovo poché perfeito. Há duas formas de prepará-lo, da forma tradicional e “na raça”, ou usando o velho truque da “bolsinha” de filme plástico (Coloque o ovo em um pedaço de plástico filme e enrole as pontas, certificando-se de que está bem vedado. Você pode usar uma xícara para esta etapa. Ponha as ‘bolsinhas’ na água fervente e cozinhe por 3 minutos. Retire do plástico antes de servir.) Se pra você aprender a fazer um ovo poché de verdade não é assim uma questão de honra, use a bolsinha de filme plástico e seja feliz, mas se você é daqueles que quer provar pra você mesmo que é capaz de dominar todas as técnicas de preparar um ovo então preste atenção: Leve uma caçarola com água para o fogo alto até começar a levantar fervura, aí reduza o fogo para o mínimo apenas para manter a temperatura sem deixar ferver e acrescente uma colher de sopa de vinagre branco (gosto de usar vinagre de arroz que é bem suave), depois quebre o ovo dentro de uma tigelinha pequena e aproxime-o da água, fazendo um leve redemoinho na água com uma colher, e em seguida deixando o ovo escorregar para o centro deste redemoinho. Deixe cozinhar sem mexer por 3 minutos e 30 segundos, de modo que a clara fique cozida e firme e a gema ainda mole. Retire da água com cuidado com uma escumadeira e sirva em seguida.

 

OMELETE: Tem várias receitas de omelete aqui no blog, tanto a clássica como a de forno e também a fritata, que é uma variação da omelete. Para navegar por essas delicias basta acessar este link aqui ó: http://figosefunghis.com.br/?s=Omelete&submit=

 

Ovo perfeito_Blog Figos & Funghis

 

Pronto! Agora com essas dicas todas eu garanto que vai ser praticamente impossível você não aprender a preparar um ovo, ou vários né?!

 

Beijo!

 

Abóbora Aromática Assada com Risoto Integral de Cogumelos

Postado em Arroz, Cogumelo, Comfort Food, Dicas, Fácil, Petiscos, Pratos Principais, Risotos, Vegetarianas - 13 de fevereiro de 2017

Abóbora Aromática com Risoto Integral de Cogumelos3_Figos e Funghis

E a nossa segunda-feira sem carne vai muito bem, obrigada! Em casa todas as segundas rola um almocinho vegetariano e cheio de cor – somos adeptos felizes da #segundasemcarne , e todo mundo adora, inclusive a Olivia que na “tabela” da vida alimentar está mais para vegetariana do que para carnívora, em um lar de carnívoros…para ser sincera eu não acho ruim não e não gosto de forçá-la a nada. Oferecer eu ofereço, pois sabemos que é fundamental oferecer o máximo de variedade de alimentos aos pequenos, então quando ela está a fim ela come, se não não come. Olivia é um tipo de “peixetariana”, porque se tem algo que ela não recusa é um peixinho.

 

Mas falando um pouco sobre a receita do dia, eu escolhi esta delicia que eu faço há anos e que até já apareceu aqui no blog antes: as abóboras aromáticas assadas, que vira e mexe são a estrela da nossa segunda sem carne, só vou mudando os temperinhos. Desta vez decidi acompanhar de um risoto integral de cogumelo que eu amooooo preparar com o mini arroz integral, fica com uma textura linda! As abóboras são facílimas de fazer e podem ser preparadas tanto com a casca como sem elas, mas eu prefiro preparar assim em meia-lua com a casca, e quanto mais fina for a fatia mais seca fica a abóbora, então se você quiser fazer chips de abóbora basta cortar as fatias bem finas. É muito bom também!

Abóbora Aromática com Risoto Integral de Cogumelos2_Figos e Funghis

ABÓBORAS AROMÁTICAS ASSADAS

(serve 3 pessoas)

 

Ingredientes:

  • 1/2 abóbora japonesa com a casca
  • 3 colheres (sopa) de azeite
  • 1 colher (café) de garam masala (uma mistura indiana de especiarias que se encontra pronta)
  • 2 colheres (sopa) de mel
  • sal rosa a gosto
  • salsa fresca picada
  • queijo cottage para servir (opcional)

 

Modo de Preparo: Preaqueça o forno em 190º por 10 minutos. Lave bem a abóbora, retire as sementes e fatie em meia-lua de mais ou menos 1,5 cm de espessura (para ficarem carnudinhas e caramelizadas). Ajeite as fatias de abóbora em uma assadeira e pincele o azeite, espalhe a garam masala, o mel e finalize com o sal e a salsa picada. Leve ao forno por 30 minutos, ou até perceber que a abóbora está bem dourada e caramelizada nas extremidades. Sirva em seguida.

 

Dica: Esta receita também é uma opção incrivelmente deliciosa para servir como petisco (um belisquete LIGHT diga-se de passagem) acompanhada de queijo cottage, creme de ricota ou iogurte grego para dar aquela chuchadinha…

Abóbora Aromática com Risoto Integral de Cogumelos4_Figos e Funghis

RISOTO INTEGRAL DE COGUMELOS

(serve 3 pessoas)

 

Ingredientes:

  • 2 xícaras (café) de mini arroz integral (ou outro de sua preferência. O arroz cateto também fica ótimo nesta receita)
  • 2 xícaras (chá) de cogumelos paris picados em cubinhos (aproximadamente 100g de cogumelos)
  • 1 colher (sopa) de azeite
  • 3 colheres (sopa) de cebola bem picada
  • 400ml de caldo de legumes bem quente
  • 1 colher (sopa) de creme de ricota light
  • 1 colher (chá) de ghee (ou manteiga comum)
  • 1 pitada de tomilho desidratado
  • sal a gosto

 

Modo de Preparo: Refogue a cebola em azeite até murchar e em seguida junte o mini arroz. Frite por alguns minutos e cubra com o caldo de legumes. Adicione os cogumelos e tempere com sal. Refogue por um minutinho e cubra com o caldo de legumes. Deixe cozinhar em fogo alto até ferver, tampe e cozinhe por 20 minutos, acompanhando e mexendo de vez em quando. Ao final deste tempo reduza o fogo, adicione mais caldo se achar necessário e junte a manteiga, o tomilho e ajuste o sal. O ponto correto é como o do risoto comum, o grão deve estar macio por fora e um pouco durinho no centro. Por fim acrescente o creme de ricota e deixe dissolver bem. Sirva em seguida.

Abóbora Aromática com Risoto Integral de Cogumelos_Figos e Funghis

Eu espero que vocês gostem tanto quanto eu desta receitinha gostosa, colorida, saudável e sem carne. Porque dá sim para ser feliz sem ter carne no prato todos os dias.

 

Bom Apetite!

 

Risoto de Beterraba

Postado em Arroz, Clássicos, Comfort Food, Dicas, Fácil, Pratos Principais, Receitas Italianas, Restaurantes, Risotos - 28 de novembro de 2016

risoto-de-beterraba2_figos-funghis

O risoto é um verdadeiro coringa na cozinha. Como já falei aqui antes ele pode ser neutro e desta forma acompanha muito bem qualquer tipo de proteína, desde um suculento bacalhau até um corte de cordeiro. A receita de hoje é inspirada em um delicioso risoto de beterraba que a Helena Rizo faz no restaurante Mani, mas como não tenho a receita deles eu o preparei conforme a minha intuição. Sim, eu sei que muita gente não gosta de beterraba, mas sei também que quem gosta vai delirar com este risoto aqui, e garanto que o sabor não fica muito acentuado não, a influência da beterraba contribui mais mesmo é na cor. Lindona por sinal, né?!

 

Se você é daqueles que ama ter um risoto entre as opções de menu das festas de final de ano esta é uma bela sugestão, e na minha opinião combina divinamente bem com um cordeiro ao ponto, rosado por dentro ou com um peixe branco como o robalo ou a pescada cambucu. Eu acho a combinação entre beterraba, queijo de cabra e amêndoas torradas perfeita, mas se você quiser omitir ou substituir algum desses ingredientes fique à vontade. O preparo do risoto é o basicão de sempre, como eu explico em detalhes neste post AQUI , mas o pulo do gato e o truque essencial nesta receita é preparar o risoto com o suco das beterrabas cruas para que a cor se mantenha assim tão viva, pois da primeira vez que eu fiz decidi processar as beterrabas depois de cozinhá-las no vapor e a cor do meu risoto não ficou tão legal quanto desta vez. Se quiser um risoto mais sofisticado para servir como prato único ou impressionar alguém esta é a sua chance!

 

RISOTO DE BETERRABA COM QUEIJO DE CABRA E AMÊNDOAS TORRADAS

(serve 4 pessoas)

 

Ingredientes:

  • 4 beterrabas pequenas ou 3 médias descascadas e picadas em cubos
  • 1/3 de xícara (chá) de água filtrada
  • 1 xícara e 1/3 (chá) de arroz próprio para risoto (arbório, carnaroli ou vialone nano)
  • 1/2 xícara (chá) de vinho branco seco
  • 1 e 1/2 litro de caldo de legumes caseiro**
  • 1 folha de louro
  • 1 cebola grande bem picada
  • 1 dente de alho ralado
  • 1 colher (sopa) de azeite
  • 2 colheres (sopa) de manteiga
  • 4 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado
  • sal a gosto
  • amêndoas com ou sem pele
  • queijo de cabra cremoso (tipo chévre) e salsinha fresca para finalizar

 

Modo de Preparo: Em um liquidificador bata as beterrabas em cubos com a água por alguns segundos até que consiga obter um suco grosso. Se for necessário adicione mais um pouquinho de água para ajudar a bater. Mantenha o caldo bem quente durante todo o preparo do risoto, em uma boca do fogão ao lado da panela do risoto. Em uma frigideira grande e funda (gosto de usar uma wok com cabo para preparar meus risotos) aqueça a manteiga junto com o azeite em fogo alto e refogue a cebola até começar a fritar. Junte o arroz e toste um pouco, mexendo até que todos os grãos estejam recobertos pela mistura de manteiga e azeite. Mantenha o fogo alto ainda. Adicione o vinho branco e deixe o álcool evaporar e o vinho reduzir. Quando o vinho reduzir adicione a folha de louro e comece a adicionar o caldo, uma concha por vez, e mexendo o risoto a cada nova adição do caldo. Quando o arroz começar a cozinhar intercale a adição do suco de beterraba com o caldo restante. Continue regando com o caldo de legumes bem quente (quase fervendo) e com o suco de beterraba e não pare de  mexer o risoto ainda em fogo alto, até que os grãos de arroz estejam al dente, ou seja, ainda um pouco durinhos no centro. Acrescente uma última concha de caldo, mexa novamente e desligue a panela. Acrescente o queijo parmesão ralado, 1 colher de sopa de manteiga gelada e misture delicadamente ao risoto (isto serve para dar brilho e deixar o arroz ainda mais cremoso). Pique e toste as amêndoas rapidamente em uma frigideira bem quente. Distribua o risoto nos pratos, finalize com pedacinhos do queijo de cabra cremoso, adicione uma porção das amêndoas tostadas, com algumas folhas de salsinha fresca e regue com azeite. Sirva em seguida com queijo parmesão ralado na hora, à parte.

 

** Eu explico como faço o meu caldo caseiro de legumes neste post AQUI.

risoto-de-beterraba-final_figos-funghis

 

Bom Apetite!!

 

Nhoque de Ricota com Espinafre sem Glúten

Postado em Clássicos, Comfort Food, Fácil, Light, Massas e Pizzas, Pratos Principais, Receitas Especiais (s/ Glúten/Lactose), Receitas Italianas, Vegetarianas - 08 de novembro de 2016

gnocchi-de-ricota-com-espinafre_figos-funghis

Eu simplesmente AMO massas, de todos os tipos e formas, das secas às frescas, das longas às curtas e recheadas, mas vamos combinar que as massas não são exatamente amigas da boa forma, e eu confesso que minha vontade era comer massa todos os dias, mas se eu fizesse isso não teria coragem de me olhar no espelho de tão roliça que iria ficar…hahahahaha.

 

Para resolver (ou amenizar) este obstáculo eu fico procurando opções mais saudáveis e com menos calorias mas que dão conta de tapear o meu apetite italiano voraz, ao menos em dias de semana. Foi assim que surgiu a ideia de fazer este nhoque de ricota com espinafre – que eu adooooro – com farinha de arroz em substituição à farinha de trigo, e em pouca quantidade já que eu preparei o nhoque no VAPOR! E pausa para o assassinato da receita original, porque eu nunca vi ninguém preparar nhoque no vapor…ops, foi mal italianos, me perdoem. Mas tem um motivo, explico: a farinha de arroz não dá a mesma liga que a farinha de trigo dá na massa, e sendo assim quando você tenta colocar o nhoque feito com farinha de arroz na água ele simplesmente se desmancha todinho. Acredite em mim, eu testei antes de ter certeza. Já no vapor eles se mantém assim, redondinhos e lindos, exatamente no formato que você quiser.

 

Esta receita aqui também não leva batata, o que faz dela uma campeã em calorias reduzidas combinada com deliciosidade pura!!! Então pode se jogar porque é sem peso na consciência. Eba! E se você é um ser superior que não precisa se preocupar com a balança, basta fazer a receita tradicional, usando farinha de trigo comum no lugar da farinha de arroz, e para dar mais liga e maciez pode adicionar 2 batatas asterix (que devem ser cozidas com a casca e depois amassadas e aguarde esfriar para misturar ao restante da massa) na receita. Minha bisavó fazia assim, ela era rechonchuda e não ligava para a balança, mas eram outros tempos.

gnocchi-de-ricota-com-espinafre2_figos-funghis

NHOQUE DE RICOTA COM ESPINAFRE SEM GLÚTEN

(serve 4 pessoas)

Ingredientes:

  • 1 xícara (chá) de ricota fresca ralada, amassada ou esfarelada
  • 1 xícara (chá) de espinafre cozido no vapor
  • 2 colheres (sopa) generosas de farinha de arroz (ou outra de sua preferência)
  • 2 ovos
  • 3 colheres (sopa) de parmesão ralado (opcional, pode substituir por meia cura ou não usar)
  • 1 fio de azeite
  • sal a gosto

Modo de Preparo: Depois de cozinhar o espinafre no vapor esprema bem com as mãos até retirar o máximo de líquido possível das folhas e pique bem pequeno. Em uma tigela misture a ricota amassada com o espinafre picado, os ovos, o azeite, o parmesão e o sal. Em seguida junte a farinha de arroz e misture bem. Molde bolinhas com as mãos e ajeite-os em uma assadeira. Leve para firmar na geladeira por uns 15 a 30 minutos. Depois coloque sobre a cesta de uma panela de vapor e cozinhe no vapor sobre água fervente por 10 minutos. Retire e sirva com o molho de tomates mais caseiro, fresquinho e pedaçudo que puder preparar. Este molho é facílimo e você encontra a receita dele aqui ó:  “Molho de Tomates Express”

 

gnocchi-de-ricota-com-espinafre3_figos-funghis

 

Bom Apetite!

Fricassé de Frango Light

Postado em Aves, Clássicos, Comfort Food, Comidinhas, Comidinhas da Oli, Fácil, Frango, Light, No forno, Pratos Principais, Receitas de Família, Receitas Rápidas - 30 de agosto de 2016

Fricassé de Frango Rápido_Figos e Funghis

Eu passei a minha infância comendo o fricassé de frango da minha mãe. Foi com ela que comecei a cozinhar, e as receitas dela pra mim sempre são as melhores, afinal além de serem mesmo muito boas me trazem aquela memória afetiva gostosa do passado. E o fricassé sempre foi uma das receitas que eu e minha irmã mais pedíamos para a minha mãe, empatada com o strogonoff, com a lasanha de berinjela, a abobrinha recheada e o feijão branco que ela faz. E eu estaria sendo injusta se me esquecesse da torta de batata, do frango chileno e do arroz de Braga…muitas receitas da dona Letícia já passaram por aqui, e foi a partir de uma receita dela que nasceu este fricassé meio fajutinho, é verdade, mas ainda assim delicioso e numa versão light com poucas calorias.

 

É o tipo de receita que todo mundo gosta, especialmente as crianças. Olivia por exemplo não pode ver milho na frente que abandona todo o restante do prato só pra ficar catando os grãos um a um. Ela come muito bem (sorte a minha! ufa!) e gosta de praticamente tudo, mas nada consegue competir com o milho…hahahahha. Só pra vocês terem uma ideia, a nova moda dela é comer milho cozido no café da manhã…sim, verdade. Eu que já amava milho desde sempre (sim, ela tem a quem puxar) agora amo mais ainda porque toda semana tem alguma receita com milho em casa. E num desses dias eu improvisei um fricassé de frango light, com quase nada de gordura e substituindo o molho bechamel por um molho à base de creme de ricota. Ficou bom demais, e outro ponto positivo é que é muito fácil de fazer e fica pronto rapidinho. Fiz em porções individuais, mas minha mãe costuma fazer uma travessa enorme para servir a família toda nos almoços de domingo. Aliás, por falar nisso, é engraçado pensar que quando nos tornamos adultos a comida de domingo mais perfeita é justamente aquela que era o nosso trivial em dias de semana, e da qual sentimos uma imensa falta quando nos mudamos da casa da mamãe. As melhores coisas da vida são mesmo as mais simples, e todos os dias eu tento plantar no coraçãozinho da Oli essas lembranças gostosas <3.

 

FRICASSÉ DE FRANGO LIGHT

(serve 4 pessoas)

 

Ingredientes:

  • 4 filés de peito de frango bem limpos e sem pele, cortados em cubos
  • 3 espigas de milho verde cozido ou 1 lata grande
  • 1/2 xícara (chá) de azeitonas verdes sem caroço fatiadas ou picadas
  • 1 xícara (chá) de creme de ricota light
  • 2/3 de xícara (chá) de leite desnatado
  • 1 fio de azeite
  • 1 cebola picada
  • 1 dente de alho bem picado
  • salsinha fresca bem picada
  • sal e pimenta a gosto
  • batata palha para finalizar

 

Modo de Preparo: Tempere os cubos de peito de frango com sal e pimenta a gosto. Coloque o azeite em uma frigideira bem quente e doure os cubos de frango. Se quiser dê uma desfiada bem grosseira nos cubos de frango, mas se preferir deixe assim mesmo. Junte a cebola, o alho, o milho e as azeitonas. Ajuste o sal e a pimenta se necessário e adicione salsinha fresca picada a gosto. Forre o fundo de ramequins individuais ou de um refratário grande com o refogado de frango e milho. Reserve. Preaqueça o forno a 190º. Enquanto isso misture o creme de ricota com o leite e leve ao fogo médio em uma panelinha, assim que começar a ferver desligue.Cubra o refogado de frango com o molho e leve para gratinar por 15 a 20 minutos. Quando estiver pronto retire do forno e cubra com batata palha. Sirva em seguida.

Fricassé de Frango Rápido3_Figos e Funghis

Receitinha simples, rápida, fácil e mais que tudo isso: deliciosa!

Fricassé de Frango Rápido4_Figos e Funghis

Bom Apetite!

 

Beijo!

Fabi

Carne Chinesa com Brócolis

Postado em Carnes, Clássicos, Cogumelo, Comfort Food, Fácil, Light, Pratos Principais, Receitas Rápidas - 18 de agosto de 2016

Carne com Brócolis_Figos & Funghis

Sabe aquela carninha com brócolis que é um clássico da culinária chinesa e que vende aos montes nos fast food de caixinha? Pois então, em casa sempre tem esta receita, mas com muito menos gordura e mais sabor, porque vamos combinar que tudo o que é feito em casa é melhor. Mas o que eu mais amo nesta receita é que ela é daquelas que se encaixam perfeitamente em uma categoria de receitinhas para o dia a dia que eu uso muito: as receitinhas express! É quase inacreditável que um prato principal tão bonito, gostoso e saudável como este fica pronto em apenas 15 minutos!

 

Geralmente eu faço assim para facilitar: cozinho o brócolis no vapor um pouco antes mas ainda os deixo bem durinhos (um pouco mais do que al dente) e guardo na geladeira para a hora do jantar. No momento do preparo começo com a carne, e enquanto ela doura eu fatio os cogumelos e pico a cebolinha, separo os ingredientes para finalizar o prato. Para acompanhar o arroz branco ou aquele famoso arroz chinês com vegetais são os mais comuns, mas eu também gosto muito de servir com quinoa cozida. Uma receita facílima, cheia de cor e de sabor que deixa o jantar muito mais feliz. Dá para fazer esta mesma receita usando peito de frango em cubos, fica deliciosa também, ou ainda uma versão vegetariana usando diversos tipos de cogumelos junto com o brócolis.

 

RECEITA DE CARNE CHINESA COM BRÓCOLIS E SHIITAKE

(serve até 4 pessoas)

 

Ingredientes:

  • 600g de filé mignon cortado em cubos ou tiras finas
  • 1 pé de brócolis japonês separado em floretes e previamente cozidos no vapor mas ainda bem firmes
  • 6 cogumelos shiitake grandes fatiados
  • 1 fio de azeite ou 1 fio de óleo de gergelim
  • 1/3 de xícara (chá) de saquê próprio para cozinhar (se não encontrar substitua por vinho branco, ou omita da receita)
  • 1/3 de xícara (chá) de molho shoyu com baixo teor de sódio (ou light)
  • 1 colher (sopa) bem cheia de gergelim preto e branco misturados
  • 3 colheres (sopa) de cebolinha fresca picada

 

Modo de Preparo: Tempere a carne com sal e com o óleo de gergelim ou o azeite. Aqueça bem uma grelha ou frigideira rasa e coloque a carne quando a grelha estiver bem quente. Não mexa e deixe mudar de cor e soltar líquido, aí então junte o saquê de cozinha (ou vinho) e o shoyu. Em seguida mexa rapidamente com uma espátula e junte os florestes de brócolis. Cozinhe por apenas 3 minutos e junte os cogumelos fatiados, mexendo rapidamente e deixando cozinhar por mais 2 minutos. Desligue o fogo e finalize com o mix de gergelim, a cebolinha picada e sirva imediatamente sobre arroz, macarrão de arroz ou quinoa cozida.

Carne com Brócolis2_Figos & Funghis

 

Bom Apetite!

 

Beijo!

 

Creme de Batata e Alho-Poró Thai ou Vichyssoise Thai

Postado em Comfort Food, Contos, Entradas, Frutos do Mar, Inverno, Restaurantes, Sopas e Caldos, Thai, Viagens - 10 de agosto de 2016

Vichyssoise thai2_Figos & Funghis

Quando eu era criança minha mãe – que aliás é uma mestre na preparação de sopas – fazia muito um creme de batata com alho-poró pra nós que todos amavam, e mais tarde fui descobrir que a tal sopa é a famosa e tem nome chic: Vichyssoise. Trata-se de uma clássica receita francesa em que batatas e talos de alho-poró são cozidos em caldo de galinha e depois adicionados de creme de leite fresco. Quem já provou sabe que por si só a receita já é uma absoluta delicia e não precisaria de mais nenhuma modificação.

 

Porém, quando estive recentemente em Portugal, mais precisamente na pequena cidade de Ericeira, me hospedei no Hotel Vila Galé e o restaurante de lá tinha uma chef que fazia uma comida incrivelmente deliciosa. Em uma das refeições que fizemos ali resolvi pedir uma vichyssoise com camarões que tinha no menu (e nada de descrição, apenas o nome mesmo), mas jamais imaginei a surpresa que estaria por vir. Quando a sopa chegou na mesa além de linda exalava um perfume intrigante de capim limão e coentro, uma versão da sopa famosa que eu nunca tinha visto. Os camarões vieram por cima, grandes e com aspecto delicioso deixado pelo cozimento no vapor, e finalizada com delicadas folhinhas de coentro. Mesmo sem provar eu já estava feliz porque adoro ser surpreendida por receitas inusitadas, e também porque a apresentação estava deslumbrante.

 

Já contei pra vocês que eu sou apaixonada por comida thailandesa né? Então, ao olhar para o prato logo identifiquei esta forte influência na receita, e quando provei a minha felicidade apenas se completou, foi uma festa de sabores na minha boca. E não só o coentro e os camarões combinaram perfeitamente nela como também percebi imediatamente que o leite de coco havia sido utilizado em substituição ao creme de leite fresco. Eu adoro decifrar receitas quando vou a um restaurante e gosto do que provo…fico sentindo cada detalhe do prato para depois tentar reproduzir em casa. Não, não tive coragem de pedir a receita à chef, afinal em um hotel como aquele isto não soaria muito educado, enfim, pode ser bobagem, mas fiquei tímida.

 

Só sei que aquela sopa deslumbrante não saiu da minha cabeça, e assim que tive oportunidade de reunir todos os ingredientes corri para prepará-la. A dificuldade estava em encontrar o capim limão, também conhecido como capim cidreira, pois o que se usa na receita como na tradicional culinária thai é justamente o bulbo dele que fica debaixo da terra, próximo da raiz, e não é toda hora que se acha um pé de capim cidreira pela frente. No interior é sim bem mais fácil, mas por aqui geralmente só se encontra as folhas. Eu já cheguei a ver uma vez há anos atrás no empório Santa Luzia uma bandeja só de bulbos de capim limão, mas eu ainda era inocente naquela época e não via muita utilidade pra eles…hahahaha. Acabei encontrando um pé de cidreira na casa da minha avó e como ela havia recém colhido as folhas eu tratei logo de arrancar o que restou. Dá pena, porque arrancando o bulbo com a raiz capim não nasce mais, precisa plantar novamente, mas aqui eu aproveito para dar uma dica: use o ingrediente com consciência e não desperdice, pegue apenas o que irá usar ou use tudo o que colher. E plante novamente depois para ter sempre :)

 

A sopa? Ah sim, na minha opinião deu super certo e cheguei bem perto do resultado daquela que provei em Portugal, deu para matar a vontade, ficou mesmo deliciosa, só não posso dizer que ficou igual porque não sou tão boa cozinheira quando a chef portuguesa, e também porque fica difícil a comparação entre a minha sala de jantar e o restaurante com vista para o mar do Vila Galé. De todo o jeito viajar e conhecer novos sabores e combinações é maravilhoso, e poder relembrar destas experiências pelo paladar é a minha forma preferida de matar as saudades. Espero que vocês também provem esta receita e se deliciem com ela.

 

VICHYSSOISE THAI

(para 2 pessoas)

 

Ingredientes:

  • 4 batatas inglesas médias descascadas e cortadas em cubos
  • 2 talos de alho-poró fatiados (use a parte mais clara e reserve a verde para fazer um caldo de legumes caseiro)
  • 1 bulbo de capim limão bem limpo e fatiado
  • 1 litro de caldo de galinha (ou caldo de legumes)
  • 1/3 de xícara (chá) de leite de coco
  • 2 colheres (sopa) de coentro fresco picado
  • 1 fio de azeite
  • 8 camarões médios ou grandes e limpos (sem as cabeças e com os rabos)
  • suco e raspas da casca de 1/2 limão tahiti
  •  1 colher (chá) de sal grosso
  • 1 ramo de tomilho-limão fresco
  • pimenta branca em grãos
  • sal e pimenta-do-reino moída a gosto
  • folhinhas de coentro ou de salsa fresca para finalizar

 

Modo de Preparo: Aqueça o azeite em uma panela e acrescente o bulbo de capim limão fatiado, refogando por alguns minutos até que o aroma comece a subir. Acrescente o alho-poró, refogue por mais alguns minutos e depois junte as batatas e o caldo de galinha. Cozinhe até que as batatas estejam macias, e então adicione o leite de coco e cozinhe por 5 minutos. Ajuste o sal se precisar. Desligue, junte as folhas de coentro picadas e bata com um mixer. Se precisar adicione mais caldo de galinha para conseguir a consistência desejada para o creme, que não deve ser nem muito espesso e nem muito ralo.

 

Para o preparo dos camarões: Se tiver uma panela de cozinhar no vapor ok, mas se não tiver coloque os camarões sobre um escorredor de metal e apoie sobre uma panela com água. Aromatize a água com o suco de limão, as raspas, o tomilho-limão e o sal grosso. Tempere os camarões apenas com um pouquinho de sal e pimenta moída na hora. Somente depois que a água da panela ferver coloque o recipiente com os camarões por cima, tampe e cozinhe no vapor por 8 a 10 minutos, dependendo do tamanho dos camarões. Fique de olho, se os camarões forem pequenos eles cozinharão em menor tempo, não deixe passar. Quando estiverem prontos sirva sobre o creme. Eu gosto dele quente, ainda mais nesta versão thai que remete a pratos quentes, mas na França é comum servi-lo frio.

Vichyssoise thai_Figos e Funghis

Esta receita fica chiquérrima se for servida como entrada em um jantar ou em pequenos copinhos em um coquetel ou recepção em formato de finger food. Pode ter certeza que o sucesso está garantido. É deliciosa, original e ao mesmo tempo simples.

 

Ah, e aproveitem para ver a página especial do Figos & Funghis que está em destaque esta semana no PINTEREST, está lindíssima e cheia de receitas deliciosas!!! É só clicar AQUI!

 

Beijo!

 

Bolo Cremoso de Milho de Liquidificador

Postado em Bolos, Clássicos, Comfort Food, Comida de Fazenda, Comidinhas da Oli, Doces, Fácil, Gastronomia Funcional, No forno, Receitas Especiais (s/ Glúten/Lactose), Receitas Rápidas - 29 de junho de 2016

Bolo Cremoso de Milho de Liquificador capa_Blog Figos & Funghis

Um dos meus bolos preferidos é o bolo de milho, tanto que ele já passou algumas vezes por aqui, mas me dei conta de que esta versão com coco fresco e que fica bem cremosão por dentro, típica das festas juninas ainda não tinha sido publicada, apesar de ser a preferida do marido e eu fazer todos os anos quando começam a surgir as espigas fresquinhas e amarelinhas nas prateleiras do hortifruti. Esta receita é boa pra fazer com milho da espiga, pois o sabor é realmente diferenciado. Outra razão para eu amar esta receita é que ela é muito prática, pois todos os ingredientes são misturados direto no liquidificador! Quer coisa mais fácil que isso?!

 

Também gosto muito desta receita pelo fato de ela não ser exagerada no doce. Já vi muitas receitas que levam leite condensado misturado com açúcar (!!!), e outras que as quantidades de açúcar são absurdas. Eu não gosto de bolo muito doce, gosto de doce na medida certa, bem equilibrado e que torna possível sentir o sabor dos outros ingredientes, além do fato de que eu doso bastante o açúcar para a Olivia, e como tudo o que se faz em casa ela come você pode confiar que esta receita é o mais saudável possível e dar aos seus filhos também. Nesta receita aqui não vai leite condensado e vai açúcar na quantidade ideal para um bolo deste tamanho, e você pode usar açúcar demerara ou o açúcar cristal orgânico que foi o que eu usei aqui. O leite de coco você pode usar o de garrafinha, mas se tiver paciência para fazer o seu próprio leite de coco o resultado será ainda melhor. Concordo que em dias de correria fica complicado preparar, eu mesma quase não arranjo tempo para isso, então aqui eu usei o leite de coco comprado pronto mesmo. Esta receita também não contém glúten, porque utilizo farinha de milho, então se você ou seu filho tiver intolerância ao glúten pode consumir sem preocupação.

 

Gente, é sério, depois deste bolo você não vai querer mais nenhuma outra receita de bolo de milho, porque esta aqui é apenas perfeita (modesta né?! kkkk), mas é verdade, quando eu cheguei nesta versão aqui eu fiz vários testes com várias outras receitas que eu tinha (desculpa aí mãe!), mas fui aumentando uma coisinha daqui, diminuindo outra dali e agora esta é a minha receita de bolo de milho do coração, espero que se torne a sua também!

 

BOLO CREMOSO DE MILHO DE LIQUIDIFICADOR

(rende aproximadamente 12 fatias ou quadrados)

 

Ingredientes:

  • 3 espigas de milho verde (ou o conteúdo drenado de 1 lata ou caixinha)
  • 4 ovos
  • 1 xícara (chá) de leite de coco
  • 1/2 de xícara (chá) de leite (se usar leite vegetal ou zero lactose terá um bolo também sem lactose)
  • 3 colheres (sopa) cheias de óleo de coco ou manteiga em ponto de pomada
  • 1 xícara (chá) de açúcar
  • 1 xícara (chá) de mistura para polenta (farinha de milho pré-cozida)
  • 1 colher (sopa) de fermento químico em pó
  • 1 pitada de sal
  • 1 xícara (chá) de coco fresco ralado (ou coco desidratado deixado de molho em água morna por 20 minutos e depois drenado)
  • lascas de coco fresco para finalizar (opcional)

 

Bolo Cremoso de Milho de Liquificador 3_Blog Figos & Funghis

Modo de Preparo: Unte uma assadeira redonda – eu usei uma assadeira redonda de fundo removível – ou retangular com manteiga e depois polvilhe farinha de sua preferência (de trigo, de arroz, de milho ou de aveia). Preaqueça o forno a 200º. Com uma faca afiada retire os grãos de milho das espigas. No liquidificador coloque o leite de coco, o leite, o milho, os ovos, o açúcar, o sal, o óleo de coco (ou manteiga), o coco fresco ralado e a mistura para polenta e tampe. Bata até obter um creme homogêneo. Por fim junte o fermento químico em pó e bata rapidamente. Se quiser e estiver usando as lascas de coco misture-as com uma espátula à massa do liquidificador. O visual fica lindão. Despeje o creme na assadeira untada e enfarinhada e leve para assar por 30 minutos, ou até que a superfície esteja douradinha. Retire o bolo do forno, espere esfriar e desenforme.

Bolo Cremoso de Milho de Liquificador_Blog Figos & Funghis

Delicia demais né?!!! Eu amo esta época do ano porque além de ser época de milho de verdade é também a época das festas juninas e suas deliciosas comidinhas típicas! :)

 

Veja mais esta receita de bolo de milho:

Bolo de Milho e Coco com Calda Quente de Goiabada

 

Se fizer volta aqui e me conta, combinado?!

 

Beijo!

 

Waffles de Batata – facílimo e delicioso!

Postado em Comfort Food, Comidinhas, Comidinhas da Oli, Dicas, Fácil, Massas e Pizzas, Receitas de 30 minutos, Receitas Rápidas, Sanduíches - 22 de junho de 2016

Waffles de batata1_Figos e Funghis

Depois que a Olivia nasceu – e principalmente agora que ela está com 2 anos e super interagindo – eu descobri porque minha mãe gostava tanto de me carregar para a cozinha desde bem pequena. É porque é uma delicia testemunhar a descoberta de uma criança pela “mágica” que acontece com a comida. Como é que o ovo vira omelete? Como é que a batata vira bolinho? Por que arroz cru não é gostoso? Entre tantas outras indagações eu me pego encantada quando percebo os olhinhos da Olivia brilhando ao me assistir em ação na cozinha. Pra ela tudo não passa de uma grande brincadeira ainda, mas já mostra que tem fascínio pelos barulhinhos, pelo cheiro, pelas cores e principalmente pelos apetrechos da minha cozinha. Com a máquina de waffle foi assim, na verdade eu a comprei porque a Olivia ganhou no último aniversário um kit de massinhas com todos os apetrechos para fazer waffles coloridos e não desgrudava mais dele, até que um dia ela quis comer os waffles de massinha e chorou compulsivamente quando eu lhe expliquei que massinha não era comestível. Quem tem criança em casa sabe como temos que nos esforçar no “blá blá blá” né?!

 

Aí eu pensei: se a Olivia ficou tão entusiasmada com a máquina de waffles de brincar, imagine então como ela reagiria diante de uma máquina de fazer waffles de verdade?! Depois de uma breve pesquisa no google encontrei uma máquina pequena, compacta, com ótimo preço e ainda por cima vermelha! Vermelho combina com a minha cozinha e ainda causa aquela sensação lúdica. A máquina chegou e o sucesso foi certo. Já preparamos waffles clássicos, waffles doces e um zilhão de sanduichinhos que viraram waffle kkkkk. Aliás, esta foi a melhor aquisição dos últimos tempos lá em casa – sem jabá gente, não estou nem mostrando a marca ok?! – porque além da função original ela virou a nossa sanduicheira oficial. Os sanduíches ficam super crocantes por fora e macios por dentro, um crime! Bem, depois de alguns testes com a traquitana eu resolvi testar fazer waffle de batata, inspirada em um bem gordão que eu vi em um blog gringo, mas aí pra consciência não pesar muito eu dei uma boa modificada na receita e saiu este aqui, que modéstia à parte ficou de matar!!! E tem outra coisa legal nesta receita: Se você tiver um pouco de purê de batatas sobrando na geladeira (como foi meu caso) já está com meio caminho andado. Só sei que comemos, comemos e recomemos os waffles por dois dias, porque a massa rende que é uma beleza! hahahaha

 

WAFFLE DE BATATA INCRIVELMENTE GOSTOSO

(rende 8 waffles)

 

Ingredientes:

  • 3 xícaras (chá) de purê de batatas (não pode ser muito mole, tem que ser firme) / ou 3 batatas grandes cozidas e amassadas
  • 2 ovos
  • 1 xícara (chá) de farinha de trigo
  • 1 colher (chá) de fermento químico em pó
  • 1 colher (chá) de bicarbonato de sódio
  • 2 colheres (sopa) de azeite ou óleo de girassol
  • 3 colheres (sopa) de creme de ricota light
  • 1 pote de iogurte natural firme (gosto de usar o iogurte grego)
  • 1 xícara (chá) de queijo ralado (usei queijo da canastra, mas pode ser parmesão, mussarela ou prato)
  • 2 colheres (sopa) de ciboulette (aquela cebolinha francesa fininha) ou cebolinha comum bem picada
  • pimenta moída e sal a gosto

 

Waffles de batata_Blog Figos e Funghis

Modo de Preparo: Em uma tigela grande junte todos os ingredientes de uma só vez e misture até obter uma massa homogênea. Leve para gelar por 20 minutos (ou mais se puder) coberta com filme plástico para dar uma firmada na massa. Ligue a máquina de waffle e espere esquentar.

Colocando a massa na máquina

Coloque então porções da massa nas quatro partes da forma e espalhe em círculo, deixando algum espaço para a massa se espalhar quando fechar a máquina, se não vai escorrer mesmo. Feche a máquina e deixe por 8 minutos, sem abrir neste meio tempo, se não sua massa vai grudar na parte de cima e se desmanchar toda. Depois abra para dar uma espiadinha e deixe dourar até o ponto desejado. Pra mim 15 minutos no total para cada waffle fica no ponto ideal, com uma casquinha crocante e cremosinha na parte de dentro. Sirva bem quentinha com manteiga, requeijão, cream cheese, ou faça um iogurte temperado com azeite, sal e mais ciboulette.

Waffles de batata2_Figos e Funghis

 

É um absurdo, uma delicia!

 

Se fizer volta aqui e me conta tá?!

 

Beijo!

 

Tudo o que você precisa saber para preparar o risoto perfeito! E a receita de um delicioso risoto de abóbora!

Postado em Arroz, Clássicos, Comfort Food, Dicas, Pratos Principais, Receitas Italianas, Risotos - 07 de junho de 2016

Risoto de Abóbora com Ragu de Fraldinha_Blog Figos e Funghis

Eu não sei você, mas eu não resisto a um bom risoto, daquele bem cremoso, com o grão no ponto correto e com um sabor amanteigado e intenso. Este que eu acabei de descrever é o meu ideal de risoto perfeito, e acredite, não é tão fácil assim alcançar a perfeição de um risoto, não se deixe enganar pela simplicidade da receita, mas garanto que se você se dedicar e seguir direitinho todos os passos (e os truques) que eu vou dar hoje o seu risoto vai sair lindo e gostosão. A boa notícia é que apesar de exigir um pouquinho de técnica para sair perfeito, o risoto é um prato bem rápido de preparar, e depois que você pegar o jeito vai ser uma praticidade só!

 

Outro dia, falando sobre risotos com o Carlos Bertolazzi ele disse: Risoto tem que abrir no prato, quando não abre no prato não é risoto! E é bem isso mesmo, o bom risoto deve ter um caldo puxando para o cremoso bem abundante, mesmo quando você desligar a panela. Muitas pessoas dizem que o risoto estará pronto quando o caldo secar, mas isto é um erro porque com a temperatura da panela o arroz vai continuar cozinhando e o caldo secando mesmo depois de desligar o fogo. Assim, se você desligar o fogo ainda com uma boa sobra de caldo ele permanecerá úmido e cremoso, e “abrirá” quando for colocado no prato em vez de ficar aquela bola dura e estática no meio do prato como se fosse arroz de sushi requentado…kkkkk. Então já sabe, chegou no restaurante e o seu risoto veio duro em formato de “montinho” não é risoto, é “mixidão de arroz” (maldade). Anote esta primeira regra de ouro: 1) O bom risoto é aquele úmido, que abre no prato ;)

 

Em se tratando de risoto é absolutamente indispensável utilizar arrozes próprios para este tipo de prato, e os mais encontrados por aqui são o arbório, o vianole nano e o carnarolli. Sem eles a receita não será um risoto (e a decepção de pedir um risoto no restaurante e chegar um mixidão com arroz branco amanhecido?!). Outro ponto indispensável na minha opinião é caprichar no sabor intenso do caldo, além de mantê-lo bem quente durante todo o preparo do risoto, pois é nele que o arroz irá cozinhar, então é fácil concluir que quanto mais gostoso e caprichado for o seu caldo melhor será o seu risoto. Aqui vale à pena aquele dedinho a mais de dedicação. O melhor dos mundos seria preparar o caldo caseiro, mas eu sei que muitas vezes simplesmente não rola, não dá tempo, falta ingrediente, demora mais, enfim. Se este for o seu caso relaxe, acontece nas melhores famílias. Mas se você estiver determinado a preparar seu próprio caldo eu tenho uma receitinha basiquérrima que dá super certo e fica pronta em 15 minutos. Em uma caneca coloque 1 litro de água para ferver. Junte 1/2 cebola com um dente de cravo espetado, 1 talo de alho poró cortado em pedaços grandes, 1 cenoura descascada e cortada em pedaços, 1 ramo de cheiro verde, 1 pitada de pimenta moída, 1 colher (café) de sal.

 

Com as regras básicas na cabeça agora resta escolher o sabor do seu risoto e definir se ele terá algum acompanhamento. Eu, por exemplo não costumo colocar carne no risoto se eu quero servi-lo acompanhado de outra carne. Pra mim no mundo dos risotos menos é mais, gosto de fazer risotos com sabores concentrados em um ou dois ingredientes de destaque. É claro que às vezes rola aquele risoto meio ogro, com vários ingredientes como o de linguiça calabresa com pimenta biquinho que já passou por aqui há anos atrás e o de mignon com cerveja preta e mini cebolas caramelizadas, que são incrivelmente saborosos. No caso deste risoto aqui eu escolhi fazer só de abóbora e decidi acompanhar com um ragu de fraldinha que eu preparei na panela de pressão em menos de meia hora. A combinação ficou perfeita, certamente vou repetir outras vezes. Olivia comeu até se fartar (ela ama risoto!), e até repetiu! Mas a regra geral é que risotos mais básicos são mais fáceis de combinar e vão bem com peixes, aves e carnes, porque são mais neutros.

Risoto de Abóbora com Ragu de Fraldinha3_Blog Figos e Funghis

 

RISOTO DE ABÓBORA COM RAGU DE FRALDINHA

(serve 4 pessoas)

 

Ingredientes:

  • 1 xícara (chá) de arroz para risoto (arbório, vialone nano, ou carnarolli)
  • 2 xícaras (chá) de abóbora japonesa cozida e amassada
  • 1/2 xícaara (chá) da água do cozimento da abóbora
  • 1/2 cebola descascada picada
  • 1 folha de louro
  • 2 colheres (sopa) de manteiga
  • 1 colher (sopa) de azeite
  • 1/2 xícara (chá) de vinho branco seco
  • pimenta moída a gosto
  • sal a gosto
  • 1 litro de caldo de legumes

 

Modo de Preparo do Risoto: Depois de cozinhar a abóbora amasse-a junto com a água do cozimento (1/2 xícara) e reserve. Mantenha o caldo bem quente durante todo o preparo do risoto, em uma boca do fogão ao lado da panela do risoto. Em uma frigideira grande e funda (gosto de usar uma wok com cabo para preparar meus risotos) aqueça a manteiga junto com o azeite em fogo alto e refogue a cebola até começar a fritar. Junte o arroz e toste um pouco, mexendo até que todos os grãos estejam recobertos pela mistura de manteiga e azeite. Mantenha o fogo alto ainda. Adicione o vinho branco e deixe o álcool evaporar e o vinho reduzir. Quando o vinho reduzir adicione a folha de louro e comece a adicionar o caldo, uma concha por vez, e mexendo o risoto a cada nova adição do caldo. Quando o arroz começar a cozinhar junte o purê de abóbora. Continue regando com o caldo de legumes bem quente (quase fervendo) e não pare de  mexer o risoto ainda em fogo alto, até que os grãos de arroz estejam al dente, ou seja, ainda um pouco durinhos no centro. Acrescente uma última concha de caldo, mexa novamente e desligue a panela. Acrescente 1 colher de sopa de manteiga gelada e misture delicadamente ao risoto (isto serve para dar brilho e deixar o arroz ainda mais cremoso). Sirva em seguida com queijo ralado na hora, e o acompanhamento de escolher.

 

Ingredientes do Ragu:

  • 500g de fraldinha bem limpa cortada em cubos
  • 1 cebola picada
  • 2 dentes de alho picados
  • 250ml de cerveja escura
  • 1/2 xícara (chá) de suco de tomate (ou molho puro)
  • 1 colher (sopa) de óleo de girassol
  • sal e pimenta a gosto
  • salsa fresca para finalizar

 

Modo de Preparo do Ragu: Na panela de pressão coloque o óleo para esquentar e refogue a cebola, e depois o alho. Junte os cubos de carne e deixe selar de todos os lados. Regue com a cerveja escura, com o suco de tomate e tempere com pimenta e sal. Feche a panela e deixe cozinhar em fogo alto até pegar pressão, aí reduza para o fogo médio, conte 30 minutos e desligue. Sirva sobre o risoto e finalize com salsa fresca.

 

Risoto de Abóbora com Ragu de Fraldinha2_Blog Figos e Funghis

 

Espero que as dicas tenham sido úteis, e se fizer já sabe, volta aqui pra me contar!

 

Estou também no Instagram, no Facebook, no Twitter e no SNAPCHAT (essa rede social complicadinha no começo mas muito divertida porque você pode acompanhar tudo em vídeo e praticamente em tempo real!)

 

Beijo, beijo!

 

Pudim de Chia com coco, damasco e nozes

Postado em Comfort Food, Comidinhas, Comidinhas da Oli, Doces, Fácil, Frutas, Gastronomia Funcional, Light, Receitas Especiais (s/ Glúten/Lactose), Sobremesas - 25 de maio de 2016

Pudim de chia web_Blog Figos & Funghis

Oi gente, tudo bem?! Hoje eu trouxe para dividir com vocês uma receitinha muito fácil e muito deliciosa também, que faz parte da rotina daqui de casa, quase sempre no café da manhã, por ser ao mesmo tempo saudável e saborosa. O pudim de chia é super nutritivo e o mais bacana desta receita é que você pode sempre manter a mesma base e mudar as frutas colocando o que mais gostar. Aqui todos amamos, inclusive a Olivia que não dispensa uma comidinha diferente, ela ama comer e come de tudo (amém!).

 

Antes desta versão eu sempre via receitas de pudim de chia preparado com leite de coco, mas quando fazia achava pesado, com sabor muito forte, até que resolvi usar água de coco e iogurte grego em vez de leite de coco, achei que o sabor do iogurte seria mais agradável e mais neutro do que o leite de coco. Aí que eu fiquei mega feliz quando descobri depois de tirar o “docinho” da geladeira que o pudim tinha a consistência que eu queria, e depois de provar achei honestamente esta versão mil vezes melhor do que a versão com leite de coco. Estou querendo provar com algum leite vegetal, de amêndoas talvez, acho que vai ficar bom!

 

Bem, o importante é testar a receitinha e curtir um pudim geladinho de chia no café da manhã, como lanchinho pra levar no trabalho e até mesmo como sobremesa de um jantar com pegada mais light ;) Quem fizer vem aqui e me conta, por favor??!!

 

PUDIM DE CHIA COM COCO, DAMASCO E NOZES

(rende 4 porções)

 

Ingredientes:

  • 1 xícara (chá) de iogurte grego sem açúcar
  • 1/2 xícara (chá) de água de coco
  • 4 colheres (sopa) de coco ralado (de preferência fresco)
  • 3 colheres (sopa) de néctar de agave ou mel
  • 4 colheres (sopa) de chia
  • 1 colher (sopa) de farelo de aveia (ou flocos de quinoa para uma versão sem glúten)
  • 3 colheres (sopa) de nozes picadas
  • 8 damascos picados
  • coco ralado e nozes para finalizar

 

Modo de preparo: Coloque as nozes e os damascos picados separadamente de molho em água fria filtrada. Em uma tigela misture o iogurte com o mel e a água de coco e bata com um fouet até obter uma consistência cremosa, homogênea e leve, quase aerada. Adicione o coco ralado, as sementes de chia, a quinua em flocos (ou farelo de aveia) e misture delicadamente. Escorra as nozes e os damascos e seque levemente com papel toalha. Distribua no fundo de 4 potes e preencha a parte de cima com a mistura de chia com iogurte.  Finalize polvilhando um pouco de coco ralado e uma noz inteira em cada pote. Feche com a tampa se estiver usando pote que tenha uma, ou cubra com filme plástico. Leve para gelar por ao menos 3 horas e sirva gelado. Delicinha viciante <3

 

Bom Apetite :)

 

Pudim de Chia web2_Blog Figos & Funghis

 

Já sabem né? Tô lá no Instagram (@figosefunghis), no SNAPCHAT (Fabi Pinfildi) e no Facebook (/figosefunghis). Acompanhem!

 

Baião de Dois – uma delicia brasileiríssima

Postado em Arroz, Clássicos, Comfort Food, Pratos Principais - 11 de maio de 2016

Baião de Dois_ Blog Figos e Funghis

Se tem uma receita brasileiríssima que eu amo de paixão é o Baião de Dois! Eu simplesmente não resisto quando encontro um pela frente! Outro dia dando um passeio pela TV vi um trecho do programa da Rita Lobo em que ela preparava o prato, e fiquei babando. Óbvio que depois daquelas cenas eu precisava fazer o baião de dois para matar a vontade.

 

É claro que não posso deixar de ressaltar que além de delicioso o baião de dois pode ser também o rei da praticidade e do reaproveitamento, pois se você já tiver arroz e feijão prontos na geladeira mais da metade da sua receita já está garantida! Por outro lado, se você quiser preparar tudo do zero terá um pouquinho de trabalho, não posso mentir, mas nada que a delicia do resultado final não compense…

 

Para preparar a receita eu usei algumas dicas da Rita Lobo, como a de fritar os cubinhos de queijo coalho até ficarem crocantes e a de cozinhar o arroz no caldo em que se cozinhou o feijão, mas dei uma adaptada nos temperos e em outros detalhezinhos já que eu não me seguro e nunca consigo seguir uma receita à risca, até porque nunca anoto nada. Eu já tinha feito baião de dois antes, mas usei uma receita da minha avó que levava também linguiça e torresmo, talvez seja uma invenção dela já que nunca vi em lugar nenhum colocar linguiça no baião. Dessa vez fiz o prato da maneira mais light possível. Bem, o que você precisa saber antes de preparar a receita é que ela não é uma bomba calórica, é bem nutritiva mas sem exageros. Você sempre poderá optar por usar arroz integral ou multigrãos em lugar do arroz branco, e sempre poderá abrir mão do queijo coalho crocante, o que garantirá um resultado ainda mais skinny ;) kkkk

Baião de Dois 2_Blog Figos e Funghis

BAIÃO DE DOIS

(serve 4 pessoas)

 

Ingredientes:

  • 1 xícara (chá) de arroz branco cru
  • 1 e 1/2 xícara (chá) de feijão fradinho cru
  • 400g de carne seca já dessalgada, cozida e desfiada**
  • 1 cebola pequena bem picada
  • 2 dentes de alho bem picados
  • 1 dente de alho inteiro
  • 2 folhas de louro
  • 1/2 xícara (chá) de salsinha fresca picada
  • 2 colheres (sopa) de coentro fresco bem picado
  • 2 colheres (sopa) bem cheias de manteiga ghee
  • 1 fio de azeite
  • pimenta e sal a gosto
  • 2 palitos de queijo coalho para finalizar

 

Modo de Preparo: Coloque o feijão em uma panela de pressão e cubra com o triplo da quantidade de água. Junte o dente de alho inteiro descascado, um pouco de sal e as folhas de louro. Coloque no fogo alto e quanto a panela pegar pressão reduza um pouco a chama e deixe cozinhar por apenas 15 minutos, então desligue, escorra imediatamente (se continuarem na água quente continuarão cozinhando e ficarão moles, o que para o baião não é legal) e reserve os grãos separadamente do caldo. Refogue em uma panela a cebola e o alho picado em um fio de azeite e assim que a cebola ficar transparente junte o arroz cru e frite por uns 2 minutos. Tempere como de costume e cozinhe no caldo do feijão, se precisar adicione água até atingir a medida do dobro de água para a quantidade de arroz cru utilizado. Cozinhe em fogo alto até ferver e depois em panela semi tampada em fogo reduzido até que os grãos estejam bem soltinhos e cozidos. (dica: se você não quiser errar de jeito nenhum um truque é usar o arroz parbolizado). Com o arroz e o feijão já prontos e reservados pique o queijo coalho em cubos médios e aqueça a manteiga ghee numa panela grande (de preferência uma panela do tipo wok ou frigideira grande). Frite os cubos de queijo coalho na manteiga ghee até que estejam crocantes e dourados. Escorra em papal absorvente e refogue a carne seca já cozida e desfiada nesta mesma panela. Em seguida junte metade da salsinha, o arroz e os grãos de feijão. Misture tudo muito bem e deixe aquecer bem em fogo alto, mexendo sempre para não queimar no fundo. Desligue o fogo, acrescente a salsinha restante e o coentro e se quiser regue com um fio de azeite, antes de misturar tudo novamente. Sirva com os cubinhos de queijo coalho por cima e acompanhe com couve ao alho e óleo. Bom demais!!!

Baião de Dois 3_Blog Figos e Funghis

E aí, gostou da receita? Comente e compartilhe com os amigos!

 

Acompanhem também as novidades do blog e um pouco do meu dia a dia pelo Instagram! Espero vocês lá: @figosefunghis

 

Também estou no SNAPCHAT, no PINTEREST, no FACEBOOK e no Twitter ;)

 

Beijos,

Fabi

Bolinho de Arroz sem Glúten – facílimo de fazer!

Postado em Arroz, Clássicos, Comfort Food, Comidinhas, Dicas, Entradas, Fácil, Gastronomia Funcional, Petiscos, Receitas de 30 minutos, Receitas Especiais (s/ Glúten/Lactose), Receitas Rápidas, Vegetarianas - 18 de abril de 2016

Bolinhos de Arroz sem Gluten_F&F

Eu sou simplesmente apaixonada por bolinho de arroz desde que me entendo por gente. Bom, na verdade eu sou apaixonada por arroz, qualquer um deles, e quando tenho a possibilidade de transformar aquele arroz simples que sobrou na geladeira em deliciosos bolinhos crocantes por fora e macios por dentro eu não desperdiço não!

 

Por outro lado, como vocês bem sabem eu não tenho o hábito de fazer frituras em casa, e sempre que posso adapto a receita para prepará-la no forno, mas como tudo na vida tem suas exceções dessa vez eu me rendi ao pedido dos amigos durante o feriado de Páscoa que passamos juntos e preparei os bolinhos fritos mesmo, mas sem peso na consciência, porque se eu vou sair da rotina e dar uma pisadinha na jaca acredito que preciso no mínimo ter prazer com isso! Bolinhos de arroz estão entre as únicas 5 receitas que eu não resisto preparadas fritas. Feriado na praia entre amigos e uma cozinha super equipada foram motivos suficientes para que eu me enfiasse na cozinha (por sorte tínhamos uma ajudante na casa e tenho 2 amigos na turma que também gostam de cozinhar. Sim, homens, a mulherada por ali não curte muito pilotar um fogão…kkkk), e numa dessas aventuras decidi preparar os bolinhos de arroz para petiscarmos antes do almoço, mas quando já estava preparando a massa descobri que tínhamos apenas farinha de mandioca na despensa, e nenhuma outra alternativa, se não dirigir até o mercado mais próximo, pegar 1 hora de fila para passar a compra, mas esta de fato não era uma alternativa, se não os bolinhos para petisco virariam bolinhos para o café da tarde. Resolvi arriscar e fui de farinha de mandioca mesmo, e não é que o resultado foi incrível?! Gente, vocês não acreditam que delicia, os bolinhos preparados com farinha de mandioca demoram um pouco mais para fritar e formam uma camada de espuma na superfície enquanto fritam, mas quando ficam prontos ficam leves, crocantes por fora e macios por dentro, muito saborosos e por não ter glúten mesmo sendo fritos não deixam o estômago pesado. Eu amei, os amigos amaram e agora em casa só vai ter bolinho de arroz sem glúten. Adoro quando os imprevistos proporcionam descobertas :)

 

Da próxima vez que fizer vou tentar deixar a massa mais consistente para fazer no forno, mas aí é uma outra experiência que eu venho contar pra vocês depois. E me desculpem pela foto – a única – que tirei dos bolinhos prontos. Eles acabaram tão rápido que não consegui fazer mais nada a não ser salvar alguns para não ficar sem…hahahaha.

 

 

RECEITA DE BOLINHO DE ARROZ SEM GLÚTEN 

(rende aproximadamente 25 unidades)

 

Ingredientes:

  • 4 xícaras (chá) de arroz branco pronto
  • 4 ovos
  • 2/3 de xícara (chá) de farinha de mandioca fina
  • 1 tomate sem sementes bem picado
  • ½ cebola bem picada
  • 1 dente de alho triturado ou ralado
  • ½ xícara (chá) de cheiro verde picado
  • 150g de queijo parmesão ralado (se quiser os bolinhos sem lactose use queijo sem lactose, mas use um bem firme)
  • 1 fio de azeite
  • Pimenta e sal a gosto
  • Óleo de girassol para fritar (ou outro de sua preferência)

 

Modo de Preparo: em uma tigela coloque o arroz, faça um buraco no meio e quebre todos os ovos. Depois junte o cheiro verde picado, o queijo parmesão, a cebola, o tomate, o alho, o azeite e misture novamente. Adicione pimenta a gosto (ou pimenta fresca picada ou pimenta seca moída), sal se achar necessário e misture novamente. Por fim adicione aos poucos a farinha de mandioca até dar liga, talvez precise de mais farinha, talvez de menos farinha, depende do tamanho dos ovos que estiver usando. Coloque óleo suficiente na panela para fritar todos os bolinhos (para esta quantidade da receita usei 1 litro) e deixe aquecer bem, até fazer o teste do palito de fósforo e ele acender no óleo (ou então coloque apenas uma pontinha da massa no óleo, se borbulhar rapidamente é porque está no ponto certo). Com a ajuda de duas colheres de sopa – coloque uma porção em uma colher e aperte com a outra, modele os bolinhos e vá colocando no óleo. Frite dos dois lados até dourar (forma um pouco de espuma por cima dos bolinhos por causa da farinha de mandioca, mas é normal), depois escorra o máximo que conseguir de gordura em papel absorvente e sirva com salsinha fresca picada por cima.

 

Dicas:

1) A proporção sempre será de 1 xícara de arroz para 1 ovo se quiser fazer mais ou menos bolinhos.

2) Você também pode picar ou ralar outros tipos de queijo e misturar na massa, ou até mesmo rechear com cubinhos de queijo. Para preparar uma versão sem lactose basta substituir o queijo parmesão por um queijo sem lactose de massa firme.

 

Bom Apetite!

 

Shepherd’s Pie ou Cottage Pie

Postado em Carnes, Clássicos, Comfort Food, Cozinhando para os Pequenos, Fácil, Inverno, No forno, Pratos Principais, Tortas - 22 de março de 2016

Sheperd Pie_Blog Figos e Funghis

A Shepherd’s Pie é uma receita típica da culinária inglesa e é bem parecida com o nosso tradicional escondidinho. A diferença é que o escondidinho leva uma cobertura de queijo (geralmente o queijo coalho) , além de ser preparado com carne seca. Já a Shepherd’s é preparada com uma base de carne de carneiro moída e a Cottage Pie com carne bovina. A receita voltou a ser comentada recentemente quando a banda Rolling Stones esteve fazendo shows aqui no Brasil, já que seu pianista Keith Richards é alucinado pelo prato e pediu que fosse preparada uma porção para seu “lanchinho” no camarim. Pronto, foi o suficiente para que a imprensa toda falasse da tal receita, e foi suficiente também para que eu ficasse com vontade dela…hahahah.

 

Como em casa todos amamos qualquer versão de escondidinho resolvi preparar a Shepherd’s Pie do jeito que nós gostamos, mas no meu caso foi uma “Cottage Pie” porque usei carne bovina mesmo. Fiz um purê de batatas bem cremosão e delicioso para cobrir a carne e antes de levar para gratinar polvilhei um pouquinho de nada de queijo parmesão, só para ficar com este aspecto “chamuscado” mesmo na cobertura. Se você quiser também pode dar este mesmo efeito com o maçarico culinário, depois que a tortinha sair do forno. É coisa rápida, nada de ficar gastando o gás em cima da comida ok?! Fiz em mini refratários individuais e todos amaram. Comidinha simples, gostosa, caseira e sem frescuras. Quem não ia gostar né?!

 

RECEITA DE SHEPHERD’S PIE

(para 4 pessoas)

 

Ingredientes:

  • 800g de carne moída magra (ou de carneiro ou de boi)
  • 2 cenouras descascadas e cortadas em cubinhos
  • 2 xícaras (chá) de vagens bem lavadas e picadas
  • 1 cebola bem picada
  • 2 dentes de alho bem picados
  • 1 colher (sopa) de azeite
  • 4 batatas médias cozidas
  • 1/2 xícara (chá) de leite morno
  • 1 colher (sopa) de manteiga
  • pimenta e sal a gosto
  • queijo parmesão ralado fino para finalizar

 

Modo de Preparo: Aqueça o azeite numa frigideira e refogue a cebola com metade do alho. Junte a carne moída, a cenoura e a vagem e tempere com pimenta e sal. Cozinhe por aproximadamente 5 minutos com a panela tampada. Pré aqueça o forno a 190º. Enquanto isso descasque e amasse as batatas cozidas (que ainda devem estar bem quentes) e imediatamente junte o leite morno, a manteiga, o sal a gosto e mexa vigorosamente para tirar todos os grumos e deixar bem cremoso o purê. Transfira a carne refogada para um refratário, cubra com o purê de batatas, polvilhe o parmesão ralado fino e leve ao forno por 20 minutos. Sirva em seguida, bem quentinha.

Sheperd Pie2_Blog Figos e Funghis

Bom Apetite!

 

 

Bacalhau na Broa

Postado em Bacalhau, Comfort Food, No forno, Peixe, Pratos Principais - 16 de março de 2016

Bacalhau na Broa_blog Figos e Funghis

Quando estive em Portugal em Novembro provei pela primeira vez a famosa receita portuguesa de Bacalhau na Broa, e fiquei tão apaixonada pelo prato que fiz o que sempre faço quando gosto de algo que como fora de casa. Passei a tentar decifrar a receita toda, degustando lentamente cada garfada e tentando identificar os ingredientes. Aproveitei para postar a foto do prato que estava provando lá no meu perfil Instagram (@figosefunghis) e alguns leitores me pediram a receita. Bem, a receita eu não tinha, mas eu também queria muito descobrir. Até que esses dias eu decidi fazer o teste. A broa é um pão de milho, e geralmente seu formato é bem semelhante ao do pão italiano, mas é super difícil de encontrar broa de milho redondinha por aqui e de casca dura, como as que eles servem por lá, a não ser que você conheça uma padoca amiga do peito que faça por encomenda. Como este não é meu caso (ah, que saudade do interior nessas horas) eu acabei usando um pão italiano mini para fazer o meu “bacalhau na (não) broa” hahahaha.

 

A receita que provei tinha batatas amassadas em meio à lascas de bacalhau, creme de leite fresco e um pouco de espinafre, vinha dentro da broa e com uma crosta crocante feita com a mesma, esfarelada. O tempero era muito equilibrado e totalmente delicioso, inesquecível de fato (como quase tudo o que comi em Portugal). Mas a minha versão eu fiz com batata-doce em cubinhos (questão de preferência mesmo) em vez de batatas inglesas amassadas em meio ao creme. Também coloquei bastante espinafre picado e como já expliquei antes, a broa foi substituída pelo pão italiano. Mas o espírito da receita é este, combinado?!

 

Olha, #pelamor , só digo uma coisa: faça, faça, faça! Que receita deliciosa, cremosinha, reconfortante e ainda por cima com uma apresentação linda e fofa! Como resistir?!

 

BACALHAU NA BROA

(Serve 4 pessoas)

 

Ingredientes:

  • 500g de bacalhau em lascas, dessalgado
  • 1 batata doce grande, descascada e cortada em cubos pequenos
  • 1 xícara (chá) de folhas de espinafre lavadas e picadas
  • 1 de xícara (chá) de creme de leite fresco
  • 1/3 de xícara (chá) de leite
  • 2 folhas de louro
  • 1 colher (sopa) de manteiga
  • 1 colher (sopa) de azeite
  • 1 cebola pequena bem picada
  • 1 dente de alho espremido
  • pimenta-do-reino e sal a gosto
  • 4 mini pães de casca dura e redondos (pão italiano ou broa de milho, por exemplo)

 

Modo de Preparo: recorte uma “tampa” na parte superior dos pães, retire uma boa parte do miolo tomando cuidado para não rasgar ou perfurar a casca e reserve. Pegue um pouco do miolo, esfarele e coloque em uma tigela. Regue com um fio de azeite e misture bem, em seguida reserve para finalizar o prato. Leve os cubos de batata-doce para cozinhar em água fervente com sal até que fiquem bem macias. Escorra e reserve. Aqueça o azeite e a manteiga e refogue a cebola com o alho e as folhas de louro juntos, sem deixar dourar. Junte as lascas de bacalhau já dessalgadas e refogue por alguns minutos. Adicione o leite, o creme de leite, a pimenta e o sal. Tampe a panela e deixe cozinhar em fogo médio, até o creme ferver. Junte os cubos de batata-doce bem cozidos, o espinafre picado e deixe cozinhar por mais 5 minutos, mexendo algumas vezes e cuidando para o creme não secar.  Desligue, deixe esfriar um pouco e recheie os pães cujos miolos foram retirados. Cubra com o farelo regado com azeite, ajeite sobre uma assadeira (com as respectivas “tampas”) e leve ao forno preaquecido a 190º por 20 minutos, ou até que a crosta esteja dourada e crocante. Sirva bem quente e de preferência com um vinho bem gostoso!

 

Bacalhau na Broa 2_Blog Figos e Funghis

Para ver mais RECEITAS COM BACALHAU acesse este link>>>>>> AQUI!

 

Bom Apetite!

Curry de couve-flor

Postado em Comfort Food, Comida Indiana, Fácil, Pratos Principais, Receitas de 30 minutos, Receitas Rápidas, Vegetarianas - 24 de fevereiro de 2016

Curry de couve-flor2_F&F

Aqui em casa nós amamos uma comidinha vegetariana, principalmente quando queremos um jantar mais levinho durante a semana. Bem, na verdade nós amamos comer, seja a receita vegetariana ou não, mas numa dessas segundas sem carne eu resolvi usar a couve-flor que eu tinha na geladeira e tive a ideia de preparar um curry vegetariano. A receita foi um sucesso, e além de lindo o curry ficou absurdamente bom!

 

O bom das receitinhas vegetarianas é que são gostosas, mas em geral também são mais rápidas de preparar justamente por não terem carne. Para quem ama couve-flor (eu!) esta receita é um verdadeiro deleite, super bem temperada e aromática, não tem nem como sentir falta da carne. Uma comidinha vegetariana assim tão vibrante, bonita e cheia de cor é irresistível!

Curry de couve-flor3_F&F

 

CURRY VEGETARIANO DE COUVE-FLOR

(para 2 pessoas)

 

Ingredientes:

  • 1 pé de couve-flor pequeno, separado em floretes e bem lavado
  • 1/2 garrafinha de leite de coco
  • 1/2 xícara (chá) de água quente
  • 1 colher (chá) de curry em pó
  • 1 colher (chá) de açafrão da terra em pó
  • 1/2 cebola bem picada
  • 1 dente de alho triturado
  • 1 colher (sopa) de azeite
  • 1 xícara (chá) de grão-de-bico cozido al dente
  • 2 colheres (sopa) de castanha de caju ou nozes picadas
  • 1 pitada de mostarda em grãos
  • sal a gosto
  • folhas de coentro fresco (ou salsinha se preferir)

 

Modo de Preparo: Aqueça rapidamente o azeite e refogue nele a cebola e o alho. Junte o curry, o açafrão e os grãos de mostarda e deixe dar uma aquecida. Em seguida acrescente o leite de coco, a água quente e mexa bem. Junte os floretes de couve-flor, ajuste o sal e deixe cozinhar por apenas 10 minutos em fogo médio com a panela tampada. Nos 3 minutos finais junte o grão-de-bico já cozido. No momento de servir finalize com as castanhas (ou nozes), com as folhas de coentro fresco e está pronto! Para acompanhar eu preparei arroz integral vermelho, que pode ser facilmente encontrado em lojas de produtos naturais, mas você pode servir com arroz branco, arroz 7 grãos ou até mesmo com uma massa de sua preferência.

 

Curry de couve-flor_F&F

E então? Quero saber o que vocês acharam da receita! Conta aqui pra mim se fizer?!

 

Bom Apetite!