Chalotas, o que são elas afinal?

domingo, 30 de maio de 2010

Todos que já assistiram a algum programa de receitas americano deve ficar sempre se perguntando porque eles amam tanto essas tais chalotas, e…ah, o que elas são exatamente? Li uma vez em um livro que as chalotas ou échalotes são bem parecidas com a cebola no sabor, só que bem mais suaves, e por isso são ideais para o preparo de molhos mais delicados ou receitas em que não se deseje o destaque da cebola. A chalota agrega sabor sem roubar a cena toda, e por ser tão delicada os franceses adoram utilizá-la em suas receitas. Como sou muito curiosa e persistente não me contentei, eu não me conformava em acreditar que simplesmente não existe chalota aqui no Brasil, mas infelizmente não tenho notícias de produção delas por aqui. Até que viajei para os EUA e além de encontrar aos montes em qualquer super mercado pude prová-las também, e até trouxe algumas na mala para cozinhar quando chegasse aqui. Pode até se dizer que as chalotas são primas das mini cebolas, a aparência é muito semelhante inclusive, descasca-se da mesma forma, mas a chalota tem uma cor lilás por dentro, além de ter pequenos “gomos” e quando refogada ou cozida fica muito suave, talvez um sabor que chegue perto é o do alho poró ou o da parte branca da cebolinha verde (aquela que fica perto da raiz). Lá nos EUA as chalotas são muito utilizadas para fazer conservas e molhos ao estilo vinagrete ou chimichurri, além de ser a base de quase toda a receita salgada que se faça no fogão. Por aqui raramente é possível encontrar em alguns hortifrutis e sei que há produtores no Chile, pois às vezes são estas que vendem. São ideais para refogar e/ou assar com azeite e ervas, quando eu encontro não penso duas vezes antes de colocar no carrinho. 
 
Imagem: Google Images

25 Comentários para “Chalotas, o que são elas afinal?

  1. Eu adoro usar chalotas… são mais caras e só encontradas em supermercados mais específicos (pelo menos aqui em Porto Alegre).
    São deliciosas!
    Beijos querida!

  2. Desde criança que eu adoro comer cebola, crua ou de qualquer maneira que for preparada, essas chalotas então… que delícia… muito saborosas!!!!

  3. Quase quatro anos e esse post continua esclarecedor. Fui ver os ingredientes de uma receita do livro do Gordon Ramay e me deparei com a chalota. O google dizia que era algo entre o alho e a cebola, mas precisava mesmo era da informação que você deu, cebolas pérolas, pronto, já posso seguir a receita. Obrigada

  4. Adorei os esclarescimentos a respeito das chalotas, eu morei na Espanham 4e acredito q sejam iguais ou similares as ” cebollitas dulces” umas cebolas normais, iguais a q nos conhecemos, so q nao sao ardidas p comer cruas, e ficam uma delicia em vinagretes, picles etc etc

  5. Gostei da explicação, eu estava curiosa tambem, porque achei parecido com pequenas cebolas.
    É eu tambem amo colocar-las em alguns ensopados.
    É uma delicia !!!
    Obg. pela informação

  6. Adorei!!! Acabei de descobrir que tenho um pacotinho de chalotas na minha geladeira Rss. Tinha comprado a cebola pérola pra fazer em conserva com beterraba. Agora que descobri que elas são as tais chalotas, vão pro fogão agora mesmo testar uma receita que achava que nunca iria realizar por não achar a bendita “cebolica”. Rssss

  7. Olá! concordo com quase todos os comentários quanto a explicação de chalotas. Vou vistar mais seu blog. Fico grata. Deus te abençoe

  8. Graças as respostas que encontrei sobre o assunto das chalotas que durante a minha vida com setenta e três anos nunca usei essa tal mistura entre alho e cebola entretanto fiquei surpresa pois conheço as cebolinhas menores para fazer as conservas e creio serão as mesmas fiquei feliz pois vou preparar uma receita deliciosa com as chalotas muito obrigado Deus abençõe quem ajuda as pessoas passando boas informações. Dirce sou de Londrina pr.

  9. Fui no google ver o que são chalotas e caí aqui, morri de rir quando comecei a ler e sim, fui pesquisar o que são chalotas de tanto ouvir falar nestes programas de culinária gringos, a la food network. Amei.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *