Arroz das Arábias, um pouco de história e beijos para as "Tias" queridas

sexta-feira, 05 de março de 2010

Eu como boa descendente de libaneses amo todo o tipo de comida árabe, e o arroz marroquino, o arroz com aletria e o arroz com lentilhas estão entre as minhas preferências, já que sou uma viciada em arroz, de todos os tipos, cores, sabores e espécies. Estava com uma vontade imensa de comer o arroz com aletria da minha querida Tia avó Ancelia (Tia “Celia”), que infelizmente está já bem velhinha e não vai mais para o fogão há alguns anos.
Ela aprendeu a cozinhar muito pequena com a minha bisavó que era libanesa legítima e que chegou ao Brasil após fugir de uma guerra que estava havendo no Líbano na época. Para sobreviver ao caos minha bisavó foi obrigada a abandonar todos os seus familiares e tudo o que possuía abruptamente, e veio com a família de seus vizinhos no porão de um navio com apenas 12 anos de idade. A história dela é bem triste realmente, mas não tenho dúvidas de que aqui no Brasil ela teve uma vida muito feliz, cheia de amor e de amigos, já que construiu uma família enorme e morreu bem velhinha com mais de 100 anos! Inclusive, nós nunca a chamamos de “bisa” na vida, mas sempre de avó, já que foi ela quem criou meu pai desde pequenino. E a Tia Celia, sua filha que nunca se casou e sempre viveu com a vó “Maroum”, é a minha 3ª avó por parte de pai, portanto, crescemos nos deliciando com a sua comida. Mas deixada a nostalgia de lado, eu tentei reproduzir algo parecido com o arroz com aletria, mas como não é exatamente um arroz com aletria, o denominei de “Arroz das Arábias” e coloquei nele tudo o que mais gosto na cozinha árabe. Já que sou a autora do blog e das receitas e vocês me acompanham, devo deixar a modéstia de lado e confessar-lhes que de fato o arroz ficou maravilhosamente delicioso, nem eu mesma esperava saborear uma receita tão agradável produzida por mim, já que sou minha maior e implacável crítica. Dá um pouquinho de trabalho, é verdade, porque é um prato feito em várias etapas, mas é ao mesmo tempo muito fácil de fazer, isso eu garanto. Sem contar que eu tornei o processo um pouco mais rápido e prático ao cozinhar o arroz em forno de microondas. Espero sinceramente que vocês reproduzam um dia esta receita, e que tenham com ela o mesmo prazer imenso que eu tive. Aproveito esta publicação de hoje para mandar um enorme beijo com muito carinho pra minha Tia “Celia” e pra minha Tia Iracema (Tia “Cema”, irmã da Tia Celia), que apesar da sua charmosa idade é altamente ligada ao universo virtual e é leitora assídua do meu blog. Tia Cema: muito obrigada pelo seu carinho e pelo amor que você sempre demonstrou pela minha família! Vocês duas certamente foram grandes responsáveis por formar o homem maravilhoso que é meu pai querido. Aproveito também para mandar um beijão à amiga Paula do blog COM CAPRICHO que me presenteou com a plantinha da amizade, que a partir de hoje passa a “morar” no Figos & Funghis na lateral direita da página inicial.

Arroz das Arábias

Ingredientes (para 4 porções)
Para o arroz de microondas
1 e 1/2 copo de arroz agulhinha
500ml de caldo de galinha (ou 1 litro de água e 1 cubo de caldo pronto)
1/2 cebola grande picadinha
2 dentes de alho picados
2 colheres de sopa de azeite extravirgem
3 colheres de sopa de salsa fresca picada
1 xícara de macarrão tipo capellini quebrado em pedaços pequenos
1 colher rasa de café de tempero caseiro (com alho, sal, cebola e pimenta processados)

Para o grão-de-bico
150g de grão-de-bico
1 litro de água
1 folha de louro
1 colher de sopa de alecrim
1 cebola pequena cortada em 4
2 dentes de alho inteiros
1 cravo
1 pitada de pimenta-do-reino em pó
1 colher rasa de café de sal

Para a montagem do prato
1 e 1/2 xícara de carne moída bovina refogada apenas com azeite e sal
5 colheres de sopa de pistache sem casca (pode usar amêndoas, piñoles ou castanha se preferir)
salsa fresca picada a gosto

Modo de Preparo

Etapa 1 (Arroz): Em um refratário de tamanho médio misture todos os ingredientes do arroz, exceto a água, e misture muito bem para incorporarem. Acrescente então a água e leve ao forno microondas por 20 minutos. Reserve.
Etapa 2 (Grão-de-bico): Deixe o grão-de-bico de molho em água filtrada por pelo menos 10 horas. Você não precisa ficar trocando a água dele, apenas coloque em um local fresco e protegido coberto com um pano limpo (eu não cubro com filme plástico porque gosto de deixar o grão “respirar” enquanto hidrata na água). Após o tempo de molho e com a ajuda de uma escumadeira retire as peles que se soltaram e escorra toda a água. Não se preocupe em retirar todas as peles, não precisa ter essa neura. Afinal comer a casquinha do grão-de-bico não é nada ruim. Escorrida a água, coloque o grão-de-bico para cozinhar em uma panela tipo espagueteira, que você possa escorrer facilmente depois a água do cozimento. Coloque na panela todos os ingredientes e cozinhe o grão-de-bico em fogo alto por 30 minutos. Desligue o fogo, escorra a água, retire as folhas de louro, os pedaços grandes de cebola e o cravo. Reserve.
Etapa 3 (Montagem do prato): Misture o arroz já cozido junto com o macarrão ao grã-de-bico cozido e misture delicadamente. Acrescente a carne moída já refogada, os pistaches e continue misturando delicadamente. Finalize com a salsa fresca picada e sirva. Pode acompanhar carnes, aves, saladas e pastas árabes. O arroz além de delicioso fica muito bonito, colorido e aromático.
Dica: Você sempre pode cozinhar o grão-de-bico assim como expliquei acima usando os mesmos ingredientes para utilizá-lo em qualquer receita. Fica muito sutil e perfumado. Ele pode inclusive ser armazenado em geladeira por alguns dias depois de cozido, não estraga.

Bom Apetite!

Fabiana Pinfildi

17 Comentários para “Arroz das Arábias, um pouco de história e beijos para as "Tias" queridas

  1. É tão bom saber as nossas raízes. Eu nem sei de onde vim nem para onde vou he he Arroz com aletria é completa novidade para mim. Aqui usamos a aletria para fazer doce, que eu adoro. Gostei do aspecto, deve ficar óptimo :)

  2. Ah! Que linda você, hein?! :}
    Fiquei apaixonada com cada linha…e pelas tias, claro :]
    Não precisava deixar a nostalgia de lado…gostamos purdimais desse momento!
    Seu arroz ficou lindo, mas apreciei muito mess foi o causo que mais foi contado com o coração, né?! :)
    Um bejim pra vc e prás suas amadas tias!

  3. Tias, que coisa linda!
    Tenho as minhas queridas também, que chamo delicadamente de cajaseiras
    Tão bom amarmos a família, não é!!!!

    Esse arroz está mais que convidativo, vou fazer sem dúvida.
    Meu genro é turco, vai amar.

    p.s. O macarrão cozinha separado ao dente é isso.

    Obrigada.
    Beijo.

  4. Fabi, que legal! Eu adoro receitas inventadas por nos… rsrsrs! Muito boa mesmo esta. Tambem su fa de comida arabe e de todos estes "arrozes"…. o toque do pistache deve ser TUDO! Bjs
    Lu

  5. Eu não sabia desse seu lado árabe, eu também tenho o meu, esse arroz com aletria me lembra a minha vó. Com certeza vou testar sua delícia!
    bjs
    Maura

  6. Obrigada pelo beijo! Hihih… Adorei! Feliz dia da mulher Fabi! Fiquei encantada com esse arroz, vou imprimir a receita! hehehe… Bjinhos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *